Mensagem a mensagem: “Ensinando inglês para crianças” 14/06

Image

O chat de hoje foi de certa forma prejudicado por problemas técnicos na página do Facebook, o que impossibilitou a postagem de mensagens por muitos. Quando conseguíamos postar, tinha que ser mensagens curtas. Portanto, as mensagens de desespero (exemplo: não consigo, não aparece nada) foram removidas. Voltaremos ao tópico na próxima vez, mas com um olhar ligeiramente diferente.

Obrigada a todos pela paciência.

 

Valeria Benevolo França Boa noite a todos!

Giselle Santos Boa noite!

Maria Xavier Boa!

Mariangela Coelho boa noite!

Christiane Gameiro Queiroz boa noite

Maíra Mattos Boa noite.

Bruno Andrade IMO, teachinh kids difere-se de outras faixa etarias uma vez que as crianças nao tem motivo “aparente” para estar em sala. Por isso, temos que estar constantemente engajando os pequenos. E voces, o que acham?

Giselle Santos não sei se o não tem mtivo aparente, eu acho que os pais tem esse motivo em mente, logo as crianças acabam de alguma forma entendendo esse vínculo, seja para poder ir à Disney, ou poder jogar o jogo predileto

Valeria Benevolo França Mas este motivo é algo mais claro para a criança mais velha, o menor não enxerga isso como um local para se divertir, cantar e brincar?

Maíra Mattos Acho que o que acontece é que os pequeninos têm maior facilidade de desviar a atenção. Então, qualquer atividade que não seja do interesse deles, ou que seja repetitiva, cansa. E então eles partem pra outra.

Bruno Andrade pode ate ser verdade, Giselle Santos – Mas sabemos que nossos alunos adultos encaram o ensino do ingles como uma prospecção de vida. As crianças ainda nao tem essa noção. Eles apenas replicam o que ouvem seus pais dizer “Estude ingles para ter um futuro melhor”…

Raquel de Oliveira consegui logar :):) boa noite!

Bruno Andrade Certamente, Valeria, dai que entra nossa forma de ensinar da maneiroa mais ludica possivel. Eles ainda nao encaram as aulas como responsabilidade presente para colhere frutos no futuro

Kelly Amorim Oi pessoal! Cheguei!

Raquel de Oliveira concordo com vc, Valeria Benevolo França. a criança vê a escola/curso como uma chance de brincar, conhecer gente, descobrir coisas novas… a curiosidade ainda é genuína.

Bruno Andrade olá Kelly Amorim

Giselle Santos Não sei se encarm como brincadeira sempre, até prq a maioria das vezes mas nao em todas as obrigaçoes que seguem os modelos de escola estão presentes. Tipo hw, testes e assim vai

Christiane Gameiro Queiroz Acho que a criança é o “professional learner”, pois ela está constantemente aprendendo coisas novas. Não precisam de um motivo para aprenderem inglês.

Bruno Andrade E é em cima dessa curiosidade que devemos desenvolver o gosto e a habilidade de aprender. É notavel que crianças aprendem mais e melhor quando o assunto é relevante e interessante para elas (Bruner)

Bruno Andrade Concordo, Giselle Santos. Muitos dos nossos alunos trazem o mesmo pensamento da escola focado em testes e deveres com prazos e pressão.

Kelly Amorim Pessoal, qual faixa etária estamos falando sobre, porque considero criança de 6 a 13 anos, depois já é adolescente

Luiz Agrizi boa noite

Valeria Benevolo França Gente, só para avisar que estou vendo os posts de voces, mas não os meus, então nem sei se estão vendo os meus…algo errado no FB.

Christiane Gameiro Queiroz Tô pensando em crianças entre 3 e 10 anos. Pode ser?

Roberta Righetto Crianças de 5, 6 anos têm uma motivação diferenciada. Eles realmente não encaram as aulas com algo formal

Bruno Andrade PessoALL, tenhamos um pouco de paciencia. Parece que o Facebook nao está cooperando muito hoje. Muitos posts estão retornando…

Bruno Andrade ‎KellyChristiane acho que a faixa que chamamos de criança é entre 5 e 11 anos (12 já sao pre-adolescente) concordam?

Luiz Agrizi nao tenho experiencia com crianças muito piquititas, mas posso contribuir com a faixa entre 8 e 11

Luiz Agrizi concordo com a questão lúdica, nesta faixa ( 8 a 11) mas gosto de deixar claro o proposito da brincadeira. Muitos jogos e muita descontração fazem que em alguns casos o professor perca autoridade.

Maíra Mattos Sim. Sofri com isso quando precisei dar aulas para crianças Luiz Agrizi. E por ser nova a coisa piorava.

Luiz Agrizi o curso de inglês nao pode virar uma PARty , algo que vejo acontecer às vezes.

Raquel de Oliveira com os pequenos de 6 anos, funciona muito uma aula com rotina e variedade de atividades. Pode parecer paradoxal, mas eles precisam de uma certa previsibilidade, comandos e etc… regras, ao mesmo tempo o ritmo precisa ser como numa música, sempre com algo a se fazer… a se descobrir. Contação de história gera bons frutos.

Christiane Gameiro Queiroz Concordo Luiz. O aprender brincando tem que de fato levar a algum aprendizado. E é legal desvendar isso junto com as crianças ao longo da brincadeira.

Maíra Mattos O mais difícil é conseguir encontrar o equilíbrio entre o que é sério e o que é brincadeira sem entediá-los e sem perder a autoridade.

Bruno Andrade Eh verdade Luiz, mas é ai que entram as tecnicas de classroom management. Por isso, acho que todo professor de criança tem que ter um treinamento especifico pra isso.

Kelly Amorim Acho que para dar aula para crianças é necessário um bom material de apoio, dou aulas para 7 e 9 anos e estou sempre munida de diversas ferramentas, de lápis de cor a um livro interessante sobre o tema.

Raquel de Oliveira uma dificuldade que encontrei é a produção escrita, pois alguns deles ainda nao se alfabetzaram plenamente em L1 com 4/5 anos… Daí, percebe-se claramente a influência da L1 qd eles produzem em L2.

Luiz Agrizi quem mais sofre é o pobre coitado do professor que assume “O circo” no semestre seguinte. crianças precisam de rules, rotina como disse Raquel de Oliveira e games para aprender ou simplesmesmente para brincar, como um award ou um prize, se merecerem claro🙂

Roberta Righetto Professores de criança devem ser o mais experientes

Maria Xavier ‎Luiz Agrizi, o que vc quis dizer com o curso de inglês não poder ser party? O que pensa exatamente sobre este assunto?

Kelly Amorim Mas, Raquel de Oliveira, acho que quando não estão alfabetizados em L1 é mais fácil de fazê-los produzir bem tanto o oral quanto o escrito, pois é como se vc estivesse alfabetizando em L2 ao mesmo tempo, a criança aprende a “pensar em Inglês”

Bruno Andrade Pois eh, Raquel de Oliveira – por isso que a escrita nao deve ser levada em consideração quando a criança ainda nao foi alfabetizada na lingua materna. Caso contrario a interferencia pode tornar-se um problema

Maria Xavier ‎Giselle Santos, pra mim não consigo dar curtir, e às vezes tb não dá pra postar…

Valeria Benevolo França Eu acho que ser professor de criança exige muito do profissional, e além de creatividade, precisa ter um ótimo controle de turma

Raquel de Oliveira Gerenciar a turma com crianças é algo capital: pois são seres SUPER SINCEROS e não fingem gostar de uma aula que está monótona, ou não hesitam em dizer em alto e bom tom: não vou fazer e ponto. A criança precisa ser cativada.

Luiz Agrizi ‎Maria Xavier, tem professor que coloca FUN antes de TEACH. e nao tem autoridade em sala de aula. aí vira party.

Christiane Gameiro Queiroz rotina = keyword

Christiane Gameiro Queiroz diversidade = keyword

Luiz Agrizi crianças e adultos. com certeza os mais desafiadores. acho que pra ensinar adultos, professores precisam de treinamento especifico tb.

Maria Xavier ‎Kelly Amorim, já que abordou o assunto recursos, como seria a sala de aula ideal para dar aulas para crianças? Você acha que as salas nas escolas em geral são adequadas?

Christiane Gameiro Queiroz Maria, tem escola com sala perfeita

Bruno Andrade ‎Kelly Amorim, I beg to differ. Acho que forçar a escrita em ingles onde a criança so tem aulas durante 2 horas por semana enquanto ela ainda nao vou alfabetizada na lingua materna pode ser prejudicial ao desenvolvimento cognitivo da criança… Sera que estou errado pessoal?

Kelly Amorim Rotina é tudo para criança, gente…quando acostumam eles mesmos fazem questão de tê-la…se esqueço de abrir o quadro para colocar as estrelinhas do dever de casa, eles me lembrar, como se eu estivesse cometendo um erro capital “teacher, homework!”

Christiane Gameiro Queiroz mas tem escola que deixa muito a desejar

Giselle Santos No video que eu sugeri a professora é muito pontual quando ela cita a escrita, o estimulo deve siim existir mas nao deve rolar uma patrulha do L invertido

Giselle Santos concordo como Luiz Agrizi, quando diz que fun nãopode ser a prioridade, mas acho que é parte essencial

Christiane Gameiro Queiroz Acho que a escrita não prejudica

Christiane Gameiro Queiroz mas nada forçado é bom

Kelly Amorim Não Bruno Andrade, mas, não disse “forçar” … entende-se escrita aqui como escrever, por exemplo “favi” como número 5 em um crossword…porque é como falam…nada perfeito, claro.

Christiane Gameiro Queiroz Acho que tem que ser fun pra gente Tb

Bruno Andrade Quando tiverem um tempinho para assistir, vejam esse video gravado no IATEFL desse ano nas apresentações de Pecha Kucha. Barbara Sakamoto falou um pouco sobre o desafio de ensinar crianças. O video dela começa aos 35minutos

Raquel de Oliveira Voto na tríade: rotina + diversidade de tarefas + foco na interação social em sala. Esta atenção maior à interação social, e aos aspectos da linguagem, reforçam a importância de reconhecer que a linguagem funciona não apenas para representar o mundo, mas para
viver nele – o que é crucial na fase que a criança está construindo sentidos… ainda mais em L2.

Giselle Santos gente, todos nós fomos crianças , espaço e enfeites não são também um key issue, qualquer mesa vira forte apache e qualquer prato vira volante, vai depender da linha e do estimulo e da proposta para que essa criança acredite e compre a ideia

Luiz Agrizi lembrar das regras com frequencia é essencial. nao simplesmente colar uma cartolina de regras e rotina da supper nanny na parede. eu pergunto às vezes: “how do you say regras in english”? they say: RULES! SO, what’s rule number 1? they say NO PORtguese< Then, #2? NO shouting. etc.

Maria Xavier Na minha visão uma das maiores dificuldades com relação a aulas para crianças também é o contato com os pais. Mostrar para o responsável pela criança a importância e a lógica do que está por trás de determinadas atividades. Muitas vezes a expectativa dos pais é justamente que seja mais brincadeira que qualquer outra coisa.

Kelly Amorim ‎Maria Xavier é dificil encontrar salas perfeitas em escolas públicas, mas particulares vejo aos montes….com muitos recursos ilustrativos, cores, e lugar para colocarem os trabalhos feitos por eles

Bruno Andrade Então vamos lá: o que uma sala de aula para criança precisa ter? (via Valeria Benevolo França)

Luiz Agrizi when you finish fast? they say: “FUN ZONE” and it works.

Christiane Gameiro Queiroz espaço

Giselle Santos cores

Giselle Santos e mobiliario que permita olho no olho

Christiane Gameiro Queiroz murais transitórios

Valeria Benevolo França Lapis de cor, tesoura, cola e papel

Maria Xavier banheiro próximo

Giselle Santos costumes

Christiane Gameiro Queiroz giz de cera

Valeria Benevolo França Um assistente (para kids de 4 anos)

Christiane Gameiro Queiroz cola colorida

Bruno Andrade puppets!

Bruno Andrade mesa em sistema de work stations

Raquel de Oliveira dinâmica + rotina + espaço + regras + lúdico + recursos (papel, lápis de cor, tesoura de pontas arredondadas, giz de cera e etc…) >

Giselle Santos imaginação

Raquel de Oliveira Desta forma o professor
poderá facilitar, não só a associação, mas também, a memorização, e a imaginação criativa

Luiz Agrizi espaço, mobília adequada, lapis de cor, giz de cera, espaço, cola, costumes, espaço…

Giselle Santos pillows

Luiz Agrizi espaço

Marília Barreto de Souza Sorry I’m late!

Maria Xavier Quando olho para a sala de aula ideal, penso nas inúmeras variáveis presentes nesta aula. O treinamento precisa ser ostensivo!

Christiane Gameiro Queiroz espaço de chão pra sentar

Valeria Benevolo França Tocador de CD e acesso a várias musicas

Kelly Amorim professor com disposição😀

Luiz Agrizi mapas, posteres, um alfabeto gigante, um mascote,

Christiane Gameiro Queiroz quadro interativo ajuda

Valeria Benevolo França tapeta = espaço contar historias

Christiane Gameiro Queiroz props

Giselle Santos mascote =) adorei

Valeria Benevolo França Lista bonita a nossa.

Giselle Santos senso de responsabilidade na mosca!

Giselle Santos mascotes=rotina

Christiane Gameiro Queiroz janelas

Valeria Benevolo França Agora, vamos listar tipos de atividades?

Raquel de Oliveira olhos de ver e ouvidos de ouvir

Giselle Santos cantar, contar,ser

Valeria Benevolo França show and tell

Christiane Gameiro Queiroz corners

Raquel de Oliveira diferentes
recursos para que as crianças mantenham a atenção com mais facilidade naquilo que é
trabalhado dentro da sala de aula. os não
verbais, como gestos, mímicas, expressões faciais, desenhos, figuras, revistas e jornais são mais fáceis de se ter a mão…

Giselle Santos acho que o prob é que é uma foto

Raquel de Oliveira Além do uso de recursos não verbais, o professor pode também fazer uso de exemplos reais do dia-a-dia da criança, associando-os ao conteúdo lingüístico a ser ensinado, tornando assim, uma aula mais criativa. Por isto disse que não pode faltar: ouvidos de ouvir, olhos de ver, regras com carinho e firmeza, e muita, muita imaginação.

Christiane Gameiro Queiroz qual seria a rotina ideal?

Valeria Benevolo França Vamos encerrar mais cedo

Raquel de Oliveira Vale lembrar ainda que nossos pequenos aprendizes não têm maturidade cognitiva para a aprendizagem de normas e conceitos abstratos. Acho que a rotina precisa ser sentida, vista, ouvida, e praticada… Comandos verbais, correção de exercícios, uso de músicas como disparadores de atividades e etc…

Christiane Gameiro Queiroz que pena.

Giselle Santos ‎:( assunto tao bom

Valeria Benevolo França Sorry, mas está complicado

Maíra Mattos verdade

Raquel de Oliveira ‎Christiane Gameiro Queiroz > A espinha dorsal da rotina são alguns marcos temporais que quase nunca se alteram: a chegada, a roda, o lanche, o hw checking, a saída e etc…

Valeria Benevolo França Vou postar a discussão no blog

Valeria Benevolo França Bjs e boa noite para todos.

Christiane Gameiro Queiroz boa noite

Maíra Mattos Boa noite

Christiane Gameiro Queiroz thx Raquel de Oliveira

Maria Xavier Que tal repetirmos este tema?

Raquel de Oliveira Okay, Valeria Benevolo França > excelente chance de expandirmos nossa discussão para além daqui do Fb🙂

Giselle Santos boa noite😦

Maíra Mattos idem

Maíra Mattos Adorei participar. Boa noite.

Christiane Gameiro Queiroz otima ideia Maria Xavier

Christiane Gameiro Queiroz Tb adorei🙂

Raquel de Oliveira Excelente chat… me interessa falar de dois tópicos dentro deste tema: 1 – desenvolvendo autonomia nos pequenos X construindo rotina

Raquel de Oliveira ‎2 – A falta de material escolar para esta faixa etária qd ainda não alfabetizada, e para deficientes visuais (já que grande parte do input para eles é o visual)

Raquel de Oliveira Boa noite, pessoal! E vamos seguir nos falando e construindo este debate sobre nossos pequenos! Bjos e bom sono a todos🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s