Follow-up do BrELT Chat de 09/04/15: entrevista com a Priscilla Santos

De professor a diretor

No dia 09/04/15, conversamos no BrELT Chat sobre a transição de professor para administrador do ramo da educação, seja diretor de escola, gerente de filial de curso ou dono do próprio negócio. Tivemos a sorte de contar com gente que já passou (e muito bem!) por essa experiência: a Karin Heuert Galvão e a Priscilla Santos. Agora é a Prix que nos cede gentilmente esta entrevista, em que compartilha valiosas lições que a gerência lhe ensinou. E ela reforça: não é só o seu trabalho, é o trabalho da equipe.

*******************************************************

1) Como você se tornou uma administradora no ramo da educação?
De fato, uma coisa levou à outra. Acredito que foi o ciclo natural dada a minha personalidade. Sempre assumi papéis de liderança nas equipes com as quais colaborei. A minha conduta especialmente em situações de crise inspirava segurança; portanto, à medida que fui me desenvolvendo profissionalmente, lendo, colaborando, treinando professores, aprendendo e aperfeiçoando a minha prática, a oportunidade surgiu. Foi o reconhecimento de um trabalho – EM EQUIPE – bem feito!

2) Quais foram as principais dificuldades que você encontrou na transição de professora para coordenação?
A primeira situação-problema é a de lidar com aqueles colegas que agora se tornam subordinados a você. Se não ficar bem claro que são novos papéis, mas que o trabalho em equipe vai se manter e, o mais importante, no respeito vai continuar existindo, o problema se torna maior que o necessário. Lidar com o ego das pessoas não é fácil, e, não importa em qual área estejamos, vai sempre haver aquele colega que não está feliz ou satisfeito com o seu crescimento. É desse colega que precisamos cuidar com carinho e mostrar que, sim, há uma hierarquia de respeito, mas não há uma guerra – estamos todos do mesmo lado, trabalhando em prol da boa educação e do crescimento dos nossos alunos – nosso também! Lidar com o nosso ego também não é fácil! Precisamos ser firmes, mas educados, sérios, mas não carrancudos. Não podemos sair passando a mão pela cabeça, mas não devemos sair distribuindo punições para todos os lados… Como falei em uma das plenárias sobre o assunto: ‘De uma hora para outra você deixa de ser um dos sete anões para ser a Bruxa Má… Muitos colegas não te enxergam como a Branca de Neve.’

3) No que sua experiência como professora ajudou?
Principalmente por conhecer as necessidades da sala de aula, dos alunos e dos professores, as tomadas de decisão eram feitas de forma mais segura, na grande maioria das vezes de forma acertada e bem pesada para todas as partes envolvidas. Além disso, o costume de sempre refletir sobre a minha prática se tornou um exercício válido no dia-a-dia de gerência e coordenação.

4) Que habilidades novas você precisou desenvolver? Como fez para adquiri-las?
Rotina. Embora, enquanto professora de pequenos, a gente sempre preze pela rotina, desenhar um padrão para gerir um escola não é tão fácil. Aprendi a importância de fazer mini reuniões diárias com a recepção para acompanhar o desenrolar do dia, dos alunos, pais e colegas e aprender com os erros e experiências positivas. Na nossa escola, todos nós – desde o senhor da portaria até a responsável pela limpeza – tínhamos nossas tarefas e nos encontrávamos ao longo da semana para discutir como as mesmas estavam sendo desempenhadas, onde estávamos falhando e como podíamos melhorar: ajustando horários, revendo práticas, trocando ideias, buscando sugestões.

5) Que dicas você daria para quem está fazendo essa transição agora?
Não deixe subir à cabeça. Quanto mais próximo você estiver de TODOS do time, mais você será ouvido, mais a equipe vai contribuir e melhores serão os resultados. Não é uma questão de chefia e sim de assumir responsabilidades e delegar. Treine sua equipe, delegue e confie!

6) Mais alguma coisa que você gostaria de dizer à comunidade?
Acredite e seja persistente. Cuide dos seus colegas da mesma forma que cuidamos dos nossos alunos: incentivando-os, direcionando-os e os deixando à vontade para seguirem sem suporte aos poucos. Isso vai tonar o seu trabalho mais leve, mais ágil e mais feliz!

*******************************************************
IMG_20150121_154912Priscilla Santos (BA in Language Teaching, CELTA, DELTA), Prix, as she’s mostly known, started her teaching career in Salvador, where she worked as a teacher, teacher trainer and academic coordinator at a number of LTOs. In 2008, she moved to Fortaleza, to continue her work as a teacher/teacher trainer, and soon become the branch coordinator of Cultura Inglesa Via Sul. Two years ago she was invited to join Pearson Education as an academic consultant. Just a few months ago, she decided she had ended her ELT Cycle and is moving on to pursue a new dream career – she is going to Med School.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s