Entrevista com Luis Henrique Andrade sobre a pós-graduação da UFMG

14542558_1300554173297438_5839365795611797576_o.jpgOs BrELTers estão sempre querendo saber de cursos para desenvolvimento profissional, então volta e meia surgem perguntas sobre as diferentes especializações disponíveis no Brasil. Luis Henrique Andrade, um BrELTer muito gentil e participativo, está fazendo o Curso de Especialização em Ensino de Inglês: abordagens contemporâneas (CEI) da UFMG e nos conta sobre sua experiência por lá.

Bio: Luis Henrique Andrade é formado em Letras e possui certificados TKT, FCE e TESOL. Professor há quatro anos e examinador Cambridge KET, ele trabalha na Wings de Leopoldina, além de cursar a pós. 

1. O que levou você a decidir fazer uma especialização? 

Creio que todos nós devemos sempre nos aprimorar, aprender mais. Nunca sabemos tudo. Por isso resolvi fazer uma pós-graduação, pois seria uma oportunidade de grande crescimento profissional e que iria desenvolver muito como professor.

2. Por que você escolheu essa pós na UFMG? 

Estava procurando por uma pós que fosse online ou semipresencial. Achei a pós na UFMG e na PUC Minas. Fiz a seleção para ambas, mas optei pela UFMG pela ementa, as disciplinas e também pelo trabalho de conclusão de curso – duas unidades de um livro didático – pois é uma coisa prática e que falta na nossa formação: saber como preparar material, pois não há nenhum perfeito. Sempre há necessidades de adaptação, modificação de acordo com as necessidades dos alunos.

3. Como a pós é estruturada e quais são os critérios para aprovação?

A pós é no modelo semipresencial. As disciplinas presenciais são no período das férias – janeiro e julho – e durante o semestre temos as disciplinas online. Os critérios para avaliação e aprovação variam de professor para professor: alguns pedem seminários outros pedem prova ou trabalhos por escrito. A pontuação mínima para aprovação é de 60 pontos.

4. Quais as matérias que você cursou? 

As disciplinas cursadas foram: ensino de gramática, gêneros escritos, gêneros orais, fonética, bilinguismo, aquisição de segunda língua, tópicos especiais de ensino de língua, pesquisa em ensino de inglês, uso de tecnologia dentro de sala de aula, produção de material, pensamento crítico e letramento no ensino de inglês, e avaliação no ensino de inglês.

5. Como essa pós ajudou/vai ajudar na sua prática pedagógica? 

Como eu disse anteriormente, o teor prático da pós me ajudou e irá ajudar ainda mais na minha prática docente. Primeiro a possibilidade de elaborar meus próprios materiais e assim personalizar as aulas de acordo com as necessidades dos meus alunos, ou ainda adaptando os materiais utilizados pelo curso. Além disso, com as constantes discussões sobre pensamento crítico e letramento, tenho a possibilidade de incluir algum ponto desse nível nas minhas aulas a fim de formar cidadãos com opiniões e senso crítico. E com as discussões de como ensinar gramática de maneira mais efetiva, poder melhorar o ensino e assim ter melhores resultados.

6. Alguma mensagem que você queira deixar para os BrELTers?

Aconselho a todos que façam a pós na UFMG. Além dos professores serem excelentes e com uma dedicação extrema com o nosso desenvolvimento, possibilita a nós professores a ampliarmos nosso conhecimento para colocarmos em prática. Por ser no sistema semipresencial, não interfere em nosso trabalho e conseguimos conciliar os dois. É uma pós muito válida e o aprendizado que temos vai muito além das aulas, pois o contato com vários professores de diferentes cenários possibilita a troca de informação e experiências.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s