Mensagem a mensagem: Como nasce o professor de inglês – 18/10

O chat desta semana foi diferente: poucos participantes ( vale lembrar que era a penúltima noite da novela Avenida Brasil), mas o que surgiu durante nossa conversa foi muito rico e valioso. Partilhando o chat com todos vocês e vamos ficar super felizes em receber suas idéias e sugestões nos comentários deste blog post.

———————————

Valeria Benevolo França Olá gente, vamos começar em 5 minutos.

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite Raquel e Valeria!

Bruno Andrade Boa noite Juan! Bem-vindo!

Nina Ridd Where do we click to take part in it?

Juan Alberto Lopez Uribe Vamos lá Bruno!

Valeria Benevolo França Hi Nina Ridd aqui mesmo.

Nina Ridd Thank you!

Valeria Benevolo França Boa noite Juan Alberto Lopez Uribe

Bruno Andrade Então gente, como nasce o professor de Ingles? Como vocês se tornaram um? Que caminhos percorreram?

Nina Ridd Acredito que muitos tenham passado pelo mesmo processo que eu passei, de pais/professores notarem uma preocupação estranha em relação às palavras e à comunicação, aprender uma palavra em outra língua e acertar a pronúncia com facilidade, pegar sotaque quando viaja… mesmo enquanto criança… podem ser indícios de um potencial… o que acham?

Juan Alberto Lopez Uribe Comecei do zero. Para mim a minha primeira formacao foi essencial. Aprendi tambem muito pelo exemplo de outros professores e principalmente dos donos da escola. Tive sorte em comecar em uma escola séria.

Valeria Benevolo França Bom ponto Nina, então gosto pela língua é um primeiro ponto e depois vem a parte do gosto por lecionar?

Bruno Andrade Verdade Nina… Mas acho que a vontade vem sempre de dentro de nos mesmos. Se vier de fora não é autentico e acaba sendo passageiro.

Valeria Benevolo França Juan, então o aprender como um “aprendiz” é um modelo interessante, você acha?

Nina Ridd O gosto por lecionar, no meu caso foi inspirado pelos meus professores, eu me sentia muito bem quando via a alegria deles ao perceber nosso progresso, isso fazia eu me sentir tentada a fazer o mesmo.

Bruno Andrade Sua primeira formação vc diz graduação, Juan? Pra vc alguém só pode ser considerado professor quando sai da faculdade?

Juan Alberto Lopez Uribe Eu adorava e ainda gosto muito do inglês. Bom ponto! Acho que é bem mais dificil uma pessoa comecar se nao gosta da lingua.

Juan Alberto Lopez Uribe Fornacao inicial de professores na escola de ingles em que trabalhava Bruno.

Bruno Andrade Tb concordo. Sempre gostei da língua mas jurava pra mim mesmo que não seria professor pq não queria passar por tudo que via minha mãe passar. Não deu muito certo. Little did i know que ela sempre amou o q faz

Bruno Andrade Entendi, Juan.

Juan Alberto Lopez Uribe No momento que alguem ensina essa pessoa é professor. Ainda mais dentro de uma escola.

Nina Ridd Concordo, Bruno Andrade, a facilidade e o interesse estão nas crianças, mas cabe a quem as observa desenvolver uma sensibilidade em relação a isso para que sejam trabalhados os potenciais. Acredito que o estímulo ao interesse faz diferença no processo.

Juan Alberto Lopez Uribe Nao gosto do termo treinamento, pois o vejo um tanto depreciativo e alienante para um professor com P maiusculo.

Valeria Benevolo França Bom, me parece que todos nós tivemos esta mesma experiencia de assistir um colega e depois dar aula…então me parece também que este acaba sendo um modelo interessante de desenvolvimento “learn as you teach” vocês diriam que é quase indispensável em nossa carreira?

Valeria Benevolo França Concordo com você Juan Alberto Lopez Uribe que devemos diferenciar entre treinamento e desenvolvimento. Então, o “million dollar question” – será que tem algumas coisas que não sâo de fato treináveis? Exemplo: como é que aprendemos a dar instruções de uma forma eficaz?

Nina Ridd Sim, Valéria, pelo menos na minha carreira foi assim.

Bruno Andrade Acho que podemos sempre evoluir, Valéria. E apesar que o “Learn as you Teach” existe e é valido, o treinamento é essencial.

Juan Alberto Lopez Uribe Acho que sim Valeria. Assistir e ser assistido faz parte do oficio. Acho que um novo professor pode se desenvolver na relacao mestre-aprendiz ao mesmo tempo que vivencia outras formas o seu aprender a ser professor.

Bruno Andrade O que acham?

Nina Ridd Eu me sentia estranha por não criar nenhuma atividade quando comecei a dar aulas. Depois vi num documentário que isso é uma constante, até em música.

Nina Ridd Não existe nada COMPLETAMENTE NOVO, tudo o que se cria vem influenciado pelas crianções anteriores. Acredito que em todas as profissões/cursos seja assim o processo de criação.

Juan Alberto Lopez Uribe Otima pergunta Valeria! Acho que sim pode haver um treinamento, uma formacao maos diretiva em relacao a certos procedimentos. O meu receio é o treinamento que traz um modelo unico e o professor simplesmente o segue, sem poder refletir, criar, e tomar decisoes de acordo com seu contexto.

Valeria Benevolo França O que me chama muita a atençaõ que este processo de “mestre” e “aprendiz” exige bastante tempo para maturação..é mais lento, tem que ter tempo para digerir tudo, não acham? Ainda tem tempo para isso no mundo corrido de hoje onde “time is money”? Estou sendo advogada do diabo aqui, gent.

Bruno Andrade Que interessante vc fazer essa analogia entre profissões, Nina. Será que tanto em música quanto em Teaching somente treinamento, pratica, repetição que se atinge a “perfeição” (falta uma palavra melhor pra definir isso)? Ou será que o “dom” entre no jogo?

Nina Ridd Vou ser bem sincera. (Ops!) É ruim às vezes você escutar sempre, em todas as observações que “there is always room for improvement”, mas só é ruim porque é uma verdade BEM GRANDE. Mas que dá desânimo, dá de vez em quando.

Juan Alberto Lopez Uribe Valéria, acho que o mestre-aprendiz acontece na formação contínua na relação com o coordenador. Na formação inicial um processo mais diretivo traz mais resultados. Mas sempre gosto de pensar com os novos educadores, colocá-los para refletir.

Nina Ridd Eu às vezes esqueço que nem meus professores que eu mais amava eram perfeitos. Porque pra mim, eles eram.

Juan Alberto Lopez Uribe Nina, acho que criam-se sim coisas novas em uma área ao transpormos experiências em outras áreas para ELT. Conheço uma pessoa que criou um método que se chama Psicodrama Linguístico, onde trouxe seu conhecimento do Psicodrama para a educação.

Valeria Benevolo França Iih Nina Ridd mas infelizmente, sempre teremos algo que possa ser melhorado. Primeiro que o olhar do observador, se for uma pessoa diferente cada vez, vai ver coisas de uma forma diferente…cada um sempre vai ter sua quedinha por certas práticas e maneiras de fazer as coisas, e depois porque de fato sempre podemos melhorar…num bom sentido. Eu sei que hoje se fosse dar aula qualquer colega seria capaz de identificar algo que eu poderia fazer melhor…more than natural.

Nina Ridd Sim, Juan, o que eu quis dizer, é que ela com certeza leu sobre drama, teatro, técnicas, sobre psicologia, e sobre linguística, se inspirou em muita gente e criou em cima do que existe. Entende agora o que eu quis dizer?

Juan Alberto Lopez Uribe Que bom que algo pode ser sempre melhorado. Somos imperfeitos e estamos sempre em processo de criação. Isto nos dá vida!

Juan Alberto Lopez Uribe Sim Nina, entendi!

Bruno Andrade Concordo, Valéria. Eh um processo tão subjetivo. Mas não podemos negar que eh uma das armas mais poderosas quando ambos observador e observado estão de abertos as sugestões

Juan Alberto Lopez Uribe Na minha experência na escola, tenho sempre tido modelos de formação PPP com módulos, prática com alunos não pagantes e depois supervisão intensa nas aulas iniciais. Vcs têm experiências diferentes?

Nina Ridd É natural mesmo, hoje, depois de 10 anos de sala de aula, eu sou mais tranquila, percebo o tal “room for improvement” em muito mais coisas do que a sala de aula… esse “room” tem vindo pra mim atualmente como um estímulo para não para de estudar.

Valeria Benevolo França Isso, se pensarmos em nossos professores que nos inspiraram para ser educadores, vou lembrar de momentos ruins também ans aulas deles, mas o que fica é que eles me ajudavam a crescer, e no fim isso é uma aspecto mais forte.

Bruno Andrade Nosso antigos professores tem grande influencia na nossa carreira. Tanto os bons quanto os ruins.

Juan Alberto Lopez Uribe Gostaria de desenvolver algo mais holistico em cima das indagaçoes do grupo, mais Dogma, mas fico com receio de não dar conta de todo o conteudo. Vcs já pensaram nesta possibilidade?

Nina Ridd Explica melhor o Dogma, Juan? Não entendi direito.

Bruno Andrade Dogme eh com a Valéria! Eu acho que é grande desafio. Muito pelo sistema educacional que nos encontramos.

Juan Alberto Lopez Uribe Dogma é uma linha de ensino em que se valoriza muito o momento real com o aluno e usa-se o que existe na sala. Busca-se uma relação mais autêntica e menos pasteurizada. Me ajude Valéria, por favor.

Valeria Benevolo França Juan Alberto Lopez Uribe eu tenho cada vez mais trabalhado com o desenvolvimento de professores com uma base dialógica…amanhã mesmo vou ter uma sessão com os mentores (trabalhamos com cascade teacher development) e iremos abordar error treatment and monitoring dentro de uma sessão dialógica usando Open Space…o diálogo irá trazer as opções e soluções para dificuldades e assim podemos refletir em questões de desenvolvimento profissional.

Nina Ridd Ah, Dogme Language Teaching? Saquei, achei que estávamos falando dos DOGMAS da linguística aplicada, agora peguei o fio da meada, obrigada!

Juan Alberto Lopez Uribe Me conta mais! Acredito tanto neste caminho, ele modela muito a relação que queremos ter com os alunos, os professores tem formação na forma e no conteúdo!

Valeria Benevolo França Agora, acho que uma abordagem “unplugged” com alunos vai depender de várias questões, inclusive as políticas institucionais, os desejos de cada professor, uma vontade de fazer algo fora da zona de comforto…tudo isso, e não é tudo mundo que está pronto para isso ou gostaria de tentar. Mas eu acho uma experiência super válida.

Nina Ridd Thornbury na veia me lembra muito a Paula Colaço, todo exemplo que leio me traz à memória as práticas dela de sala de aula.

Juan Alberto Lopez Uribe Open Space é uma ferramenta online?

Bruno Andrade Pois eh, Valéria. Ao meu ver o dificuldades maior de ensino mais dialogico, mais holistico, mais Dogme o sistema ainda tem que mudar. Concepções tem que ser mudadas. Atitudes tem que ser repensadas…

Valeria Benevolo França Open Space technology é um formato de encontro/reunião onde o encontro acontece de forma orgânica, baseada nas pessoas e o que eles trazem para o espaço:http://en.wikipedia.org/wiki/Open-space_technology

Juan Alberto Lopez Uribe Vocês têm tido experiências de flipping na formação inicial? Acho que isto já é uma tendência, de pedirmos para os professores lerem ou assitirem um video antes das sessões. A questão é que nem sempre todos se preparam.

Nina Ridd Na minha formação universitária sim.

Valeria Benevolo França O criador é Harrison Owen e dentro de ELT OS tem sido muito usado nas reuniões em IATEFL e outros encontros. É muito interessante: http://en.wikipedia.org/wiki/Open-space_technology

Valeria Benevolo França Sorry wrong link:http://www.bkconnection.com/ProdDetails.asp?ID=9781576757758

Valeria Benevolo França Eu não tenho experiência de flipped classrooms, Bruno Andrade ja tentou?

Nina Ridd Na Cultura, atualmente no nosso grupo de estudos, mediado pela nossa mentora Livia, temos de nos preparar para as sessões com leitura e tem dado certo. Mas já fiz outros cursos em que as pessoas não liam e/ou enrolavam.

Juan Alberto Lopez Uribe Penso em um sistema de formação em que o centro da formação seja a observação de muitos professores, muitas aulas supervisionadas, seguidos de reflexão e dialogo com o coordenador. Os modulos seriam dados quando o professor/coordenador sentem a necessidade. Estes poderiam ser até online.

Bruno Andrade Já tentei sim. Na faculdade com um grupo de amigos. Coisa experimental no curso aberto a comunidade. Foi bastante interessante

Valeria Benevolo França Pois é Nina Ridd faz toda a diferença quando o grupo é comprometido e se prepara, e então as discussões acontecem em outro nível.

Nina Ridd Inclusive o fato de que a criação do grupo foi feita graças à vontade dos professores foi o que nos manteve lendo sem reclamar de nada. hahaha!

Bruno Andrade Poxa Nina, de onde vc eh? Que maravilha!

Valeria Benevolo França Legal a proposta Juan Alberto Lopez Uribe.

Bruno Andrade Eu sempre tento envolver os profs da minha filial, mas nenhum se prontifica.

Bruno Andrade Que barreira há? (Hoje sabemos que foi a novela. Rs)

Nina Ridd De Brasília, da filial da Asa Sul, essa ideia é recente, mas garanto que temos experienciado muito do que o Juan ta mencionando aqui. O open-space já foi usado, o Flipping é necessário para alguns encontros… a Lívia ia saber explicar melhor.

Bruno Andrade Muito bacana! Estão de parabéns!

Juan Alberto Lopez Uribe Na universidade funciona. No meu mestrado tivemos discussões ótimas onde a professora usava as nossas indagaçoes, que mandavamos antes da aula por e-mail, para conduzir as discussões. Foi maravilhoso! Ela usava as nossas palavras no discurso dela e nos guiava com muita graciosidade. Eu me senti sempre muito envolvido e valorizado. Ai de alguém se nao lesse, boiava mesmo.

Nina Ridd Eu ainda sou leiga nessa terminologia. Sorry,

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado pelo link do Open Space Valéria! Amanhã vou estudá-lo.

Valeria Benevolo França Este é um bom ponto Juan que me fez pensar…falamos que as pessoas não acompanham etc, mas se o professor de fato insiste e instiga, não acabamos cedendo e seguindo o modelo e fazendo o trabalho? Talvez.

Nina Ridd No meu é assim que as aulas acontecem. Temos de entregar um paper sobre cada artigo lido antes da discussão começar. Quem não entrega nem entra na sala. hahahahaha! #radicalismonauni

Juan Alberto Lopez Uribe Penso que para termos um bom professor, a seleção é fundamental. O que vocês buscam em um professor durante a entrevista e durante a formação inicial?

Juan Alberto Lopez Uribe Não entendi claramente o seu ponto Valéria. Vc me explicaria melhor?

Nina Ridd Eu acredito que o processo de profissionalização dos iniciantes deve ter muita observação de aula. Simplesmente para desenvolver segurança e costume com o ambiente.

Valeria Benevolo França Bom, eu sempre busco um bom nível de língua, o brilho no olho, o conhecimento que aquele profissional poderia ter diante do tempo de experiência que tem (se for recem formado, ´o que um recem formado pode trazer e se tiver 10anos de experiência, espero ver este indício) e habilidade de refletir sobre a prática.

Bruno Andrade Vc fala o iniciante observar mais experientes ou um mentor observar o iniciante? Qual deve ser o peso entre as duas formas, Nina?

Valeria Benevolo França Acho que observar aula e ser observado é algo muito rico mesmo…sei também que é um momento tenso…mas acho que é uma maneira bem boa de tentar entender “the bigger picture”.

Nina Ridd Eu entrei na sala de aula quase que somente com a minha memória dos meus professores, eles viraram quase uns arquétipos religiosos na minha cabeça. Quando eu entrava em sala, me inspirava neles, porque não tive treinamento muito hands-on, não me sentia calma.

Juan Alberto Lopez Uribe Valorizo também a língua e o brilho no olho. Gosto de gente interessante, que gosta de gente. Muitas vezes estas pessoas não são as pessoas que fizeram letras ou pedagogia.

Bruno Andrade Pedagogia do Oprimido do Freire, Juan. Muito bom vc pensar assim

Nina Ridd Bruno, as duas coisas, se possível, mas acho que o iniciante deve entrar em sala mais vezes do que só nas próprias aulas, para observar muitas aulas.

Juan Alberto Lopez Uribe Paulo Freire está tão dentro de mim, que já nem mais percebo.

Valeria Benevolo França Verdade Juan Alberto Lopez Uribe, embora eu tenho visto cada vez mais candidatos de Letras também…mas eu mesma não sou formada em letras, vim de pedagogia e História…a nossa área agrega profissionais que vieram de outras áreas e se encantaram pelo ensino da língua inglesa…mas depois acho importante formalizar o conhecimento e adquirir algumas qualificações também.

Juan Alberto Lopez Uribe Gostei da tua pergunta sobre o peso do observar e ser observado Bruno. Acho que isto se constrói na confiança com o novo professor. Dar a ele/ela a possibilidade de conhecer/ser conhecido é o começo de uma ótima relação.

Nina Ridd As qualificações ajudam muito em muitos aspectos, pessoais e coletivos, mas tem algumas áreas intimamente relacionadas com a educação que me faz ver a utilidade de profissionais de áreas diferentes no dia-a-dia da escola, uma das melhores professoras que eu já vi dá aula na minha filial e é psicóloga de formação.

Juan Alberto Lopez Uribe Concordo plenamente Valéria. Os conceitos pedagógicos são fundamentais para uma atuação institucional alinhada. Todos têm que poder sentir, ver e falar a mesma língua compartilhada. E não me refiro ao pedagogês. Pelo contrário, quanto mais claro melhor.

Juan Alberto Lopez Uribe Essa troca é super bacana Nina! Na escola temos fono, psicologa, sociologo, pedagogas, historidores, etc. A troca é intensa e consegue-se harness collective intelligence.

Nina Ridd Ela sempre nos mostra um viés de interpretação de um aluno, de uma dificuldade, de um conflito que não conseguimos exergar sozinhos. Fico me perguntando, como teria sido minha vivência (e a de outros) sem essa abertura ângulo de visão. Uma escola com profissionais variados por um lado perde o foco acadêmico inicial, mas por outro talvez traga a multidisciplinaridade na sua forma mais bela e eficaz.

Valeria Benevolo França E eu acho que esta diversidade na nossa área é uma das coisas que torna a nossa interação e trabalho tão rica…e se pensarmos, nós acabamos tendo que lidar com uma variedade de tópicos absurdo em sala de aula…e isso é bem instigante.

Juan Alberto Lopez Uribe Vcs têm experiência tendo parte da formação online na formação inicial?

Bruno Andrade na Cultura a extensão do treinamento inicial eh feita online. Funciona muito bem, Juan.

Juan Alberto Lopez Uribe Caberia bem na parte de flipping a formação.

Nina Ridd Eu já fiz 2 cursos online na minha capacitação profissional, os dois utilizando a plataforma moodle, que para uma pessoa que não teve uma educação digital das melhores, foi relativamente simples de manusear.

Juan Alberto Lopez Uribe Bacana Nina. Estou estudando Moodle agora no meu curso.

Valeria Benevolo França Sim Juan Alberto Lopez Uribe nós buscamos o desenvolvimento presencial ao lado dele feito online…mas não acredito que ele feito somente online é a melhor opção…alias, eu tenho buscado uma abordagem “minimalista” – one to one quase, estou muito impactada coma dificuldade das pessoas acharem o tempo para se relacionarem face to face….e acho isso tão importante.

Juan Alberto Lopez Uribe Que bom Bruno. Acho que é um super recurso se bem utilizado.

Nina Ridd Exato, Bruno Andrade, eu lembrei do Induction e do Inset. A melhor parte pra mim foi experienciar uma intimidade de pensamento, de viés filosófico com alguns seres que moram longe e nunca nos vimos ao vivo, alguns se tornaram meus amigos online e continuamos discutindo…

Juan Alberto Lopez Uribe Blended é um excelente caminho. A presença olho no olho é muito forte. O poder estar realmente com o outro é uma experiência única.

Bruno Andrade Queridos, vamos chegando fim do chat… Muito bom trocar com vocês!  voltem sempre e espalhem o amor que vcs tem com a profissão!

Juan Alberto Lopez Uribe Interessante NIna este lado que você coloca. As vezes o online traz disto.

Juan Alberto Lopez Uribe Foi muito bacana, como sempre é, estar aqui com vocês.

Juan Alberto Lopez Uribe Que bom que podemos sempre compartilhar o que discutimos.

Valeria Benevolo França Hoje foi uma discussão intimista e bem gostosa, bom ter esta oportunidade de trocar idéias assim. Muito obrigada Nina RiddJuan Alberto Lopez Uribe e Bruno Andrade, foi ótimo mesmo.

Nina Ridd Obrigada. Deixou food for thought pra minha cabeça… obrigada mesmo. Boa noite pra vcs!

Juan Alberto Lopez Uribe Compartilhar com os membros que não puderam participar.

Valeria Benevolo França Vou subir tudo no nosso blog. Depois é só divulgar. Boa noite.

Bruno Andrade

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado a vocês, Valeria Benevolo FrançaNina Ridd, e Bruno Andrade! Boa noite!

Bruno Coriolano Vixi… Já vi que cheguei depois da festa já ter acabado….

Bruno Andrade  Bruno! As 22:00

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s