Mensagem a mensagem 23/08: Correção oral: técnicas e dicas

 

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite a todos!

Claudia Martins Boa noite!

Valeria Benevolo França Boa noite.

Juan Alberto Lopez Uribe Errar também tem como sinônimo caminhar. Acho que o erro faz parte do aprendizado sim. O acerto acontece por meio do erro.

Ricardo Sili Olá, Bruno e quem mais estiver aí! Eu vejo a ausência de erro como algo DESEJADO.

Ricardo Sili Mas o erro em si como um caminho que leva ao aprendizado (à aprendizagem? não sei direito essas palavras em português!)

Juan Alberto Lopez Uribe O erro mostra desenvolvimento também, pensemos no caso do aluno que fala goed em vez de went. Ele mostra que sabe a regra e conseguiu no momento da comunicação focar e usá-la.

Ricardo Sili Com o erro de cada aluno podemos conhecer as necessidades individuais e oferecer um “remedial work” adequado a cada um.

Claudia Martins Nós, professores entendemos que errar faz parte do processo de aprendizagem. Mas, também sabemos que muito alunos não gostam de errar e não veem no erro uma oportunidade para o aprendizado.

Ricardo Sili ‎(como é “remedial work” em português?)

Claudia Martins paliativo

Juan Alberto Lopez Uribe ‎Claudia Martins, acho este ponto muito interessante. Podemos conversar com os alunos e resignificar o erro, para que eles o vejam de uma forma menos crítica.

Bruno Andrade Nos professores sentimos uma ansiedade muito grande quando o assunto é erro. Muitas vezes não sabemos administrar o erro e usa-lo como arma para raise awareness dos alunos

Valeria Benevolo França Ola Ricardo, então você acha que como professores lidamos com os erros que surgem como um processo “natural da aprendizagem, mas nosso papel não é de desejar que eles cometem os erros.

Ricardo Sili Muitos de nós veem o erro como uma falha nossa.

Kelly Amorim Boa noite!

Juan Alberto Lopez Uribe ‎Ricardo Sili, remedial work me traz à uma linguagem médica, como se o aluno tive doença, deficiência na língua. Errar é saudável na minha opinião.

Ricardo Sili O meu desejo é pelo sim, Valeria, não pelo não.

Ricardo Sili Desejar que alguém cometa erros? Não.

Ricardo Sili Entender o erro como algo positivo? Sim.

Kelly Amorim Acredito que o erro é algo não desejado pelo professor e muitas vezes a correção é não desejada pelo aluno que, dependendo de como for corrigido, se sente mal em tentar de novo

Ricardo Sili Desejar que o erro deixe de existir? Sim, claro!

Claudia Martins ‎Bruno Andrade acredito que nossa abordagem em sala de aula ao que chamamos de erro também é fundamental. O que é o erro para nós?

Juan Alberto Lopez Uribe Temos também que distinguir error e mistake.

Ricardo Sili Bom ponto.

Valeria Benevolo França Sim, Ricardo, é parte de nosso papel como professor.

Natália Guerreiro Acho q nossos alunos brasileiros costumam se sentir corrigidos de menos.

Ricardo Sili Muitos professores têm medo de corrigir.

Claudia Martins pergunto a todos, dentro do task que propusemoso erro que ele está cometendo está impedindo que ele realize esse task?

Ricardo Sili Medo de corrigir porque erro ainda é visto como falha.

Juan Alberto Lopez Uribe Um erro que o aluno sempre comete queremos que deixe de acontecer, não o erro no qual o aluno arrisca, cria a sua linguagem fazendo conexões criativas, o brincar com a língua. Este segundo é gostoso até de fazer. Sem ele o aluno não se comunica.

Bruno Andrade E como devemos corrigir os alunos na parte oral? Acho que os alunos precisam ser treinados para saber quando e porque o professor ira corrigi-los ou não e qual o impacto disso no aprendizagem deles

Valeria Benevolo França Mas um ponto que sempre me chama a atenção é o fato que falamos do professor corrigir o aluno. Mas exsitem várias técnicas de correção onde o aluno acaba se auto corrigindo…o professor apenas cria a condição para a auto correção acontecer.

Ricardo Sili Sou um pouquinho tradicional e talvez antiquado. Para mim todo erro deve ser corrigido. Mais cedo ou mais tarde.

Juan Alberto Lopez Uribe Acho que devemos ter uma série de técnicas de acordo com o contexto. Em grupo, individualmente, no momento, depois.

Ricardo Sili Quer dizer, não on the spot sempre, porque depende da tarefa, do momento, etc. Mas sempre.

Ricardo Sili Delayed que seja. Mas temos que guardar na memória os erros de cada um

Shirley Rodrigues oi gente! vô ler e me atualizar nos posts

Natália Guerreiro uma coisa q eu fazia às vezes com grupos menores e mais interm/avançados, q eles gostavam, era apontar alguns erros e acertos fenomenais num papelzinho individual, q eu passava distribuindo no fim da tarefa, da aula ou na aula seguinte. nesse nível, tem uns errinhos fossilizados q não são comuns a todos, e eles gostam dessa atenção individualizada msm q não possamos fazer isso sempre.

Ricardo Sili para poder ajudar realmente

Kelly Amorim Eu concordo com o Ricardo Sili…e por ser um tanto tradicional nesse ponto, as vezes, acho que corrijo demais

Valeria Benevolo França Concordo Ricardo, e acho que todas as vezes onde nosso foco é na acuidade, temos que corrigir.

Juan Alberto Lopez Uribe Ricardo, acho que depende. Se o erro não estiver na zona de desenvolvimento proximal o aluno acaba não pegando. Corrigir aí acaba gerando ansiedade e não traz resultados.

Claudia Martins quando meus alunos estão fazendo atividades em que o oral é o principal foco, procuro anotar os erros e depois expo-los sem citar nome, peço que o grupo repita e reforço a pronuncia

Natália Guerreiro é, no meu contexto (ing de aviação), claramente não é acuidade. por regulamento, inclusive. então sempre foco em erros q afetam o sentido.

Bruno Andrade Que tipo de técnicas vcs mais usam e quando?

Ricardo Sili E se o foco não for na acuidade AGORA, deixe pra mais tarde, mas corrija! Assim eu penso.

Ricardo Sili Deixar passar “para sempre” é desleal com o aluno.

Roseli Serra I pessoal, desculpe, o atraso

Juan Alberto Lopez Uribe Gosto desta postura Claudia Martins. Faço isto bastante também. O bom é que ela não expões os alunos.

Roseli Serra desculpem

Natália Guerreiro ‎(por sempre foco, entenda-se sempre tento focar… pq nao dá nem pra gente saber qd o erro afetará o sentido numa comunicação real ou não.)

Kelly Amorim E por vezes o “deixar passar” gera alunos que chegam a níveis avançados com erros básicos, fossilizados.

Natália Guerreiro mas, sili, teo q o juan falou da zpd. não adianta corrigir coisa de algo mto avançado… pode complicar.

Claudia Martins Concordo inteiramente com Ricardo Sili. Erros devem ser corrigidos, agora o x da questão é como corrigí-los?

Roseli Serra Acho que erros fazem parte do processo de aprendizagem sim. concordo com Ricardo Sili que deixar passar é desleal com o aluno. Error treatment tem de ser cuidadoso.

Roseli Serra Como devemos ser cuidadosos com nossos alunos , não?

Juan Alberto Lopez Uribe Gosto muito de Zoom in e de dar duas alternativas. Uso os gestos de inversão, passado e terceira pessoa bastante.

Natália Guerreiro hum, acho q o aluno q chega com erros fossilizados ao avançado não é necessariamente o aluno q não foi corrigido, não. pelo contrário. nem todo erro é culpa de prof, como já disseram aqui.😉

Natália Guerreiro juan, o q é zoom in?

Bruno Andrade O ruim eh quando o aluno se acostuma a ser corrigido o tempo todo (inclusive em fluency-based tasks) que quando um professor não o corrige ele acha que não esta aprendendo ou que o professor não esta cumprindo seu papel: corrigir para melhorar

Claudia Martins A correção tem que ser meaningful, tem que ser consistente. Erros graves não devem receber o mesmo tratamento que errinho que não costumam interferir na omunicação.

Roseli Serra Gpstei Claudia Martins. Sou a favor de late correction mas as vezes, correction on the spot é necessária e nem sempre precisa ser traumática

Juan Alberto Lopez Uribe Zoom in é quando vc repete a frase e para exatamente antes do erro.

Roseli Serra You have a point Bruno Andrade

Ricardo Sili Sim, Juan. Essa sensibilidade de quando corrigir temos que ter. Mas não podemos ter a arrogância de imaginar que podemos conhecer a zona de desenvolvimento proximal de cada um. É tudo uma grande tentativa e – ironicamente – ERRO!

Roseli Serra Isso, Ricardo Sili MAs e quanto ao “perigo de fossilização” do erro?

Valeria Benevolo França Isso Roseli Serra, acho interessante então pensarmos em exemplos de técnicas de on the spot correction que não são “traumatizantes”.

Natália Guerreiro sim, sili, até pq não podemos supor qual é a ordem de aprendizado. nem mesmo na gramática, q tem syllabi já cristalizados, é surpreendente como não houve pesquisa pra esses syllabi q estamos acostumados a ver. msm a SLA está engatinhando.

Claudia Martins Por isso digo Roseli Serra precisamos saber distinguir e precisamos saber como abordar

Juan Alberto Lopez Uribe Sim Ricardo Sili. A fronteira não conhecemos mas alguns pontos seguramente estão fora. O alunos de nivel 2 que faz erro de nível 8.

Ricardo Sili Spot on, Natália!

Natália Guerreiro não traumatizante tem a de gestos q o juan falou. mas até isso precisa de jeito e timing.

Bruno Andrade Gostei na nomenclatura: zoom in. Sempre uso mas não sabia o nome, Juan!

Roseli Serra hummm.. simsim Valeria Benevolo França! Por exmeplo, que tal aquel antiga de reptir corretamente o que o aluno disse errado?

Claudia Martins Gosto de repetir e pedir que ele repita mas sem fazer um grande alvoroço

Bruno Andrade Recast, Roseli. Eu gosto tb, mas depende do aluno. Um aluno que tem mais dificuldade não vai entender de qq forma..

Ricardo Sili Quando o “erro” está lá no outro nível, 8 ou seja lá qual for, está mais no universo da tentativa que do erro. Aí é um erro muito bacana!

Valeria Benevolo França Temos a possibilidade de falar a frase do aluno até o ponto em que ele cometeu o erro e parar, eliciando do aluno dessa forma a forma correta.

Juan Alberto Lopez Uribe Temos que lembrar que a correção de erro também está envolvida em um contexto sócio-cultural. Idade, formação, nacionalidade da família pode influenciar. Um aluno de família italiana provavelmente têm uma relação com o erro diferente de um aluno de família japonesa.

Roseli Serra Ou por outra fazer um tipo de needs analysis no sentido de investigar quem se sente ou não confortável de ser corrigido on the spot… Já fiz isso em muitos dos meus grupos e consegui bond resultados respietando as personalidades dos alunos e os seus estilos de aprendizagem, ou seja , levando em conta wnats and needs. O que acham?

Roseli Serra BINGO, Juan!

Ricardo Sili Preciso ir, pessoas! Muito obrigado por 20 minutos muito estimulantes! Abraços em tentativas e erros!

Juan Alberto Lopez Uribe Você tem um ponto ai Ricardo Sili. O fato dele se arriscar no erro pode talvez mostrar que essa é a fronteira dele…

Shirley Rodrigues acho q alguns erros devem ser corrigidos (qdo o sentido do que o aluno tentou dizer dizer foi afetado e a mensagem não chega aop interlocutor a contento. Por outro lado, quando ficamos corrigindo muito, sinto que o aluno vê na gente uma muleta de correção e faz a atividade de conversação ou escreve o texto perguntando o tempo todo! Cordão umbilical não é cortado nunca!

Juan Alberto Lopez Uribe valeu Ricardo Sili!

Ricardo Sili Valeu, todos!

Valeria Benevolo França Bye Ricardo Sili, espero que esteja aproveitando suas férias.

Claudia Martins Vamos nos ater a nossa realidade brasileira Juan Alberto Lopez Uribe,pq para nós aqui é mais prático.Eu entendo o que vc quer falar mas aqui temos muitas similaridades independentemente das diferenças regionais.

Bruno Andrade Bye Sili!🙂

Natália Guerreiro é, tem mta coisa contra e a favor dos recasts, né. parece q nem os resultados das pesquisas se decidiram sb ser bom ou nao jogar a frase correta de volta. eu tendo a achar q nao funciona mto… parece q soh estou ecoando pra participar da conversa. ou pode parecer q estou corrigindo outra coisa.

Roseli Serra Bye Ricardo Sili. Have a good and peaceful night

Marialva Lima Capelo Professores são geralmente pessoas focadas, estudiosas q foram bons alunos e q não gostavam de errar, assim sendo é difícil aceitar o erro de maneira tão natural, no entanto, nas minhas aulas eu percebo nitidamente q cada erro dos alunos representa um passo a frente e é através desses erros q vou ajudando eles a construir seu proprio conhecimento, acho fundamental, mas só consegui entendrr e principalmente aceitar os erros deles de maneira tranquila depois de uns 6 anos de experiência, só um professor experiente consegue realmente sentir os benefícios do ‘erro’ dos alunos🙂

Juan Alberto Lopez Uribe Concordo Claudia Martins. Será que é uma questão de perguntarmos aos alunos como gostariam de ser corrigidos? e balancearmos com o que achamos adequado?

Shirley Rodrigues Tenho uma aluna que já fe o CAE e passou bem. Aí está com aquela sensação de estar além da turma mas não quer parar poruqe gosta. Ela é ótima, mas, pediu qpara ser corrigida sempre on the spot! Larguei minhas convicções de lado e fiz isto algumas vezes, já que ela NÃO ERRA (^^) e percebi que ela começou a fazer a conversação in pairs , olhando para mi e não para seu interlocutor, esperando para ver se eu ia corrigir algo… ou sej, ELA ME VÊ COMO A RODINHA DA BICICLETA agora… e ela já sabe pedalar sozinha há muito tempo!

Roseli Serra Claro claro Natália Guerreiro! A questão é que algumas coisas que a literatura diz não funcionar, funcionam para alguns grupos, ou por outra , para alguns alunos…

Juan Alberto Lopez Uribe Eu gosto de recast Natália Guerreiro. Tem o momento certo também, se o aluno estiver muito falante não dá para entrar no discurso.

Bruno Andrade Verdade, Shirley. Há muitos exemplos assim por aí. O melhor mesmo eh usar o bom-senso🙂

Natália Guerreiro kkkk isso de jogar a convicção pro alto eu tb já tive de fazer. peguei uma turma q tinha aulas “comunicativas” sem correção havia anos. eles não saíam do msm nível. eram 3 semanas só pra trabalhar com eles. fazer o q? corrigi tudo e deixei a fluência pras aulas “comunicativas” deles.

Juan Alberto Lopez Uribe Será que o aluno que não erra esta vivendo a pleno o seu potencial de desenvolvimento? Tendo a achar que não. Errar é caminhar.

Shirley Rodrigues sinceramente gente, eu vejo o erro como algo muito desejável! Afinal, se o cara não erra, nem emprego a gente tem! (^^)

Roseli Serra Isso! Bom senso, good monitoring and effective feedback … dá um trabalho danado mas funciona!

Natália Guerreiro kkkk shirley sempre espirituosa.

Natália Guerreiro mas tb é errar qd o aluno emprega a estratégia do silêncio e evita continuar ou até começar o assunto.

Roseli Serra Eita trabalhaeia , heim Natália Guerreiro? uiiiiiiiiiiiiiiiii

Juan Alberto Lopez Uribe Bacana também termos outras ferramentas como por exemplo reflexão sobre o próprio discurso, gravação e auto-analise, peer correction.

Shirley Rodrigues bom, a velha máxima de que aprendemos com os erros é bem válida e SIM, se o aluno não pergunta, não tem dúvida, será que ele realmente está “com você’ na aula? será que está participando? Interessado? Errar em um processo de aprendizagem é estar nele!

Roseli Serra Deixa alunoa errar pra a gente ter a quem dar aualas, né Shirley Rodrigues? kkkkkk OKOK ” muito bom1

Natália Guerreiro peer correction eu acho delicadissima

Juan Alberto Lopez Uribe Verdade Natália Guerreiro.

Roseli Serra Mas peer correction com good monitoring and effective feedback funciona! Alguém concorda ou discorda? Comigo funcionou em muitos grupos!

Valeria Benevolo França Sim Juan Alberto Lopez Uribe, voltamos a questão de correção de atividades com um foco na acuidade e as outras com um foco na fluência.É claro que quando corrigimos baseado na acuidade estamos focando no erro de estrutura…uma correção que irá acontecer numa atividade onde a fluência é estimulada, podemos ver erros que impedem a competência comunicativa do aluno…e eu acho que este tipo de correção acaba sendo bem mais difícil.

Shirley Rodrigues o peer correctrion depende da afetividade que rola entre o grupo Natália… Se não h´pa respeito e cooperação entre o grupo + professor,ou for um ambiente onde existem grupinhos competindo, melhor evitar peer correction. Senão, é uma ferramentea bem lwegal…

Claudia Martins ‎Juan Alberto Lopez Uribe acho que tudo deve ser esclarecido para o aluno, agora temos que ver como ele vai reagir mesmo que tenhamos explicado a importância do erro em todo e qq processo de aprendizagem.

Kelly Amorim ‎Shirley Rodrigues concordo plenamente com vc…tenho uma sensação horrível quando o aluno não pergunta, não tem dúvidas, não erra por não tentar…dá a sensação de que não está ali na aula, não está seguindo o raciocinio…

Roseli Serra É verdade , Valeria Benevolo França… parece que corrigir acuidade termina sendo mais fácil né? Corrigir fluência é mais complicado até pq nesses momentos os alunos estão no “calor da comunicação” è aí onde eu acho que a let correction é legal…

Roseli Serra Foi o que eu quis dizer Claudia Martins. Negociar com alunos com maturidade suficiente pra negociar sempre tem trazido bons resultados pra mim .

Kelly Amorim no início dos semestres, quando estou ainda conhecendo as turmas, evito corrigir muito os alunos…faço correções gerais, às vezes, seleciono frases ditas erradas durante a aula e coloco para eles no final da aula, sem citar nomes, e peço que eles me digam o erro…dá uma sensação de crescimento, uma sensação de que o erro ocorre, as vezes, por descuido…eles se sentem confiantes, eu acho

Juan Alberto Lopez Uribe ‎Claudia Martins, É neste dialogo metacognitivo que temos uma grande oportunidade de ter saltos expressivos com os alunos. O de efetivamente conseguirmos conversar sobre aprendizagem. Sei que é fácil falar e difícil de fazer, mas creio que é uma área fascinante para nós.

Roseli Serra Concordo , Kelly Amorim. Muito sensato da sua parte!

Claudia Martins Por isso Roseli Serra dá importância de um professor atento, pois interromper o aluno no meio de uma discussão talvez não seja a melhor forma de corrigí-lo, mas fazer nossas anotações e daí partir para o processo de correção

Natália Guerreiro eu amo auction game com essas frases. =)

Kelly Amorim depois que os conheço mais vou tentando outras técnicas, até que se acostumem a serem corrigidos sem terem a sensação de serem “castrados”

Juan Alberto Lopez Uribe Boa postura Kelly Amorim. O corrigir tem a ver com a relação de poder. Temos que ir aparando a planta sem podar.

Roseli Serra Isso mesmoClaudia Martins eNatália Guerreiro!

Juan Alberto Lopez Uribe Natalia Natália Guerreiro, auction game é tudo de bom! Adoro!

Juan Alberto Lopez Uribe Sensibilidade é tudo. Em um mesmo momento pode-se corrigir dois alunos de forma diferente.

Valeria Benevolo França Acho que a questão da correção passa muito por “learner training” e uma das coisas que devemos fazer em sala e tornar nosso processo de trabalho mais claro e deixar claro o que esperamos do aluno e como iremos lidar com a correção.

Roseli Serra ‎Juan Alberto Lopez Uribe esse nível de discussão metacognitivo a que você se refere é falar de matcognição e metalinguagem com os alunos? EStou curiosa! Deve ser fantástico! Como é?

Claudia Martins também estou curiosa

Roseli Serra BINGO Valeria Benevolo França! Sou fã de learner training, error treatment e continous effective feedback!

Juan Alberto Lopez Uribe Sim, Roseli Serra. É conversar sobre o aprender, sobre como eles creem que aprendem, como se sentem, que estratégias utilizam.

Valeria Benevolo França E uma forma de fazer nosso processo de correção mais claro é gravar os alunos durante uma atividade e depois identificar as áreas para feedback em conjunto com o aluno.

Juan Alberto Lopez Uribe Dependendo do credo eles irão ter auto-percepçoes diferentes.

Roseli Serra So learn to learn, Juan Alberto Lopez Uribe?

Claudia Martins ah, isso eu faço com regularidade. e é bem bacana.

Juan Alberto Lopez Uribe Learn to perceive oneself as a learner. Learner mindfulness.

Juan Alberto Lopez Uribe Com o objetivo de learn to learn,Roseli Serra.

Roseli Serra Eu tb Claudia Martins! Acho super bacana!

Roseli Serra YES! Juan Alberto Lopez Uribe!

Juan Alberto Lopez Uribe Mas será que estamos saindo do tópico?

Shirley Rodrigues Gravar os alunos é bem legal mesmo Valeria. Lembrei de um projeto de video que fiz com uma turma de Junior em 2007, onde eles foram bem exigentes na hora de escolher quais cenas iriam para o projeto. As que haviam sido gravadas no início do semestre por uma das alunas com mais dificuldade (e que mais errava), tiveram que ser regravadas porque ela não queria aquelas no video final do projeto. Perguntei porq e ela respondeu “Pq no início eu não sabia falar…

Roseli Serra Creio que não….

Roseli Serra Muito bacana Shirley Rodrigues! Nunca tive essa experiência mas ouço coisas maravilhosas a respeito!

Natália Guerreiro q lindinha, shirley!

Juan Alberto Lopez Uribe Um conceito interessante é o de topografia do erro. Saber com que frequencia ocorre, intensidade, em que tipo de situação. Ter consciência disso é muito bacana tanto para o professor quanto para o aluno. Ai pode ver-se a mudança de como o erro ocorre.

Bruno Andrade Não podemos nos esquecer da importância de fazer um debriefing das atividades de conversation. Precisamos saber com os alunos como eles se sentiram, que áreas sentiram mais dificuldade, quais se sentiram mais confortáveis e se usaram a target language ensinada. Dessa forma aumenta tb o sense of achievement

Valeria Benevolo França Bom, faltam 10 minutos para o fim. O que acham que é o aspecto mais complexo da correção na sala de aula. Vamos lista aqui?

Juan Alberto Lopez Uribe Bonito o depoimento Shirley Rodrigues

Kelly Amorim Pessoal, preciso ir…foi maravilhosa a troca de hoje…boa noite a todos!

Valeria Benevolo França Boa noite Kelly.

Roseli Serra Quem tem uns projetos assim de gravar alunos e usar plataformas como EDMODO, por exemplo é minha maiga Ana Maria Menezes da CI de Uberlânida. Ela faz coisas impressionantes com tecnologia, e oral correction, incluido fluência e acuidade!

Juan Alberto Lopez Uribe Concordo plenamente Bruno Andrade. Isto é fundamental! Acho que aqui o professor pode devolver como ele ve o desenvolvimento da sala. Muitas vezes os alunos não percebem.

Roseli Serra Boa noite , Kelly Amorim

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite Kelly!

Claudia Martins Queridos preciso ir. Bjs e boa noite a todos.

Juan Alberto Lopez Uribe Erros fossilizados são um tema complexo.

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite Claudia Martins

Bruno Andrade Quase chegando ao final, quem gostaria de fazer o resumo?

Roseli Serra Bem Valeria Benevolo França, aqui no NE, uma das nossas dificuldades é lidar com a timidez dos alunos. Alguns odeiam ser corrigidos on the spot e outros ahcam que se comunicar ‘ na tapa” já está valendo. Pra muitos, fluencia é mais importante que acuidade.

Valeria Benevolo França Bom, quase no fim e abordamos diversos aspectos sobre oral correction.

Roseli Serra Boa noite Claudia Martins!

Juan Alberto Lopez Uribe Muito boa a discussão hoje!

Valeria Benevolo França Bom ponto Roseli Serra,e acho que muitos alunos vão identificar fluência com habilidade de conversação, não é?

Roseli Serra Assino em baixo Juan Alberto Lopez Uribe!

Claudia Martins ‎Roseli Serra beijo grande.

Roseli Serra Isso Valeria Benevolo França! Essas questões multicuturais de comportamento entre as diversas regiões do país influenciam o comportamento do nosso alunato, principalmente no aprendizado de uma segunda língua, muito mias do que imaginamos!

Shirley Rodrigues gente, gostei a discussão apesar de estar quase caindo em coma em cima do teclado! de tão cansada… vô parando por aqui antes que cometa algum erro…😛 (^^)´ bjks

Valeria Benevolo França Vamos precisar de alguem para fazer o resumo. Sugestões?

Roseli Serra Pra esses aluns que você mencionou Valeria Benevolo França, vejo muitos desistindo do curso no nível de PET porque acham que já sabem inglês usficiente pra s coomunicar bem com o mundo

Juan Alberto Lopez Uribe Sim, Roseli Serra. Vale a pena até pesquisar com os alunos sobre isto. O aluno também espera que determinada escola trate seus erros de forma especifica, pelo menos no imaginário nos alunos.

Roseli Serra Concordo Juan Alberto Lopez Uribe! Volto à needs analysis…rss

Bruno Andrade Juan, Josely, Shirley…. Quem fica com o resumo dessa vez? Rs

Valeria Benevolo França Para quem não conhece, nosso blog é um grande repositório de idéais e discussões: https://breltchat.wordpress.com/

Juan Alberto Lopez Uribe Bacana ler o texto que a Raquel de Oliveira separou para a gente. Ela postou logo antes do chat.

Roseli Serra Simsim, eu li!

Juan Alberto Lopez Uribe Vou dar a oportunidade para outros desta vez.

Valeria Benevolo França Bom gente, acho que chegamos ao fim hoje. Muito obrigada pela participação de todos e ao meu comoderador Bruno Andrade.

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado a todos pela participação! Foi muito estimulante. Uma hora super bem investida aqui no Breltchat! Obrigado a Valeria Benevolo França e ao Bruno Andradepela moderação.

Roseli Serra Thank you all, thank you Valeria Benevolo França andBruno Andrade! Tentarei estar sempre presente form now on! Prometo!

Valeria Benevolo França Boa noite a todos.

Roseli Serra ‎* from now on

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite a todos!

Roseli Serra Um super abraço pernambucano quentinho e beijocas em todos! Boa noite!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s