Entrevista com Nayara Bernardes sobre o M.A. in Applied Linguistics na Trinity University (Irlanda)

IMG_6868.JPGCelebrando o dia de São Patrick, entrevistamos a goiana Nayara Cordeiro Bernardes, que está cursando um M.A. em Linguística Aplicada na Irlanda. Nayara já atua como professora de Inglês há mais de 10 anos no ensino público e particular e também tem experiência em treinamento de professores. Formada em Letras/Inglês, possui especialização em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Goiás e CELTA. Mas a vontade de aprender só cresceu, e ela foi buscar um novo desafio do outro lado do oceano e conta para nós essa experiência.

1) Primeiramente, gostaríamos de saber um pouco mais de você como professora. Em que contexto(s) você atuava no Brasil?

No Brasil eu atuava em dois contextos totalmente diferentes. Sou professora concursada pela prefeitura de Goiânia e pelas manhãs ensinava inglês para crianças entre 9-12 anos. No momento estou de licença por interesse particular. Trabalhei também por sete anos na Cultura Inglesa, onde fui aluna, monitora, professora e também mentora.

2) Como você ficou sabendo desse programa de pós-graduação? E por que você escolheu cursar o M.A. nessa universidade especificamente?

Desde que terminei minha especialização em Linguística Aplicada, pensava em fazer um mestrado fora do Brasil, mas fui deixando esse plano de lado. Em 2014, fui para a Irlanda para um ano sabático, para vivenciar de perto a cultura de um país de língua inglesa. Durante esse ano, comecei a pesquisar sobre mestrados no país, já que a Irlanda já havia ganhado meu coração, e o primeiro nome que me veio à mente foi a Trinity College, por ser considerada uma das melhores universidades do mundo. No processo de escolha do curso, fiquei em dúvida entre o mestrado em ELT ou Linguística Aplicada. Optei pelo último. Fui aceita em 2015 e concorri a uma bolsa, mas não consegui. A minha oferta foi deferida para o ano seguinte. Voltei para o Brasil, trabalhei duro, poupei, vendi o carro e voltei para fazer o curso em 2016.

3) Por que você escolheu Linguística Aplicada em vez de ELT?

Eu me apaixonei pela área de Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas quando fiz a especialização. Na hora de decidir sobre qual mestrado fazer, pensei primeiramente em ELT, mas quando li a ementa do curso, percebi que pouco seria novo pra mim, e as matérias que mais me interessavam também estavam presentes na grade de Linguística Aplicada , com a possibilidade de aprofundar mais em aspectos da aquisição de Língua, que é uma área pela qual tenho muito interesse.

4) Como o programa desse M.A. é organizado?

O mestrado tem duração de um ano e é regime integral para os alunos que não são europeus. O curso é dividido em três períodos: o primeiro inicia em setembro e vai até meados de dezembro, com um mês de recesso para escrever os trabalhos do primeiro período. Nesse período tive as seguintes disciplinas: Second Language Curriculum Planning and Implementation, Describing Grammar, Research Dissertation e a disciplina eletiva de Technology Language and Communication. O segundo período iniciou em janeiro e vai até abril, quando encerram as aulas do mestrado  As disciplinas desse período são: Language Acquisition, Pragmatics e Language Testing. Em maio teremos um mês para escrevermos os trabalhos do segundo período. O terceiro e último período inicia-se em maio e vai até agosto, momento esse para coletar os dados, analisar e escrever a dissertação.

5) Como foi o processo seletivo da universidade?

O primeiro passo para o processo seletivo foi fazer o IELTS, já que para ser aceito é necessário apresentar comprovante de proficiência. A nota mínima para ser aceito no mestrado da Trinity é 6.5. Outros testes de proficiência como o TOEFL, CAE e CPE também são aceitos. O processo seletivo ocorre todo online com vários formulários a serem preenchidos e documentos a serem enviados. Além do teste de proficiência, há a necessidade de apresentar o histórico acadêmico e diplomas (no caso, eu enviei tanto o da minha graduação em Letras quanto o da minha especialização em Linguística Aplicada) devidamente traduzidos oficialmente. Também é necessário fornecer o contato de duas referências acadêmicas para que a universidade entre em contato com eles. Por fim é preciso enviar seu currículo atualizado. Após enviar sua candidatura, eles fazem uma análise e enviam a resposta por e-mail.

6) Como está sendo a experiência numa universidade estrangeira?

Tem sido uma experiência incrível, tanto na questão de conhecimento acadêmico quanto humano. No primeiro período tivemos a oportunidade de nos dedicarmos a fundo ao tema currículo, tanto em teoria quanto na prática. Tivemos oportunidade de criarmos um currículo levando em consideração aquilo que havíamos estudado em sala e baseado nas leituras. Temas instigantes como “learner centeredeness” e “learner autonomy” me fizeram refletir bastante a minha prática. Outra disciplina fascinante, porém muito desafiadora, foi Describing Grammar, na qual tivemos a oportunidade de estudar sintaticamente várias línguas e ao final escolhemos uma língua para descrevermos que não fosse nem nossa língua materna e nem inglês. Não foi fácil, mas ao fim obtive uma boa avaliação. Em relação aos professores, todos são muito acessíveis e solícitos.

A universidade em si proporciona aos alunos uma série de recursos desde apoio psicológico, academia, sala de leitura exclusiva para pós-graduandos com acesso livre por 24 horas, ajuda na escrita do cúrriculo e dicas para entrevistas de trabalho, palestras em diferentes temas como: planejamento da dissertação,  procrastinação, preparar e apresentar trabalhos orais e outros.

Por ser uma universidade multicultural, é muito rica a experiência de conviver diariamente com pessoas de diferentes países. Na minha turma algumas das diferentes nacionalidades são: chineses, espanhóis, americanos, irlandeses, vietnamitas, dentre outras. Conversamos sempre e aprendo diariamente sobre a cultura deles, como diferentes celebrações, comida, hábitos, etc., e é claro que ensino sobre a minha cultura também. E dessa forma aprendemos a conviver tranquilamente com as nossas diferenças.

7) Em que sentido você considera que essa experiência pode impactar sua carreira e sua prática pedagógica?

Quando você faz mestrado ou doutorado aqui na Irlanda, você tem direito de se candidatar para mais um ano de visto para tentar trabalhar na sua área. Inicialmente gostaria de tentar essa possibilidade, visto que tenho curiosidade de ter experiência de trabalhar com inglês como segunda língua. Sei que é um plano ambicioso, mas não custa tentar, afinal conheço professoras brasileiras que dão aula nesse contexto por aqui. Após isso, tenho interesse em tentar me aventurar pela área acadêmica e quem sabe tentar o doutorado em um futuro não muito distante. Em relação à minha prática pedagógica, acredito que umas das práticas que pretendo com certeza adotar é ajudar a  desenvolver a autonomia dos meus alunos para que eles se tornem mais ativos em seu processo de aprendizagem e dessa forma possam alcançar resultados mais satisfatórios.  Saber mais sobre o processo de aquisição de língua e segunda língua com certeza irá influenciar na minha prática, pois é necessário refletir sobre o processo e levar em consideração  as variantes individuais dos alunos e a influência da primeira língua (e a importância dela também).

8) Você já verificou a questão da revalidação de seu diploma? 

Eu pesquisei superficialmente sobre o processo de revalidação e, pelo que vi na época, tenho grandes chances de conseguir a revalidação, por ser um mestrado que existe no Brasil, pelo prestígio da universidade e a questão das horas também, já que, apesar de estar fazendo o mestrado em um ano, faço em tempo integral, então seria como se fossem dois em um. Mas certeza que será aprovado não tenho, só terei quando aplicar para o reconhecimento.

9) Que dicas você pode dar para quem quiser trilhar o mesmo caminho?

Fiquem sempre atentos às bolsas de estudo oferecidas, façaIMG_6590.JPG pesquisas constantes, pesquise sobre o país onde o curso que você tem interesse é realizado porqu
e você precisa se identificar com o país (cultura, clima, etc.) em que irá estudar, caso contrário, será um ano de experiência negativa. Caso não consiga uma bolsa, economize, invista no seu sonho, pois vale muito a pena. Não há dinheiro que pague a realização desse sonho. Eu estou muito contente com a minha decisão.

10) Gostaria de deixar um recado para seus fellow BrELTers?

Pode parecer um sonho distante fazer mestrado em outro país. Eu também pensava assim, mas não é. Pelo contrário, é totalmente possível. Temos mestrados incríveis no Brasil de muita qualidade, mas se além de aumentar seus conhecimentos acadêmicos, você estiver interessado em imersão cultural e linguística, recomendo o mestrado em algum país de língua inglesa.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s