Resumo do BRELTchat (6/12/2012) 2012: nossas realizações, 2013: nossas resoluções

Olá amigos,

Temos que agradecer ao Juan Alberto Lopez Uribe (@jaluribe) por gentilmente ter redigido este maravilhoso resumo do último #BRELTchat de 2012.

Mas aproveitamos também para agradecer a todos os colegas no Brasil por terem participado ativamente do #BRELTchat, algo que nasceu em 2011 e podemos dizer com orgulho que terminou bem em 2012. Que 2013 seja um ano de muita conquista profissional e pessoal para todos. Vamos nos encontrar aqui em breve para partilhar nossas experiências, crescer profissionalmente e fazer novos amizades também.

Os moderadores do #BRELTchat

—————————–

2012: nossas realizações

Mudanças de vida, aprendizado, repensar a vida, o trabalho, viagens, publicações, certificações, gente nova, e maternidade! Foram muitas realizações em 2012. Parabéns a todos Breltchatters!

Prix Santos: esteve mais próxima das medias sociais, descobriu mais possibilidades, teve mais portas abertas e fez muitas viagens participando de congressos, cursos e palestra. Muita gente que era só uma ‘arrobinha’ virou gente F2F… Muitos contatos, muito aprendizado!!! Mas a maior conquista… Ser mãe! Teve DELTA, teve escola nova, cargo de coordenadora pedagógica, BrazTesol…

Natália Guerreiro: achou a principio que 2012 não foi um ano muito bom, mas percebeu o lado positivo de que estudou bastante em casa. Uma realização da Natália foi encontrar o nosso BRELTchat que a ajudou a refletir sobre as experiências com outros professores.

Juan Alberto Lopez Uribe: 2012 foi um ano de preparação para 2013. Conheceu muita gente, entrou forte nas mídias sociais, e ganhou força para seus novos projetos.

Graeme Hodgson: 2012 foi um ano de viagens em demasia…. literal e metaforicamente falando! Mas algumas de suas “viagens”… só quem esteve muito perto mesmo para acompanhar! Viajou na maionese… mas voltou! Feliz por ter concluído parte do DELTA.

Roseli Serra: passou por um tsunami, um terremoto, um vulcão, mas saiu inteira e vencedora! Renasceu como um fenix nordestina e está muitíssimo mais feliz agora. Ficou amiga de Juan, Raquel, Ramon, e outros. Tenho estudado muito! E o melhor é, parei de viver de passado. Muita coisa legal acontecendo! Ainda tem as consultorias por fora, um trabalho freelance q tem rendido bons frutos e frutos R$$$ Bem eu to de diretora de estudo, treinamento e desenvolvimento de um dos branches do Britanic, faço coordenção acadêmica noutro, to dando consultoria e aind to amando dar aula de tecnologia da educação na Universidade de Pernambuco como guest teacher! Ah outras coisa legal pra mim esse ano foi me tornar emoderator (com honra ) pelo British Council e ter oportunidade de moderar cursos com dois dos meus mais queridos amigos!

Elivan Souza Foi bom demais e 2013 já está se mostrando que será bom profissionalmente. Começou a filmar suas aulas já se preparando para o CELTA. Fez várias descobertas pessoais neste processo de auto-análise.

Raquel de Oliveira: Deu um giro de 180 graus… feeling good. Voltou para uma área que ama muito: o mundo editorial. Voltou a dar aulas na Educação Infantil, está trabalhando numa editora multinacional na parte de consultoria pedagógica, dando aulas na pós de Estudos da Linguagem, e com a consultoria via MEC… feliz! Nossa, a Raquel ainda teve seu DELTA em 2012.

Dayse A. Barbosa: Aprendizado!!!! Semeando!!! Esse foi seu ano na área de educação e também em outras áreas.

Patricia Mezack: Viveu oficialmente seu ano de homeschooling de sua filha. Está sendo a experiência mais magica de sua vida.

Ana Paula Cypriano Esse ano foi um ano para repensar suas práticas, aprender mais, questionar algumas de suas crenças em relação a EFL, rever seu papel em sala.

Cadu Souza 2012 foi super cool. Cadu teve um artigo publicado, apresentou no Braz-Tesol e ABCI, ganhou bolsas de estudo para fazer um curso de Critical Thinking pelo Depto de Linguística da Universidade de Oregon.
Marina Macedo: Em 2012 voltou a faculdade, o que ajudou a aprimorar métodos (especialmente com turmas de crianças). Marina se viu quebrando barreiras (recuperar aluno dado como reprovado), e conseguiu renovar sua motivação com a profissão tornando-se aluna novamente.

2013: nossas resoluções

Cursos, certificações, novas experiências, viagens, e muito viver estão nos planos dos BRELTchatters!

Cadu Souza: quer muito fazer o DELTA em 2013, mas agora seus planos mudaram. Ele vai fazer um curso de gestão de projetos para a certificação pelo PMO. Está assumindo, novamente, uma gerência de filial na CI. Pensa que o distance DELTA é uma excelente idéia!!!

Patricia Mezack: Quer terminar seu livro paradidatico…

Teresa Gomes de Carvalho: quer fazer o modulo 3 do delta e fechar este capitulo. Teresa também quer procurar novos desafios em 2013.

Elivan Souza: quer seu CELTAAAAAAAAAAAA. E um pouco de din din para comprar ice cream.

Roseli Serra: Irá para a IATEFL. Planos de ser feliz, viver o presente e aprender a sofrer só pelo que vale a pena.

Graeme Hodgson: Seu plano mor é: SER FELIZ!!! Para 2013: contratar uma pessoa para ajudá-lo com training, consultoria etc…. então menos viagens! Concluir o DELTA tb! Sofrer… só se for por amor!!! (por alguém, pela profissão, pela VIDA!)

Raquel de Oliveira Reconhecimento profissional, que é a chave para nos enxergarmos melhor e crescermos. Raquel também quer aprender mais sobre educação infantil.

Juan Alberto Lopez Uribe: quer começar a dar cursos no Brasil no ano que vem sobre o ensino afetivo de inglês para crianças. Juan quer também viajar dando cursos e conhecer gente interessante. Está desenvolvendo um portal de cursos sobre ensino afetivo por meio de e-learning para professores que dão aulas para crianças. Diz que está tudo no seu caldeirao borbulhando…

Marina Macedo: novas provas de proficiência, novos desafios com turmas de crianças. Isso só para o primeiro semestre.

BRELTchat: reconhecimento do grupo
O BRELTchat representa um importante espaço de acolhimento, apoio, desenvolvimento, e inspiração à comunidade de professores de inglês.

As palavras espontâneas do grupo confirmam!

Roseli Serra: Na fase do tsunami-terremoto-vulcaõ, eu sempre tive apoio inbox de muitos queridos que so conheço virtualmente e de todos os queridos daqui do BRELT que me deram fôlego novo. Cada palavra de carinho e apoio me fizeram renascer e me sentir valorizada! DE verdade, nosso grupo é uma bênção! Isto é uma maravilha! A gente troca experiências, aprende, ri e chora juntos! Nossa que legal! Que energia boa, meu povo!! Feliz de ter conhecido vcs em 2011/2012… obrigadão por toda esta troca e que venha mais em 2013!!

Juan : Adoro participar! Energia muito boa SEMPRE aqui no BRELTchat.

Raquel de Oliveira: quase uma terapia em grupo… todos unidos pela arte de ensinar/aprender!!

Elivan Souza: Lembro quando cheguei por aqui, pisando devagarinho e fui recebido com muito carinho por todos vocês.

Natália Guerreiro agradece a esta comunidade. Qd li estas frases num livro do Brumfit, pensei mt na Brelt.
“Because of the risk of distortion, all principles, generalizations, and examples derived from experience need to be thought about and discussed with fellow human beings; through such discussion we can reduce the risk of exploitation by anticipating ill effects and error by minimizing confusion or idiosyncratic interpretation”

Grande idéia de Raquel: Poderíamos pensar numa fala colaborativa sobre o BRELTCHAT em um congresso… que acham? seria “da hora”

Pedido de Valéria França: Vamos pensar em outras coisas que o nosso grupo e chat poderia fazer que gostariamos de ter? Que tal comentarem no blog?

E vamos interagindo aqui no Grupo… Oficialmente nosso chat voltará em Fevereiro. No entanto, convidamos a todos que comentem os posts de nosso blog: https://breltchat.wordpress.com/
Foi levantado desejo de nos conhecermos pessoalmente e São Paulo foi pensada como uma possibilidade. Vamos pensando juntos em 2013!

Agradecimentos

Valéria França: Muito obrigada por terem sido participantes tão preciosos em nosso #BRELTchat em 2012 e tenho certeza que vamos ter muito o que falar em 2013. Obrigada a Raquel de Oliveira por ter moderado hoje sozinha.
Bruno Andrade: Um super 2013 Pra vocês! Obrigado Raquel de Oliveira por cumprir esse missão! Tudo de bom!

2012: nossas realizações e 2013: nossas resoluções

Image 

Raquel de Oliveira Como foi 2012 para a gente, meu povo?

Raquel de Oliveira Juan Alberto Lopez Uribe, só postar aqui 

Roseli Serra Hey amores! Cheguei lindinhos!                          

Juan Alberto Lopez Uribe Bem-vinda Roseli, ótimo te ver aqui!

Raquel de Oliveira Roseli SerraElivan Souza , Graeme Hodgson,Natália GuerreiroPatricia Mezack , Dayse A. Barbosa

Prix Santos Quanto mais próxima das medias sociais, mais possibilidades, mais portas abertas… CPD total!!!

Natália Guerreiro tô com vergonha. acho q não foi um ano mto bom.

Raquel de Oliveira Prix Santos amaaaaaaada, e o filhote??? welcome!!

Raquel de Oliveira Natália Guerreiro, td defeito vira um efeito… meu lema, dear 

Juan Alberto Lopez Uribe Para mim 2012 foi um ano de preparação para 2013. Minha realidade é bem diferente, já que moro no Canadá.

Raquel de Oliveira Cadu Souza, kade tu, filho de Deus ??? 

Graeme Hodgson Foi um ano de viagens em demasia…. literal e metaforicamente falando!

Raquel de Oliveira Juan Alberto Lopez Uribe, sua mudança foi em 2012?

Juan Alberto Lopez Uribe Conheci muita gente, entrei forte nas midias sociais, e ganhei força para meus novos projetos.

Roseli Serra Eu passei por um tsunami, um terremoto, um vulcão, mas sai inteira e vencedora! Renasci como um fenxi e estou muito melhor e muitíssimo mais feliz agora.

Juan Alberto Lopez Uribe Eu vim para cá em 2010 Raquel de Oliveira, mas terminei meu mestrado neste ano.

Graeme Hodgson Tb to terminando o ano bem… UFA!

Elivan Souza Foi bom demais e 2013 já está se mostrando que será bom profissionalmente.

Raquel de Oliveira Minha vida deu um giro de 180 graus… feeling good 

Dayse A. Barbosa Aprendizado!!!! Semeando!!! Esse foi meu ano na area de educação… E nas outras tb. 

Raquel de Oliveira Roseli Serra, fenix do Nordeste!

Juan Alberto Lopez Uribe Que bom Roseli Serra! é isso aí asas de fenix para voar longe!

Raquel de Oliveira Graeme Hodgson, acompanhamos suas andanças via FB …

Natália Guerreiro o lado positivo este ano foi ter estudado bastante em casa msm, sozinha. mas principalmente foi esta comunidade aqui. refletir sobre as experiências com outros é mto necessário.

Roseli Serra Eu fiquei amiguinha de Juam Raquel, Ramon etc etc etc etc ! Fiz muito amigos super legais

Raquel de Oliveira Juan Alberto Lopez Uribe, sobre o que foi seu mestrado… Compartilhe!

Prix Santos Ian está aqui pegando no sono… Pra mim também,Graeme, muitas viagens… Congressos, cursos, palestras… Muita gente que era só uma ‘arrobinha’ virando gente F2F… Muitos contatos, muito aprendizado!!!

Graeme Hodgson Mas algumas das minhas “viagens”… só quem esteve muito perto mesmo para acompanhar! Viajei na maionese… mas voltei!

Raquel de Oliveira Eu voltei para uma área que amo muito: o mundo editorial… voltei a dar aulas na Educação Infantil, na Pós e ainda atuar como consultora via MEC… feliz!

Elivan Souza O Graeme Hodgson é quase uma lenda, né gente? 

Roseli Serra Issaê Natália Guerreiro! Tenho estudado muito! E o melhor é , parei de viver de passado. Muta coisa legal acontecendo Graças a Deus!

Raquel de Oliveira Natália Guerreiro, sharing IS caring!

Graeme Hodgson Feliz por ter concluído parte do DELTA… seguindo o exemplo de vcs, meninas! Raquel de Oliveira Prix Santose outros!

Raquel de Oliveira Nossa, ainda teve meu DELTA em 2012…Graeme Hodgson sendo meu hd externo…rs

Graeme Hodgson hahaha… Elivan… o Saci Pererê tb!

Juan Alberto Lopez Uribe Eu fiz um mestrado em educação na área de desenvolvimento humano e psicologia aplicada. Eu foquei o máximo que pude no ensino de línguas para crianças. Foi bem bacana, foi uma experiência bem diferente da que tive na PUC-SP. Tudo por aqui é provado com testes e estatística.

Cadu Souza Cheguei!

Elivan Souza E falando em DELTA, eu comecei a filmar as minhas aulas já me preparando para o CELTA. Morro de medo .

Roseli Serra Viva! Graeme Hodgson! CAda etapa ddo DELTA é um filho que basce vixe! è uma sensação tão boa né? Adorei ter passado por isso e conluido tudo! UFA!

Juan Alberto Lopez Uribe Nossa que bacana Raquel! O que vc faz como consultora do MEC?

Raquel de Oliveira interessante, Juan Alberto Lopez Uribe

Roseli Serra Oxe, Elivan Souza? Medo de que menino? Xa de coisa!

Cadu Souza Ligando o comp. iPad pro chat é ruim.

Juan Alberto Lopez Uribe Prix Santos, eu ainda sou arrobinha, né? Vamos ver se organizamos um curso aí em Fortaleza em 2013.

Raquel de Oliveira Elivan Souza, conte conosco!

Roseli Serra Ah sim ! Ainda tem as consultorias por fora, um trablaho freelance q tem rendido bons frutos e frutos R$$$$ 

Elivan Souza Super positivo esta idéia que tive de filmar porque me abriu os olhos e estou fazendo minha autoanálise. Também percebi que sou muito emotivo na aula e da forma que faço as correções soa como agressiva.

Natália Guerreiro Sinceramente, tenho mto agradecer a esta comunidade. Qd li estas frases num livro do Brumfit, pensei mt na Brelt.
“Because of the risk of distortion, all principles, generalizations, and examples derived from experience need to be thought about and discussed with fellow human beings; through such discussion we can reduce the risk of exploitation by anticipating ill effects and error by minimizing confusion or idiosyncratic interpretation”

Raquel de Oliveira Juan Alberto Lopez Uribe, supervisiono um projeto de ensino de Inglês na plataforma online aqui em minha cidade…

Raquel de Oliveira Cadu Souza :):):)

Prix Santos Elivan Souza!!!! O CELTA foi, sem dúvidas, o training que mais amei fazer… Não vá com medo, vá com vontade!!!! Confie no seu potencial e pergunte, pergunte muito sobre tudo… Tire o máximo que puder!!! É bom demais!!!!

Roseli Serra Que show Raquel de Oliveira!

Elivan Souza E os alunos também podem se olhar no espelho e verem como estão “atuando”.

Juan Alberto Lopez Uribe Que interessante Elivan Souza. Vou me filmar no futuro.

Graeme Hodgson To multitasking… revendo casamento da Bella e Edward na Telecine Premium! hahahaha

Roseli Serra MAs sabe o melhor? NA fase to tsunami-terremoto-vulcaõ, eu sempre tive apoio inbox de muitos queridos que so conheço virtualmente e de todos os queridos daqui do BRELT

Roseli Serra Esse grupo, e outros dos que faço parte, me deram fôlego novo, sabe?

Juan Alberto Lopez Uribe Raquel de Oliveira, eu estou me especializando em e-learning. Depois quero saber mais sobre esse programa. Sou curioso demais!

Natália Guerreiro exatamente! bota a gente pra estudar, pra pensar!

Roseli Serra Tua Cara Graeme Hodgson! Num tais jogando xadrez tb não, MININO? ;p

Elivan Souza Juan Alberto Lopez Uribe, você vai cair de costas quando começar a se autoanalisar.

Cadu Souza Gente, eu estou ‘saindo’ de sala de aula novamente…

Natália Guerreiro e eu quero saber onde vc está estudando, Juan Alberto Lopez Uribe, e tb estou interessada no q vc publicar.

Prix Santos É. Teve DELTA, teve escola nova, cargo de coordenadora pedagógica, BrazTesol… Muita coisa… Mas a mais importante tá aqui do meu lado agora…!!!

Raquel de Oliveira Elivan Souza, olhar para si é quase que uma cegueira de vaidades vencida… muito bom!

Roseli Serra Juan Alberto Lopez Uribe é usper crítico com ele mesmo Elivan Souza! NUm inventa mais coisa pra essa criatura não, pelamorde DEus! 

Juan Alberto Lopez Uribe Imagino Elivan Souza, tive cada revelação quando fazia psicanálise! Mas é bom, a gente ganha mais consciência, auto-controle, e confiança. Vale a pena.

Elivan Souza Roseli Serra, o Bjarne vai me comer vivo quando eu fizer o CELTA. Quero estar bem preparado porque eu não recebo críticas com bons olhos e além disto quem dá aula já há uns séculos como eu, está cheio de vícios o que torna o processo de feedback bem scary. Mas estou me preparando…

Cadu Souza 2012 foi super cool. Eu tive um artigo publicado, apresentei no Braz-Tesol e ABCI, ganhei bolsas de estudo para fazer um curso de Critical Thinkin Pelo Depto de Linguística da universidade de Oregon…

Roseli Serra oh yeahhhhhhhhhhhhhhhh teacher linda Prix Santos 

Raquel de Oliveira Cadu Souza, que farás , menino?

Juan Alberto Lopez Uribe Hahahaha, Roseli Serra, vc acertou em cheio!

Roseli Serra Bjarne só tem bocão! Adoro ele !

Raquel de Oliveira (Fabinho invadiu meu quarto pintado de Indio com um cajado na mao pedindo comida;;; risos Criei um alien!!!)

Juan Alberto Lopez Uribe Cadu Souza, vc também ganhou o concurso de melhor lesson plan, lembra?

Elivan Souza Gente, eu também vou confessar algo pessoal. Eu estou fazendo terapia cognitiva comportamental e isto tem me ajudado a entender os meus alunos e a ter mais paciência.

Roseli Serra Oxe Juan Alberto Lopez Uribe! Tu e Graeme Hodgsonmoram no meu coração de pijama! Sei o quanto vcs ralam e estudam!

Raquel de Oliveira claro, Juan Alberto Lopez Uribe!!

Cadu Souza Raquel, estou assumindo, novamente, uma gerência de filial na CI

Cadu Souza Verdade Juan Alberto Lopez Uribe!

Elivan Souza Verdade! o Cadu Souza é o nosso herói. :0

Roseli Serra Aêe seu Cadu Souza!

Natália Guerreiro que chiquerésimo, Cadu Souza! conta mais da experiência! como foi lá? e esta bolsa foi uma oportunidade única ou tem td ano?

Cadu Souza na verdade Juan Alberto Lopez Uribe foram dois concursos de LP – kkkkkkkkkkkkkk

Raquel de Oliveira Cadu, Cadu, Cadu…!!!! Barra, babe?

Cadu Souza Então, foi um curso online, mas foi super rico. O consulado americano tem um programa chamado RELO.

Patricia Mezack Meu primeiro ano Homeschooling minha filha oficialmente. Apesar de tantos alunos e ex alunos…esta sendo a experiencia mais magica da minha vida.

Cadu Souza Sim, Raquel de Oliveira, Barra.

Elivan Souza Patricia Mezack, vc acha que este é o caminho? E como fica o social?

Roseli Serra Bem eu to de diretora de estudo, treinamento e dsenvolvimento de um dos branches do Britanic, faço coordenção acadêmica noutro, to dando consultoria e aind to amando dar aula de tecnologia da educação na Universidade de Pernmbuco como guest teacher! Muito muito bom!  Sem falr nas consultorias 

Ana Paula Cypriano Esse ano está sendo um ano para repensar minhas práticas, aprender mais, questionar algumas das minhas crenças em relação EFL, rever meu papel em sala…

Raquel de Oliveira Alôoooo… alguém por aí?

Cadu Souza http://www.facebook.com/relobrazil?fref=ts

Juan Alberto Lopez Uribe Gente, quero começar a dar cursos aí no Brasil no ano que vem sobre o ensino afetivo de inglês para crianças. Que dicas vocês me dão? Help!

Patricia Mezack Risos…a ideia de homeschooling proliferada no Brasil e completamente erronea.

Elivan Souza Pronto! Graeme Hodgson já foi fazer outra viagem.

Cadu Souza Foi através do RELOBrazil que ganhei esse scholarship

Teresa Gomes de Carvalho ola boa noite!

Roseli Serra Concordo com vc Patricia Mezack!

Marina Macedo 2012 voltei a faculdade, o que ajudou Bb a aprimorar métodos (especialmente com turmas de crianças). Me vi quebrando barreira (recuperar aluno dado como reprovado), e consegui renovar minha motivação com a profissão me tornando aluna novamente. 2013 novas provas de proficiência, novos desafios com turmas de crianças,.. Isso só para o primeiro semestre

Roseli Serra Chgeou Teresa Gomes de Carvalho! Hey , dear!

Patricia Mezack Elivan, minha filha e homeschooled, mas nao fica sozinha…5 vezes por semana ela tem atividades…As quintas, ela vai ao nucleo e tem workshop sobre Dr. Seuss, as Quintas, ela tem workshop de leitura e estuda sobre os planetas com mais 20 criancas da idade dela

Juan Alberto Lopez Uribe Oi Teresa Gomes de Carvalho! Bacana que você chegou!

Patricia Mezack Ela faz ballet, Karate, teatro

Roseli Serra Já lhe mandei as dicas e os contatos né seu Juan Alberto Lopez Uribe? To dentro do seu projeto!

Raquel de Oliveira mensagem da Natália Guerreiro > acho q o fb está me considerando uma spammer. nao quer me deixar publicar nem curtir naquele topico. =((

Teresa Gomes de Carvalho atrasada mas cheguei e de mobile

Elivan Souza Raquel de Oliveira, esta coisa de olhar para nós mesmos é algo muito dificil de vencer. É um choque e o complicado é você aprender a gostar do que vê; você mesmo, sua voz etc. Haja cabeça.

Prix Santos Awn…. Tenho de ir… A mom’s gotta feed her baby…!!! Essa foi a minha maior conquista… Ser mãe! Beijo, gentem!!!

Cadu Souza Juan Alberto Lopez Uribe, fiquei interessado nisso. Parece bom…

Patricia Mezack Nos temos uma visao tao deturpada dos programas de homeschooling…se vc quiser conhecer melhor e entender, posso te passar varios dados, inclusive da escola dela…pois o homeschooling e realizado a partir de um programa sanduiche…como no doutorado…eles chamam de umbrella school

Juan Alberto Lopez Uribe Eu sei Roseli Serra. Quanto mais dicas melhor!

Roseli Serra Vai lá , linda Prix Santos! bjks no baby lindo e outro na mummmy linda! 

Juan Alberto Lopez Uribe Raquel de Oliveira, acabou de acontecer comigo também, me bloqueou dar likes.

Elivan Souza Boa noite Tereza Teresa Gomes de Carvalho.

Patricia Mezack Sim, Roseli…quem conhece minha filha como a Rita Giorno e a Shirlei por exemplo…sabem do que estou falando…ela e uma borboleta social…

Roseli Serra Gente o projeto de Juan Alberto Lopez Uribeainnnnnnnnn é lindo de viver! quero ter netinhos pea estudarem lá 

Roseli Serra Imagino Patricia Mezack

Teresa Gomes de Carvalho Entao, algo ou algum projeto instigante e desafiador para 2013?

Raquel de Oliveira Juan Alberto Lopez Uribe, compartilhe mais de seu projeto… fale de seu grup aqui no FB

Roseli Serra Humm Teresa Gomes de Carvalho.. Imagino que sim .. rsrsr mas por hora é segredinho 

Elivan Souza Patricia Mezack, desculpe. Imaginei algo bem radical. 

Cadu Souza Eu queria muito fazer o DELTA em 2013, mas agora os planos mudaram. Vou fazer um curso de gestão de projetos para me certificar pelo PMO

Patricia Mezack Quero terminar meu livro paradidatico…

Roseli Serra Que show Patricia Mezack!

Juan Alberto Lopez Uribe Estou desenvolvendo um portal de cursos sobre ensino afetivo por meio de e-learning para professores que dão aulas para crianças. Está tudo no meu caldeirao borbulhando…

Roseli Serra Ainnnnnnnn Cadu Souza! Amenos que vc faça 8 coisas duma vez como Graeme Hodgson, é melhor esperar um tico mais por esse DELTA.. rsss

Roseli Serra MAs assim, se vc for disciplinado Cadu Souza, vc consegue fazer o distance DELTA de boa! Que achm meu povo?

Roseli Serra Nossa, que delícia, Juan Alberto Lopez Uribe!

Cadu Souza kkkk. Com certeza Roseli Serra. Mas o distance DELTA é uma excelent idea!!!

Juan Alberto Lopez Uribe Minha irmã e eu temos uma escola para crianças que fundamos em São Paulo, que se chama Juan Uribe Ensino Afetivo. www.facebook.com/juanuribeensinoafetivo

Elivan Souza Chegar de mobile e com style né Tereza Teresa Gomes de Carvalho.

Patricia Mezack Elivan Souza, ha diferentes motivos pelos quais os pais escolhem o homeschooling. Os meus sao entre outros a injecao cultural que meu marido e eu queremos que ela receba. E o programa nos permite aproveitar o maximo d etempo possivel…Como o governo tb tem programas de NO CHILD LEFT BEHIND, o material ensinado durante o ano e minimo e ha criancas que com certeza podem absorver muito mais…Na escola, sem querer ( por falta de opcao em muitos casos, colocamos todos os alunos na mesma sacola…O que frustra a muitos).

Roseli Serra Simsim , Cadu Souza! Tenho amigos que estão se dando super bem

Elivan Souza Juan Alberto Lopez Uribe aquela escola no Itaim Bibi?

Cadu Souza Roseli Serra, bom saber. Fico meio inseguro, mas acho que, talvez em 2014, eu tente.

Raquel de Oliveira o DELTA foi um divisor de águas… o M3 pode te ajudar em gestão, Cadu Souza

Juan Alberto Lopez Uribe Sim, Elivan Souza a própria! Tenho muitas saudades.

Roseli Serra Fica não, Cadu Souza!POsso te por em contato com pleos menos 3 que etsão adorando essa brincadeira de long distance DELTA !

Juan Alberto Lopez Uribe O que é que tem no DELTA? Vejo vocês falando e não tenho idéia.

Cadu Souza M3, o que é isso?

Teresa Gomes de Carvalho eu quero fazer o modulo 3 do delta e fechar este capitulo.

Roseli Serra ownnnnnnnn Juan Alberto Lopez Uribe  Mas vc tem os ganhos de estar no Canadá né? Vc tb tá t~~ao feliz e tem feito tantas coisa legais aí né?

Elivan Souza Rapaz! Eu morava na mesma rua. Juan Alberto Lopez Uribe. Uma colega minha trabalha ou trabalhou lá. Atilana.

Cadu Souza Eu conheço uma pessoa que odiou fazer o DELTA online, por isso fico meio pé atrás

Roseli Serra Não é ONLINE

Roseli Serra Online é difernte de long distanceCadu Souza

Roseli Serra Faz logo Teresa Gomes de Carvalho! O alívio é a mlhor sensação a cad etapa!

Elivan Souza Eu só quero o meu CELTAAAAAAAAAAAA.

Juan Alberto Lopez Uribe É uma troca, mas dando cursos por aí posso estar mais perto.

Cadu Souza sim, sim. me expressei errado, estou falando do distance DELTA

Roseli Serra kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Elivan Souza , anda logo c esse CELTA, criatura! Vc vai amar! Eu já supervisionei CELTAs e é muito legal!

Juan Alberto Lopez Uribe Elivan Souza, lógico que conheço a Atilana, excelente pessoa e educadora. Gosto muito dela. Os alunos AMAM a aula dela.

Raquel de Oliveira Eu fiz presencial… M3 é o módulo 3http://www.cambridgeesol.org/exams/delta/index.html

Delta Modules – Advanced TEFL/TESOL English teaching qualification | Cambridge ESOL

www.cambridgeesol.org

Elivan Souza Foi minha colega no curso de letras, Juan Alberto Lopez Uribe

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado Raquel de Oliveira, vou pesquisar no link que voce colocou.

Roseli Serra Cadu Souza, sem insegurança! Num tem nada errado! Eu foz presencial pq inusitadamenet rolou aquiem Recife há uns anos atrás!

Raquel de Oliveirahttp://www.cambridgeesol.org/assets/pdf/exams/delta/delta-module-handbook.pdf > Juan Alberto Lopez Uribe Delta Modules (Diploma in teaching English to speakers of other languages) by Cambridge University

Juan Alberto Lopez Uribe Bacana Elivan Souza! Vai lá na escola um dia e ela te faz um tour. É um próprio parque de diversões para professores…

Raquel de Oliveira Vou levantar a bola: quem fez DELTA e Mestrado… quais foram suas percepções?

Cadu Souza Fiquei animado sim, Roseli Serra. Principalmente agora que Raquel de Oliveira me sinalizou ue o Módulo 3 pode ser em gestão. Super cool!

Roseli Serra Ah outras coisa legal pra mim esse ano foi me tornar emoderator (com honra ) pelo Britisch Council e ter oportunidade de moderar cursos com dois dos meus mais queridos amigos!

Teresa Gomes de Carvalho o modulo 3 é só criar um curso para um público especifico como adultos, monolingual classes, young learners, etc.

Raquel de Oliveira Cadu Souza, no M3 vc pode optar por English Language Teaching Management…

Cadu Souza E-moderator. Fancy!

Roseli Serra Issaê Cadu Souza! Assim é que se fala, moço!

Elivan Souza Juan Alberto Lopez Uribe, eu vi um vídeo um tempo atrás sobre a escola. E fiquei super feliz quando escutei a Atilana dando depoimento. Mundo pequeno! Vou sim! Liga lá e diz que tô chegando e que estendam o tapete. rs

Juan Alberto Lopez Uribe Você é muito chique Roseli Serra! Parabéns pela tua conquista!

Roseli Serra Aaaaaaaaaaaaah não Juan Alberto Lopez Uribe! Chique nada! kkkkkkkkk um coroa raladora 

Patricia Mezack Infelizmente, meu dia ainda esta pela metade. Bom papo!

Roseli Serra Raquel de Oliveira tb fez ótimas conquistas e é um super exemplo de felicidade e alto astral!

Juan Alberto Lopez Uribe Roseli Serra, chique é ser inteligente e trabalhador. A elegância está nas palavras e na postura. Niemeyer concordaria.

Cadu Souza Verdade. Conta pra gentre Raquel de Oliveira

Juan Alberto Lopez Uribe Quero conhecer vocês pessoalmente? Tem algum congresso que vcs acham que irão?

Elivan Souza Gente, vamos falar sobre dinheiro também?

Elivan Souza Passei um ano apertado. Deu para pagar as contas não!

Raquel de Oliveira Pois é… muitas vezes as portas só abrem se nós arrombarmos… ou então se gritarmos ao mundo o que queremos, né?

Roseli Serra eu ja agendei com vc Toronto no meio do ano lembraJuan Alberto Lopez Uribe? Nossa! Que lindo o que vc disse sobre elg]ância1 Vc é realmente AFETIVO!

Roseli Serra Eu vou pro IATEFL

Elivan Souza Juan Alberto Lopez Uribe, o mais certo seria marcar um encontro em São Paulo.

Roseli Serra Já dprei Elivan Souza! Adoro SAMPA 

Elivan Souza Não é bairrismo, mas a maioria aqui ou é daqui ou mora perto. LOL

Raquel de Oliveira Eu estou trabalhando numa editora multinacional na parte de consultoria pedagógica, dando aulas na pós de Estudos da Linguagem, e com a consultoria via MEC… quero aprender mais sobre educação infantil…

Graeme Hodgson Tb vou, Roseli!!! Em maio 2013 vamos fazer um evento do www.braztesol.org.br em Brasilia tb… espero que possa ir tb!

Raquel de Oliveira SAMPA, aaaaaaaamo!

Roseli Serra Eita mulher porreta essa Raquel de Oliveira!

Juan Alberto Lopez Uribe Eu certamente irei para São Paulo em 2013, Elivan Souza. Tem bastante gente do Rio, né? Cadu, Raquel, Teresa.

Raquel de Oliveira Patricia Mezack, obrigada por vc ter vindo 

Teresa Gomes de Carvalho é isso mesmo Raquel de Oliveira!

Graeme Hodgson Por falar nisso, aproveito para pedir que todos vcs que são membros do Braz-TESOL votem em mim para o Advisory Council nacional! Valeu, galera!

Cadu Souza Isso mesmo. Mas se der vamos para SP também!

Roseli Serra Claaaaaaaaaaaaaro que vou adorar ir Graeme Hodgson! Vai depender do que possa surgir ou não na minha vida nesse período né?

Elivan Souza Sampa é tipo Londres; esquina onde todo mundo se encontra.

Roseli Serra kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk podexá Graeme Hodgson! Já tem meu voto! 

Teresa Gomes de Carvalho Juan Alberto Lopez Uribe eu tenho ponte entre o Rio e Sao Paulo, cidade que eu adoro! tenho casa la. Morei e me formei em SP.

Roseli Serra RAMUSIMBORA todos pra SAMPA meu povo? uhuuuuuuuuuuuuuuu

Raquel de Oliveira Passarei o Natal em Sampa 

Raquel de Oliveira Poderíamos pensar numa fala colaborativa sobre o BRELTCHAT em um congresso… que acham? seria “da hora”

Roseli Serra Maravilha Raquel

Teresa Gomes de Carvalho vamora Roseli Serra!

Elivan Souza Raquel de Oliveira, vou pra casa; Salvador.

Teresa Gomes de Carvalho * vambora!

Roseli Serra NO inverno , que tal?

Elivan Souza bóra

Cadu Souza Gente, vou dar boa noite pois amanhã aplico exames de Cambridge. Aff, essa vida não para nunca.

Roseli Serra Sampa no inverno é tuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom!

Teresa Gomes de Carvalho Brrrrr, Roseli Serra! rs

Cadu Souza Beijocas estaladas em todos. Roseli Serra, obrigado pelo incentivo. Juan Alberto Lopez Uribe, já estou indicando sua escola para uma amiga. Raquel de Oliveira, you rock. Beijão todos!

Elivan Souza Porque tu não moras aqui Roseli Serra.

Raquel de Oliveira Salvador é linda 

Raquel de Oliveira Queridões… e os planos para 2013?

Roseli Serra DEixe de coisa Cadu Souza! eu tb to nessa desde a semana passada e so encerro sábdo de tarde, Já to doida de tanto examinar ! MAs é bão demais né? 

Elivan Souza Vá lá Cadu Souza.

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado Cadu Souza!

Graeme Hodgson Plano para 2013: contratar uma pessoa para me ajudar com training, consultoria etc…. então menos viagens! Concluir o DELTA tb!

Raquel de Oliveira Cadu Souza, amado, bom sono  xoxo

Roseli Serra ô menino! fala não Elivan Souza! Meu marido é médico tem uma clientela muito estabelecida aqui .. só isso. Se ele convidar , eu mudo na hora!

Roseli Serra Cadu Souza. bons sonhos, querido! get in touch sobre o DELTA esobre o q mais precisar!

Raquel de Oliveira faltam 8 minutos…

Elivan Souza Roseli Serra quando aqui faz frio até os ingleses reclamam.

Roseli Serra Muito bem seu Graeme Hodgson! Já num era sem tempo né?

Raquel de Oliveira sugestões para nosso grupo em 2013 ?

Juan Alberto Lopez Uribe Aqui tá nevando…

Raquel de Oliveira sugestões para nosso grupo em 2013 ?

Graeme Hodgson Raquel de Oliveira… O plano mor é: SER FELIZ!!!

Roseli Serra eu sei Elivan Souza! meu filho mora onde faz -30 facinho! Daí , quanto mais frio , melhor pra mim /1 Adoro frio , muito frio, adoro mais! 

Raquel de Oliveira em bangu tb nevando, Juan Alberto Lopez Uribe… risos 47c

Roseli Serra Ainnnnnnnq delícia Juan Alberto Lopez Uribe

Roseli Serra hummm adorei sua idéia de fazer um trablho sobre nosso grupo pra apresentar num congresso, Raquel de Oliveira

Teresa Gomes de Carvalho planos para 2013: procurar novos desafios.

Roseli Serra Isso Teresa Gomes de Carvalho!

Juan Alberto Lopez Uribe Excelente idéia Raquel de Oliveira de fazer um trabalho sobre BRELTCHAT. Como começou?

Raquel de Oliveira desafios… ser feliz… conhecer gente nova… aprender mais…

Roseli Serra Achei essa idéia maravilhosa Raquel

Teresa Gomes de Carvalho Raquel e tb reconhecimento!

Roseli Serra BINGO Raquel de Oliveira! Ser feliz, viver o presente e aprender a sofrer só pelo que vale a pena.

Elivan Souza Raquel de Oliveira, eu quero tudo isto e mais um pouco de din din para comprar ice cream.

Juan Alberto Lopez Uribe Quero viajar a trabalho dando cursos. Conhecer gente.

Raquel de Oliveira a idéia inicial foi de Bruno Andrade, inspirado pelo ELTCHAT… daí, ele convidou Valeria Benevolo FrançaCecilia Lemos , Henrick Oprea e eu para ajudarmos na moderação

Graeme Hodgson Sofrer… só se for por amor!!! (por alguém, pela profissão, pela VIDA!)

Teresa Gomes de Carvalho por enquanto o meu plano é terminar bem 2012 que nao termina nunca.

Elivan Souza Aê Graeme Hodgson, mandou bem.

Juan Alberto Lopez Uribe Este é o último chat do ano?

Natália Guerreiro frustrada q o fb me bloqueou. =(((

Juan Alberto Lopez Uribe Tá acabando o tempo…..

Roseli Serra Sim Graeme Hodgson por qualquer coisa que valha a pena e não derramar lágrimas em vão ou sentir dor à toa né?

Raquel de Oliveira Reconhecimento profissional… chave para nos enxergarmos melhor e crescermos… para mim chegou em 2012,Teresa Gomes de Carvalho 

Raquel de Oliveira Juan Alberto Lopez Uribe, oficialmente é o último sim… Mas nosso espaço fica aberto 24h

Valeria Benevolo França Boa noite gente, cheguei em casa e só para dizer olá e bom fim de ano!

Roseli Serra Valeria Benevolo França, sua linda! Saudades! Tudo de bom pra vc!

Raquel de Oliveira Elivan Souza, dinheiro é um meio… e super necessário, concordo! qd somos bem remunerados, financeira e pessoalmente, rendemos mais.

Juan Alberto Lopez Uribe Se este for o ultimo chat, mando um abraço grande a todos vocês, desejando ótimas festas e uma excelente passagem de ano. Parabéns a todos pelas conquistas!!!

Graeme Hodgson Fez boa viagem, Valéria?

Graeme Hodgson Season’s Greetings!!! : D

Elivan Souza Ai ai ai ai está chegando a hora.

Raquel de Oliveira Valeria Benevolo França, que bom que vc veio!!

Valeria Benevolo França Eu estava em Fortaleza e já de volta ao Rio. A viagem foi boa sim, thanks, Graeme Hodgson, mas com isso não pude participar em nosso último chat do ano.

Juan Alberto Lopez Uribe Oi Valeria Benevolo França! bacana da tua parte vir só para desejar um bom fim de ano. Muito afetivo!

Roseli Serra PArabéns a vc tb Juan Alberto Lopez Uribe e todos mais! E a cada um pessoalmente, por cada palavra de carinho apoio e de me fezer rensacer e s me sentir valorizada!

Teresa Gomes de Carvalho será um fim de ano tumultuado mas vamos lá esperando que 2013 traga coisas novas.

Graeme Hodgson Valéria… vc está sempre ‘presente’ entre nós… mesmo ausente! hehehe

Elivan Souza Olá Valeria Benevolo França. Sentimos a sua falta.

Juan Alberto Lopez Uribe Trará sim Teresa Gomes de Carvalho!

Raquel de Oliveira Que energia boa, meu povo!! Feliz de ter conhecido vcs em 2011/2012… obrigadão por toda esta troca  e que venha mais em 2013!!

Roseli Serra Vai trazer Teresa Gomes de Carvalho! VAi sim !

Juan Alberto Lopez Uribe Adoro participar! Energia muito boa SEMPRE aqui no BRELTchat.

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite a todos!

Roseli Serra DE verdade, nosso grupo é uma bênção! ISso é uma maravilha! A gente troca experiências, aprende, ri e chora juntos! Nossa que legal!

Raquel de Oliveira Pergunta que não quer calar: quem pode fazer um resumo da nossa fala hoje? Topas , Juan Alberto Lopez Uribe?

Teresa Gomes de Carvalho muito bom mesmo Juan Alberto Lopez Uribe. Espero conhecer voces todos aí do Breltchat pessoalmente!

Valeria Benevolo França Eu não pude acompanhar o chat de hoje, mas como sempre iremos colocar o “discussion thread” em nosso blog. Mas vamos pensar em outras coisas que o nosso grupo e chat poderia fazer que gostariamos de ter? Que tal comentarem no blog?

Raquel de Oliveira quase uma terapia em grupo… todos unidos pela arte de ensinar/aprender!!

Roseli Serra Juan Juan Juan!

Elivan Souza Gente, obrigado por tudo mesmo. Lembro quando cheguei por aqui, pisando devagarinho e fui recebido com muito carinho por todos vocês.

Juan Alberto Lopez Uribe   ;);) Topo sim. Tenho tempo.

Roseli Serra Aêeeeeeeeeeee Juan Alberto Lopez Uribe 

Valeria Benevolo França Relembrando o link:https://breltchat.wordpress.com/

#BReltChat

breltchat.wordpress.com

Raquel de Oliveira Valeria Benevolo FrançaJuan Alberto Lopez Uribe fará nosso resumo hj… e tds estão convidados a comentarem lá no nosso blog!! Yay! 

Juan Alberto Lopez Uribe Okidoki!

Roseli Serra onde anda Ramon Silveira?

Raquel de Oliveira será que ele derreteu aqui nos 47c de nosso bairro hj?? risos

Teresa Gomes de Carvalho É mesmo, onde anda ele, Roseli Serra?

Raquel de Oliveira Muito obrigada, Juan Alberto Lopez Uribe!!

Roseli Serra Gente , amo vocês! Tudo de muito bom nessa vida é o que desejop a todos! E que ” Haja paz na TERRA a começar em mim “, em nós1

Valeria Benevolo França ótimo e obrigada Juan Alberto Lopez Uribe. Vou logo então captar o thread e subir no blog, já que isso sempre facilita o trabalho de quem faz o resumo.

Raquel de Oliveira Valeu, Valeria Benevolo França 

Roseli Serra Nossa. Valeria Benevolo França! Só vc!

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado Valeria Benevolo França. Vai ser bem gostoso fazer este resumo.

Elivan Souza Juan Alberto Lopez Uribe comece a ser o ator do seu próprio filme. Surpresas grandes aparecerão.

Teresa Gomes de Carvalho preciso ir gente amanha sera im dia cheio para mim! bjs e boa noite! Nos vemos em breve por aqui:)

Roseli Serra ótima dica , Elivan Souza! E como diz uma amiga de Sampa: FORÇA NA PERUCA para o CELTA!

Juan Alberto Lopez Uribe Valeu Elivan Souza! Acertou em cheio!

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite a todos, esposa me chama!

Elivan Souza Boa noite Juan Alberto Lopez Uribe

Raquel de Oliveira Bom sono a tds vcs  E vamos interagindo aqui no Grupo… Oficialmente nosso chat voltará em Fevereiro. No entanto, convidamos a todos que comentem os posts de nosso blog. Mais uma vez, nosso super thank u por terem compartilhado um cadinho do tempo de vcs conosco… Best vibes 

Roseli Serra Vai lá Teresa Gomes de Carvalho! Sweet dreams, dear! 

Valeria Benevolo França Boa noite a todos, um ótimo Natal e que 2013 traga muitas realizações profissionais e pessoais para nós todos. Muito obrigada por terem sido participantes tão preciosos em nosso #BRELTchat em 2012 e tenho certeza que vamos ter muito o que falar em 2013. Obrigada a Raquel de Oliveira por ter moderado hoje sozinha.

Roseli Serra kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk seuGraeme Hodgson ! Vc é adoravelmente impossível! 

Roseli Serra Certamente Raquel de Oliveira! Um ótimo Natal a todos, bom trablaho , bom descanso pra quem tiver, muita paz , amor harmonia e saúde. com isso, o resto é fichinha de conseguir! Boa noite amores todos! God bless you all! Love you 

Raquel de Oliveira my pleasure, Valeria Benevolo França.. uma polifonia maravilhosa hj nesta liquidez facebookiana… bjinhos a tds e bom níver de Jesus 

Elivan Souza Aê Raquel de Oliveira. \o/

Elivan Souza Eitcha despedida que não acaba nunca. KKKkkkkkk

Como recuperar alunos com dificuldades em um curto espaço de tempo e ainda tendo matéria para cumprir? 22/11

(Agradecemos ao Ramon Silveira por ter coletado as mensagens e nos ajudado em partilhar o conteúdo de nosso chat.)

Um chat mais que produtivo que serviu, para algumas pessoas, como um momento até mesmo de desabafo em relação a insatisfações de como algumas gerências e responsáveis lidam com a situação.

Um chat também de muitas ideias de como preparar os professores novos para esse desafio e de como algumas escolas com muita criatividade, acompanhamento e trabalho conseguem lidar com esse desafio!

Um chat mais do que nunca, viciante!

Confira:
—————-

Raquel de Oliveira: welcome Roseli Serra, Eduardo Vasconcellos !!
Bruno Andrade: Oba! So lembrando que o tema de hoje eh: Como recuperar alunos com dificuldade em um espaço curto de tempo e ainda tendo matéria para cobrir” bem adequado para esse fim de semestre. O que acham?
Roseli Serra: POis sim? Tô aqui flor!
Raquel de Oliveira: Bruno Andrade, vamos começar os trabaçhos?
Raquel de Oliveira: Cadu Souza, kd tu, menino?
Roseli Serra: Tema super apropriado sim sr!
Raquel de Oliveira: Welcome dear Marina Macedo
Marina Macedo: Thanks Raquel de Oliveira
Marina Macedo: today I’ll be here 🙂
Roseli Serra: Vi num post do Cadu que ele quer dar um tempo de facebook 😦 Será que de nós os BRELTs tb?
Bruno Andrad:e Um pouco tricky tambem ne? Não da pra ser pego de surpresa. Aluno com dificuldade tem que saber dos riscos que corre desde sempre. Não eh mesmo?
Raquel de Oliveira: Marina Macedo, vc tem alguma experiência sua que gostaria de compartilhar?
Ramon Silveira: Boa noite pessoal!
Raquel de Oliveira: Roseli Serra, nosso querido Cadu Souza iria tentar participar sim!!
Roseli Serra: Sim! Com certeza! Pra correr atrás de um prejuízo assim , só com acompanhamento ombro aombro desses alunos desde o início , não acham?
Eduardo Vasconcellos: Boa noite.
Roseli Serra: Oi Ramon e Eduardo! Buenas noches 🙂
Raquel de Oliveira: Bruno Andrade, mas como falar desses riscos com os alunos? e devemos esperar até a avaliação p ter prva documental?
Marina Macedo: sim.. na verdade esse tema está sendo muito útil, pois tenho 3 alunos que além de saber que reprovarão eu estou tentando de tudo para recuperá-los a quase 2 meses
Raquel de Oliveira: Boa noite, vizinho Ramon Silveira 🙂
Roseli Serra: Que chegue o Cadu!
Ramon Silveira:Boa noite vizinha!
Eduardo Vasconcellos: Buenas noches, Roseli Serra.
Dayse A. Barbosa: Hello, everybody! Vou tentar acompanhar hoje!
Raquel de Oliveira: Marina Macedo, e como eles reagem?
Raquel de Oliveira: Querida Dayse A. Barbosa :):) que bom tê-la aqui tb!
Marina Macedo: um deles não fala nada em sala de aula, por mais que eu tente fazer ele falar, ele não fala, não faz os exercicios e sempre que eu levo algum jogo ele não quer participar
Roseli Serra: Na insituição onde trablahei e na qual trablaho, ao menor sinal de dificuldade, já entramos em contato com pais alunos, enviamos para tutorial sessions com monitores que dão feedback aos professores e isso é bem acompanhado pelos coordenadores.
Bruno Andrade: Raquel de Oliveira acho que uma sinalização sutil ja deve Ser feita antes mesmo da avaliação. A avaliação pode servir como prova documental dessa sinalização. Assim evitamos as supressa desagradáveis
Roseli Serra: OLá Dayse e Marina! Bem vindas !
Raquel de Oliveira: vc já perguntou o pq a ele , Marina Macedo?
Roseli Serra: Concordo com vc Bruno Andrade
Dayse A. Barbosa: No meu curso de inglês também… Temos remedial classes every 15 days para os alunos com dificuldades.
Marina Macedo: o segundo caso, a menina falta muito, não entende NADA das aulas, não participa das aulas de apoio e ainda “desafia”
Raquel de Oliveira: Roseli Serra, tive esta realidade em cursos, mas em escola… not really 😦
Ramon Silveira: O acompanhamento é essencial. Muitos pais reclamam de só saber do mau desempenho dos alunos por provas. Queriam saber antes.
Raquel de Oliveira: e na escola Dayse A. Barbosa?
Roseli Serra: Isso Ramon Silveira! E olha que tem de ser um trablaho de equipe e muito trabalhoso pra ser bem redundante!
Dayse A. Barbosa: E temos reuniões de pais e professores, individualizadas, com cada pai ou mãe.
Ramon Silveira: Dayse A. Barbosa, essas aulas são individuais ou com alunos de várias turmas ?
Roseli Serra: É a primeira pergunta que faço aoas pais Raquel de Oliveira: como vai o desempenho desse aluno na escola?
Dayse A. Barbosa: Na escola, ainda há muito a melhorar. Infelizmente, a maioria dos alunos e pais e até professores PII acham que inglês é brincadeira apenas.
Raquel de Oliveira: E como os pais reagem Dayse A. Barbosa, Marina Macedo, Ramon Silveira?
Dayse A. Barbosa: Falo do 1º segmento… que é onde dou aula no município.
Marina Macedo:Hoje conversei com a mãe do aluno que não fala
Roseli Serra: Quel, se os pais não são sinalizados das dificuldades dos filhos desde o início, eles ficam uma fera!
Dayse A. Barbosa: Os pais do curso reagem muito bem. Principalmente os pais dos alunos em níveis iniciais até intermediário.
Roseli Serra: Ah! Entendi, Dayse!
Marina Macedo :ela disse que realmente ele é muito tímido, mas que ela vai tentar fazer com que ele comece a falar em sala
Bruno Andrade: Acho que todos concordamos que deve algum tipo de aula extra/remedial para os alunos com dificuldade não eh mesmo? Acho quase que humanamente impossível recuperar uma parecera grande de alunos dentro de um universo de sala com 20-30 alunos que vão bem…
Raquel de Oliveira: e como se dá todo este cronograma: recuperar alunos, cumprir matéria, falar com pais?
Ramon Silveira: Exatamente. É claro que existem os pais que questionam até mesmo nossa opinião a qualquer momento mas os que reagem pior são os que sabem somente pelo resultado das provas.
Dayse A. Barbosa: Concordo Roseli. E por isso ao primeiro sinal de problema, mesmo antes da reunião individualizada entre pais e professores, já contactamos a coordenação que imediamente entra em contato com os pais.
Roseli Serra: Pais pagam caro pelo curso e querem acompahamento de perto dos filhos, tratamento personalizado!
Eduardo Vasconcellos: As vezes, Bruno Andrade. Alunos que vao bem levam aqueles que nao vao tao bem a melhorar. Jah tive casos assim na escola e e ateh nos cursos onde trabalhei …
Ramon Silveira: Bruno Andrade, até mesmo a estrutura desta aula deve ser bem planejada. Uma turma com alunos de várias turmas e várias dificuldades e um professor monitor para ajudar eu questiono e muito!
Roseli Serra: Isso mesmo, Dayse A. Barbosa! E outra coisa: tudo deve ficar devidamente dsocumentado pra o final a instituição e o professor estarem prootegidos caso algo venha a dar errado.
Eduardo Vasconcellos: Com certeza. Nao se melhora nada, Ramon Silveira.
Marina Macedo: a mãe dele disse ainda que mesmo que ela tbm tente ele não fala, nem em casa. E eu marquei mais aulas de apoio com ele, para exercitar a parte de fala
Ramon Silveira: Exato Roseli Serra!
Dayse A. Barbosa: Documentado também. E os pais têm que assinar o que foi dito na reunião. É o que fazemos.
Bruno Andrade: Boa Dayse A. Barbosa
Ramon Silveira: No meu curso existem aulas individuais onde o responsável paga por fora por uma hora de reforço. Isso eu acho legal.
Marina Macedo: Mas e quando os pais não reconhecem o problema? como no caso da minha aluna “desafiadora”
Roseli Serra: You have a point Ramon! Por outro lado, se a gente não cuidar de oferecer algum tipo de remedial work, deixando bem claro que o bom desempenho do aluno depende 50% ( pelo menos) dele, a get corre o risco de evasão . E captação de cliente num tá mole!
Ramon Silveira: Ore, reze! ahahahaha brincadeira!
Roseli Serra: Eita Marina Macedo! Aí é complicado! Siga o conselho de Ramon Silveira :p just kidding 😉
Dayse A. Barbosa: Aí, Marina, fazemos tudo o que é possível.. e se o aluno não se recupera, ele fica reprovado. Esse ano teremos alguns casos assim, mas os pais foram avisados desde o primeiro mês de aula. O meu curso é anual, não é semestral.
Ramon Silveira: Concordo Roseli Serra. Precisamos nos precaver de todos os alunos. Minha crítica são a aulas com alunos muitas vezes de níveis diferentes com dúvidas diferentes. Não acho produtivo.
Roseli Serra: Quando os pais não receonhecm, a meu ver, resta-nos fazer a nossa parte, documentar tudo e fazer de tudo pra o aluno progredir sem ” arrumadinho”.
Dayse A. Barbosa: A questão da evasão é outro ponto importante… Mas o que acontece é que se não primarmos pela qualidade, o aluno sai pq o curso está aprovando quem não está aprendendo.
Eduardo Vasconcellos Esse tentativa de tratamento individualizado deve acontecer bem antes da prova ou de qualquer outra avaliacao maior …
Roseli Serra: Entendi econcordo Ramon Silveira! è que onde trabalho esas aulas de remedial são one to one
Ramon Silveira: Deixa eu fazer uma pergunta a vocês, alguma vez a coordenação de seu curso ou escola influenciou na reprovação/aprovação de alunos?
Dayse A. Barbosa: Em outros cursos onde trabalhei, vi o nível cair assustadoramente pq quem era bom saia… e só ficavam os ruins.
Eduardo Vasconcellos: Temos que conscientizar a clientela que nao adianta um titulo somente e sim o aprendizado oriundo desse processo educacional que leva ao titulo/diploma
Marina Macedo: eu recorro as aulas de apoio, mesmo qnd sei que é “trabalho perdido” e acabo me frustando quando vejo que o aluno fez pouco caso, e que o responsável tbm não liga
Roseli Serra: Outra coisa, não sou a favor de jeito nenhum de aprovar aluno que não progrediu. Acho que uma reprovação embasada ou um redirecionamento , muitas vezes fazem o aluno continuar na escola. Aó o discurso tem que ser coerente e amarrado com os fatos!
Eduardo Vasconcellos: Ramon, jah vi sim… mas, normalmente, o que querem eh um respaldo para uma provaval recuperacao … As vezes, forcam mas tendem a ter cautela .
Marina Macedo : Ramon Silveira sim, a coordenação já influenciou sim, mas de uma certa forma levou em conta meus relatórios de performance
Dayse A. Barbosa: Não é influência… é um ‘bate-bola’ bem honesto que nós professores temos com a coordenação. Tudo flui muito claramente…
Bruno Andrade: Mas esse pode ser um backfire process, Ramon Silveira. E o pais que não se dispõem a pagar por tal aula por achar que eh obrigação do professor recuperar aquele aluno? Cabeça de pai eh bem complicado as vezes. Tive um caso hoje que o menino vai reprova…Veja mais
Ramon Silveira: Preciso contar um caso: Uma aluna de um curso que trabalhei tinha muitas dificuldades. Recomendei a aula de coaching, a mãe disse que a filha não tinha tempo. A coordenadora, no início do semestre, falou para a mãe que a filha não precisava ir no coaching pq era obrigação do professor dela fazer ela aprender de qualquer jeito!
Dayse A. Barbosa: Às vezes acontece de haver uma tentativa de dar novas chances… mas ambas as partes analisam a validade disso.
Roseli Serra: Já vi dono de escola fazer isso, Ramon Silveira. NO caso eu sou a DOS agora e fui antes. Então passam por mim os casos críticos. eu sou bem exigente quanto a isso pq sei q lá na frente abomba vem estourar nas minhas mãos!
Fernanda Goncalves Dos Santos: Sim Eduardo Vasconcellos, mas a direção muitas vezes ficam apavorados quando se fala em reprovação. Creio que poderiam ajudar mais os professores e conscientizar os pais da importância do verdadeiro aprendizado.
Roseli Serra: Dodno de escola morre de medo de reprovação ! è um horror às vezes!
Ramon Silveira: Cade a Raquel de Oliveira?
Roseli Serra: Concordo 100% Fernanda!
Eduardo Vasconcellos: 🙂 … Isso mesmo, Fernanda Goncalves Dos Santos. Como isso pode acontecer de fato?
Ramon Silveira: Acho que se tratando de instituição de ensino, o feed back do professor é essencial.
Roseli Serra: Completamente Ramon Silveira!
Marina Macedo: No curso em que trabalho a direção /coordenação exige de nos um relatorio de performance e eles acompanham e passam para os pais de tempo em tempo como o filho vai. Em alguns casos os pais não ligam, mas na maioria eles nos ajudam muito na progressão do trabalho
Ramon Silveira: Onde vocês lecionam, existe uma pessoa especial para dar essas aulas de apoio ou vocês mesmos dão?
Dayse A. Barbosa: O responsável não liga quando ele sabe que a instituição aprova o aluno mesmo que ele não tenha condições de ser aprovado.
Teresa Gomes de Carvalho: oi boa noite, atrasada mas cheguei.
Marina Macedo: os professores mesmo dão o apoio
Dayse A. Barbosa :Onde dou aula, os professores se revezam às sextas-feiras para dar as aulas de apoio.
Roseli Serra: E quanto ao que Fernanda Goncalves Dos Santos mencionou, só acontece com treinamento de professores, conscientização geral de uma equipe desde as secretárias , coord, DOS, grente de MKt , etc. è um trabalho de equipe. Mas pra mim , a palvara final é do professor. Afinal, é ELE quemconhece o aluno !
Ramon Silveira: Hoje alguns sistemas têm até mesmo portal do aluno para o pai acompanhar o que foi dado na última aula. Interessantíssimo, porém, pouco usado!
Fernanda Goncalves Dos Santos: Na escola em que trabalho já vi professor querendo reprovar porque o aluno não tinha condições, mas a direção o aprovou!!! Absurdo!!! O aluno continua com problemas no ano seguinte! É claro!!!!
Roseli Serra: Oi Teresa Gomes de Carvalho! Boa noite 🙂
Eduardo Vasconcellos: Muito bem posto, Roseli Serra.
Ramon Silveira: Gostei da ideia do revezamento Dayse A. Barbosa!
Dayse A. Barbosa: E o que mais interessante, é que conversamos tanto sobre os alunos, que conhecemos os alunos de outras turmas mesmo quando não estamos dando aulas para eles.
Fernanda Goncalves Dos Santos: Com certeza Roseli Serra!!! 😉
Ramon Silveira: A reprovação obviamente muitas vezes traz a evasão mas se houver um acompanhamento sério e constante, não há como nem mesmo haver reprovações ou diminui-las bastante.
Roseli Serra: Já aconteceu e eu estar fora do país, de férias, deixado tudo amarradinho, e depois de ter feito todo um trablaho com os responsáveis por um determinado aluno que foi escandalosamente reprovado com toda justiça, o diretor e a grente de MKT o aprovarem vai um tal de termo de responsabilidade! Fiquei uma arara! Sabia que o menino iria ser reprovado de novo e foi e saiu da escola. Bem feito!
Dayse A. Barbosa: Acabamos trocando ideia sobre abordagens para determinado aluno que já tenha passado por outro professor.
Ramon Silveira: Algo que não nos atentamos mas quando na mudança de período mudamos de turma, um feed back do outro professor sobre dificuldades do aluno também ajuda muito!
Ramon Silveira: Ninguém me convence que diretor de MKT tem que intervir nisso! Já ouvi teorias escabrosas para justificar esse absurdo!
Teresa Gomes de Carvalho: Eu acho que eu ja mencionei antes mas o medo da reprovacao pelos donos de instituicoes de ensino se justifica pelo fato do aluno desistir qdo eh reprovado ou ou procurar algo mais facil.
Dayse A. Barbosa: A expressão “termo de responsabilidade” me assusta… Já trabalhei em um lugar onde tinha isso. Eles não percebem que o trabalho do professor com os outros alunos é que acaba sendo afetado por causa desse aluno que foi reprovado mas que acaba cursando o nível seguinte por ter sido aprovado pelo “termo de responsabilidade”.
Roseli Serra: Isso! NA seman pedagógica, anteror ao início das aulas, sempre reservo um momento para os professores conversarem entre sim sobre as turmas que lhe foram dadas. Assim: Prof Tiago UPPER 2, prof anterior Prfa Sandra, entenderam? Funciona legal!
Bruno Andrade: Um ponto que ainda não tocamos foi o treinamento do professor. Será que ha maneiras de treinar um professor para que esse gap seja cada vez mais reduzido?
Ramon Silveira: Exato Teresa Gomes de Carvalho! Mas eles deveriam fazer algo durante o período para evitar isso!
Eduardo Vasconcellos: Num curso que eu trabalhei, isso acontecia informalmente.
Roseli Serra: “termo de responsabilidade” é o ó! Pra mim é uma tremenda irresponsabilidade! è concordar com uma coisa errada . Aff 😦
Dayse A. Barbosa: Isso é uma faca de dois gumes!! Com medo de perder UM aluno, os donos das escolas ou cursos acabam perdendo os melhores.
Dayse A. Barbosa: Existem cursos e colégios com fila de espera…
Roseli Serra: Pois éDayse A. Barbosa! Nivel-se por baixo algumas vezes.. Acho uma estupidez!
Ramon Silveira: Bruno Andrade, acho que isso deve ficar por conta do trabalho que é feito dentro daquela unidade. Mesmo uma rede tem meios diferentes de trabalhar com esse problema. Acho importantíssimo isso ser mencionado em treinamentos para new comers!
Dayse A. Barbosa: Boa pergunta, Bruno!
Roseli Serra: Issaê Ramon Silveira!
Dayse A. Barbosa: Acho que a melhor maneira de ‘treinar’ o professor é estimular a troca entre professores mais experientes com os menos experientes.
Dayse A. Barbosa: Principalmente para não configurar uma ‘fórmula’ do ‘certo’ ou ‘errado’
Eduardo Vasconcellos: Ou a troca de ideias, independente da experiencia …
Eduardo Vasconcellos: As vezes, uma pessoa de fora pode ver o processo melhor do que quem estah dentro …
Marina Macedo: é a troca de ideias entre professores de fato é muito importante
Dayse A. Barbosa: Sabemos que há turmas e turmas, alunos e alunos… cada turma é uma turma.. o professor tem que ter uma capacidade de observação imensa para saber o momento de utilizar uma determinada abordagem para um determinado grupo de alunos ou para um determinado aluno em uma mesma turma.
Roseli Serra: Bem , eu normalmente tento contratar professores de carreira , ou seja, gente que é professor e não tá passando chuva pra ganhar um dinheirinho. Nível mínimo , CAE , certificação mínima um tipo Basic teacher TRaining. ele tem deadline pra tirar uma certificação tipo CELTA, e é treinado e acompanahdo por mim e pelos coordenadores. Além do que, seguindo um modelo bem conhecido, colocamos um prof mentor.
Ramon Silveira: Acho que um planejamento feiro pela coordenação junto com os professores de como lidar com isso é super válido!
Roseli Serra: BINGO Ramon Silveira! Issaê de novo! 🙂
Ramon Silveira: Isso ainda está um pouco utópico para mim Roseli Serra. Mão de obra tá complicada. prof mentor, CAE e acompanhamento é feito mas mesmo assim…
Dayse A. Barbosa: Sim, Eduardo mencionou algo MUITO importante… O professor novo muitas vezes traz muitas ideias que o professor mais antigo pode não ter avaliado por estar repetindo uma abordagem que já não é ideal para o aluno de hoje.
Roseli Serra: Simsim Ramon Silveira! Eu disse que TENTO! Nem sempre consigo. e daí o trablho é mais suado ainda!
Dayse A. Barbosa: O que eu muitas vezes vejo é que a ideia de professor mentor pode caracterizar um ‘afastamento’ entre colegas de trabalho.
Dayse A. Barbosa: É um ponto muito delicado.
Ramon Silveira: O diálogo tem que ser constante!
Teresa Gomes de Carvalho: Eu sou mentora da filial onde trabalho e posso dizer que este modelo de treinamento dá certo mas o resultado nem sempre é imeidiato.
Dayse A. Barbosa: Sim, e para haver diálogo franco, não pode haver uma hierarquia entre colegas de trabalho.
Roseli Serra: hummmm Dayse A. Barbosa, permita-me.., isso depende muito de que abordagem usaremos para a escolha do prf mentor e de critérios que estabelecemos.
Ramon Silveira: Dayse A. Barbosa, vou falar sobre minha experiência, acho que depende muito do ego da equipe. Nunca tive problemas mas acredito que possam haver sim!
Dayse A. Barbosa: Sou mais a favor de uma coordenação e o envolvimento de todos os outros professores ‘acolhendo’ o professor novo.
Teresa Gomes de Carvalho: Dayse A. Barbosa Na verdade não há hierarquia, mas sou uma referência para os novos professores e tb para o staff quando há algum problema em sala de aula ou com alunos.
Raquel de Oliveira: gente, voltei… conexão caiu 😦
Ramon Silveira: Issaê! Para você agora Roseli Serra!
Roseli Serra: Simsim Teresa Gomes de Carvalho! Dá super certo! Além do que estamos, de certo modo, formando novos trainers que podem cooperar com a coordenação e a diretoria de estudos! e assim , na hora que alguém opr alguma razão tiver de ser afastado, já temos , de repente um prof qualificado para uma coordenação, por ex. O que acham?
Ramon Silveira: Eu entendo o que a Dayse A. Barbosa fala . Alguns prof. mentores em algumas escolas devem até mesmo assistir aulas. A equipe muitas vezes não deve gostar mas acho que uma boa conversa resolve.
Dayse A. Barbosa: Sim concordo com a ideia da referencia para o professor novo, mas não na mão de um mentor apenas. Eu coloco mais professores responsáveis por essa tarefa.
Roseli Serra: Oba Quel de volta,Raquel de Oliveira! Tava tudo muito callminho sem vc, flor da Guanabara! 😉
Dayse A. Barbosa: O diálogo acaba fluindo mais aberto e os problemas são imediatamente resolvidos.
Ramon Silveira: Raquel de Oliveira, vc é minha vizinha mesmo! A tua internet é até igual a minha. Maluca!
Teresa Gomes de Carvalho: Roseli Serra Sim mas no nosso modelo não temos um coordenador. Na verdade tempos mais dois professores que auxiliam com o administrativo e eu,mentora da filial, e a gerente.
Roseli Serra: Sim Dayse A. Barbosa! Nada pode ficar na mão de uma pessoa só. Temos de lembrar que um posto é só um posto. Na verdade coord, DOs, mentores, somos todos PROFESSORES!
Dayse A. Barbosa: Ah, sim… aí é diferente mesmo. Mas ainda acho que existe um certo risco.
Roseli Serra: hahahha Ramon Silveira, Raquel de Oliveira sumiu de novo? 😦
Teresa Gomes de Carvalho: Dayse A. Barbosa, sim, os professores mais antigos acabam acolhendo o professor novo e principalmente porque os professores novos assistem as aulas dos professores mais experientes e trocam idéias. Uns ajudam os outros.
Ramon Silveira: ahahahahaha velox aqui é uma belezaaaa! A minha até que tá legal hoje.
Raquel de Oliveira: estava lendo os posts!!! Roseli Serra e Ramon Silveira… troquei de laptop e ainda acordei marido para pegar a senha dele… hehehehe
Ramon Silveira: Teresa Gomes de Carvalho, são vocês que contratam também ?
Roseli Serra :Entendo , Teresa.. Já trabalhei como prf , coor e DOS na CI.. Agora estou noutra insituição, no concorrente…rsss E DEus me livre não ter coordenadores!
Dayse A. Barbosa: Exatamente, por isso diferenciar através de nomenclatura diversa acaba sendo um risco. Pq não manter todos como professores e todos se ajudando?
Bruno Andrade: Por que seria, Dayse A. Barbosa?
Roseli Serra: kkkkkkkkkkk Só tu mesmo Raquel de Oliveira!
Raquel de Oliveira: Gente, eu sofri isto de reprovar aluno na pele… Ouvi numa das pós graduações onde trabalho que aluno não pode/deve ser reprovado… Já na universidade pública, não tive estes comentários…
Teresa Gomes de Carvalho: Oi Ramon Silveira,não, na verdade quem contrata é a gerente.Não tomamos estas decisões.
Dayse A. Barbosa: Um coordenador central e todos os professores trocando ideias para mim ainda é o melhor parâmetro.
Dayse A. Barbosa: Existe o ego ainda muito forte, Bruno!
Ramon Silveira: Ela fala o idioma então né?
Roseli Serra: humhum .. Tb to na universidade públicxa RAquel! è outra história né?
Bruno Andrade: Acho que um acaba que complementa o trabalho do outro. Ha de haver muita troca entre professor e professor mentor para que o sucesso do aluno seja alavancado
Raquel de Oliveira: Minha pergunt a vcs é: a reprovação do aluno tb reflete uma reprovação de algum processo da nossa prática pedagógica? (incluo teachers, coordendores e direção)
Bruno Andrade: Ah sim!! Mas ego não presta pra nada em situação alguma, ne? Rs
Dayse A. Barbosa: Pois é, Bruno! Mas qdo não damos nomes, ele acaba não aparecendo.
Teresa Gomes de Carvalho: Roseli Serra, porque tem que haver alguém com esta responsabilidade de assistir aulas, dar treinamento tendo em vista as necessidades específicas do professor e auxiliar os demais com problemas. Seria difícil administrar esta ajuda entre 25 professores, como é o nosso caso.
Marina Macedo: Acredito que de certa forma, uma reprovação tbm é uma “falha” em algum processo que adotamos ao longo do período
Roseli Serra: Não necessariamente Raquel de Oliveira… Acho que se o prof trablha bem , acompanha o aluno bem, e o aluno faz os 50% da parat dele, salvas as exeções, acho que não há demérito , ou seja, reprovação da nossa prática pedagógica, a menos que a prática pedagógica não seja efeciente e séria.
Dayse A. Barbosa: E a troca de ideias e ajuda mútua flui muito melhor. O que está sendo auxiliado acaba não tendo medo e também contribui muito mais sem medo de estar sendo avaliado já que é um colega sem ‘nomenclatura’ que está ajudando.
Ramon Silveira: Acho que depende muito também do critério para a escolha do mentor. Quanto a pergunta da Raquel de Oliveira, acho que de alguma maneira sim. Se não, estamos aceitando que o desenvolvimento de um aluno depende INTEIRAMENTE DELE!
Raquel de Oliveira: Muitas vezes a mentoria/coordenação assusta os professores, que por sua veze assustam os alunos… falo aqui de comentários e medidas que leval o ser humano a ficar acuado e com autoestima lá embaixo
Teresa Gomes de Carvalho: Oi Raquel de Oliveira eu acho que a reprovação é um apanhado de coisas. Ela reflete a forma como o aluno é testado também e a nossa crença de que aprender é saber um conteúdo x ou y quando o aprendizado de uma língua é mais do que um decoreba.
Roseli Serra: Simsim Teresa Gomes de Carvalho! Por isso , pra ser DOS dessa nova instituição, fiz questão e manter os coordenadores. Já trablhei so eu mesma com duas nidades nas costas e um time de 25 prof diferentes. Niguém merece!
:Raquel de Oliveira Marina Macedo, foi minha aluna… Pode falar de mim como professora. Mas acho cruel prender o aluno numa escala de 0-10… Mas se é este o sistema pelo qual somos/fomos contratados, como nos adaptar?
Ramon Silveira: ahahahaha Roseli Serra, você é muito engraçada! Concordo com tudo que você fala!
Roseli Serra: ahahha Ramon Silveira! Tô achando que somos almas gêmeas profissionais! hahahaha :p Brincadeirinha! Sou palhacenta viu?? 😉
Dayse A. Barbosa: Falou tudo, Raquel! Eu diria que isso acontece em 90 % dos casos. Assusta sim! Fica uma ideia de avaliação do trabalho quando deveria ser auxiliar o trabalho do outro.
Marina Macedo: Concordo Raquel de Oliveira. Essa escala é injusta em alguns casos, e ja tive situações de alunos que nas provas se apavoram, e eu era uma delas. Eu tento me amparar na performance do aluno, que tbm vale nota, para não prejudicar ninguém.
Roseli Serra : É verdade Raquel e Dayse! Muitas vezes sim . Lamentavelmente! eu fui acusada muitas vezes de ser gentil demais com os professores, de conversar muito com eles ao invés de girtar com eles e ameaçá-los , pode? Alôoooo, né?
Raquel de Oliveira: Lembrar que fomos/somos alunos ajuda muito, né?
Dayse A. Barbosa: Raquel, eu sempre gostei muito da ideia de avaliaçao continua, mas nosso sistema ainda não permite isso. Teriamos que ter grupos pequenos e mais professores responsavais por esse grupo pequeno. è a ideia do GENTE !! 😉 rs
Raquel de Oliveira: :0 🙂
Teresa Gomes de Carvalho: Eu sou a prova de que prova não significa tanto em termos de aprendizado. Eu mesma congelei ao fazer uma prova e não consegui terminá-la embora tivesse sido uma das melhores alunas durante o curso e com muitas contribuições e tendo experiência no assunto.
Ramon Silveira: Quero aprender um novo idioma para me sentir beginner de novo! Deve ser bem legal!
Raquel de Oliveira: Fato, Ramon Silveira!!!
Marina Macedo: Ramon Silveira eu fiz isso para poder me sentir assim, e com isso poder abordar melhor minhas turmas iniciantes. Passar o que eles passam novamente me ajudou muito
Roseli Serra: Vamos aprender.. FRANCÊS, ITALIANO…, Fora português, pobre de mim , só falo inglês!:p
Raquel de Oliveira: Amores de my life, nosso chat está encaminhando para fim… eu e Bruno Andrade precisamos de um (a) maravilhoooooooooso (a) volunteer para redigir um resumo crítico sobre nossa fala de vc.. Quem topa?
Eduardo Vasconcellos: Issoae, Marina Macedo.
Ramon Silveira: E agora poderei analisar o comportamento do professor com as minhas dúvidas mais básicas! Quero algo desafiadooooor, Mandarim, alguém topa? hehehehehe
Ramon Silveira: Muito legal hein Marina Macedo!
Teresa Gomes de Carvalho: Ramon Silveira, francês já está de bom tamanho, hahaha!
Roseli Serra: Show , Marina Macedo!
Roseli Serra: Voto no Ramon Silveira!
Raquel de Oliveira: Sejamos resilientes… calçar o sapato apertado de ser aluno machuca? é melhor ser o professor (profeta) iluminando o ser sem luz (alunmni)?? #advogadadodiaboaqui
Marina Macedo: Com isso eu voltei a ter a sensibilidade que eu tinha qnd me formei no TTC…. que já havia, de certa forma, perdido… achei que meu trabalho ficou mais apurado e menos carrasco
Dayse A. Barbosa: Pessoal, papo EXCELENTE, mas preciso ir !!! :(Amanhã volto aqui para ver o desenrolar … see ya
Marina Macedo: se por no lugar do aluno me ajuda bastante
Bruno Andrade: Queridos, vou precisar deixa-los! Ótimo dividir e aprender com vcs! Super obrigado, principalmente a minha companheira de moderação Raquel de Oliveira 😉
Raquel de Oliveira: SENSIBILIDADE… chave, não?
Teresa Gomes de Carvalho: Que pena que está terminando: (
Ramon Silveira: ahahahah valeu alma gêmea!
Roseli Serra: Beijocas Bruno Andrade
Marina Macedo: Raquel de Oliveira chave sempre
Roseli Serra: Ahahaha gostou Ramon Silveira? 😉
Ramon Silveira: Com certeza! Sugestões para o próximo ou ainda é cedo?
Raquel de Oliveira: Bruno Andrade, obrigadao tb!! Quem será nosso voluntário p organizar o que foi falado aqui num texto e mandará para mim ou bruno?
Roseli Serra: Ramon Silveira Ramon Ramon! 😀
Ramon Silveira: Posso tentar?
Teresa Gomes de Carvalho: Apesar de estar exausta, de ter tido uma semana exaustiva e de ter mais uma semana mais exaustiva ainda pela frente é sempre bom participar.
Raquel de Oliveira: Ramon Silveira, primeiro precisamos descobrir uma alma que queira fazer o nosso resumo… 🙂
Roseli Serra: uhuuuuuuuuuuuu ISSAÊ Ramon Silveira!
Raquel de Oliveira: Eba… Ramon Silveira vc fará , então?
Roseli Serra: Acabmos de descobrir ! uhuuuuuuuuuuuuuuuu
Ramon Silveira: Vou tentar! Desafio é grande ! Só craque aqui!
Raquel de Oliveira: Ramon Silveira, te pago um salgado no Geléia!!! 🙂 #quemmoraembanguentederá kkkkkkkkk
Roseli Serra: concordo 100% Teresa Gomes de Carvalho! A gente sempre fica ocm gostinho de quero mais né?
Ramon Silveira: Preciso de uma luz, mas tenho certeza que terei ajuda né Raquel de Oliveira, Bruno Andrade e Roseli Serra? hehehehehe
Marina Macedo: esse chat foi muito bom para mim.
Raquel de Oliveira: Teresa Gomes de Carvalho e Roseli Serra, podem continuar postando 🙂
Roseli Serra: Vc é craque tb , menino Ramon Silveira! Oxe minino! (em bom pernambuquês!) ahahaha
Ramon Silveira: hahahahahahahahahahahahahhaha um clássicoooo! Fechado!
Teresa Gomes de Carvalho: Roseli Serra, é verdade.
Raquel de Oliveira: Claro amore… Olhe nosso blog, lá há alguns postados já… veja com qual vc mais se familiariza e manda ver!! qq coisa é gritar, viu, Ramon Silveira
Ramon Silveira: hehehehehe. Obrigado!
Raquel de Oliveira: fico feliz, Marina Macedo!
Roseli Serra: Só se Ramon Silveira ficar pra fazer o resumo bem direitinho né Teresa Gomes de Carvalho?
Raquel de Oliveira: Muito bom tê-los aqui conosco, gente!!
Ramon Silveira: Fico sim!
Raquel de Oliveira: https://breltchat.wordpress.com/ > nosso blog!
#BReltChat
breltchat.wordpress.com
DISCUSSÕES SOBRE ENSINO DE INGLÊS POR E PARA PROFESSORES NO BRASIL
Teresa Gomes de Carvalho: É sempre muito bom trocar idéias depois de uma dia daqueles.
Roseli Serra: Gente do céu! To com a mesma roupa que vesti as 7 da matina! preciso ver CSI kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Minha cabeça so tem trablho e almocei em reunião.. Mas em nome da alma gêmea profissional e de Teresa Gomes de Carvalho, diga o ´povo que fico! 😀
Ramon Silveira: Valeu Raquel de Oliveira!
Roseli Serra: Leu seu Ramon Silveira?
Teresa Gomes de Carvalho: Somos duas Roseli Serra, meu dia foi maluco.
Roseli Serra: Valeu Raquel de Oliveira! Sempre bom tá por aqui!
Ramon Silveira: Li sim! Estava lendo um resumo para ver como faço mas tô aqui.
Teresa Gomes de Carvalho: Ramon Silveira, la no blog ha varios resumos.
Raquel de Oliveira: Queridos, vou colocar as coisas aqui em casa em dia… Amanhã viajo cedinho para dar 4 treinamentos numa cidade do nosso Vale do Paraíba! Beijos n’alma de cada um, e Happy ThanksGiving Day para todos nós 🙂
Roseli Serra: Fala Teca , Teresa Gomes de Carvalho!
Teresa Gomes de Carvalho: Beijos Raquel de Oliveira
Roseli Serra: Vai em paz Raquel de Oliveira! God bless ya!
Roseli Serra: Marina Macedo. ficas tb ?
Marina Macedo: Tbm vou, que amanha é dia de estudar o dia todo 🙂 Happy Thanksgiving to all 🙂
Marina Macedo: não posso… preciso fechar trabalhos da faculdade
Roseli Serra: Same to you dear , Marina Macedo 🙂
Eduardo Vasconcellos: Happy Thanksgiving. 🙂
Teresa Gomes de Carvalho: Nem reparei que hoje era thanksgiving. esqueci totalmente, poderia ter falado sobre o thanksgiving para os meus alunos: (
Raquel de Oliveira: Não resisti… voltei 🙂
Roseli Serra: Sossega, florTeresa Gomes de Carvalho! Sempre coloco as celebrations nos plan of work dos teachers pra datas como essas não passarem despercebidas na escola
Ramon Silveira: ahahahaha, banguenses não desistem nunca! Ops, Brasileiros! hehehe
Raquel de Oliveira: Atividade boa e simples para a semana de ThansGiving… Usando postIt coloridos, os alunos escrevem e completam a frase: I’m thankful for… Daí, recolhemos e colamos na parede da escola onde haja maior exposição… Fica um mural lindo, colorido e ultra coloboratiivo com boas vibes 🙂 Why not giving it a try?? Teresa Gomes de Carvalho
Roseli Serra: Dá-lhe Raquel de Oliveira ! então de onde continuamos?
Teresa Gomes de Carvalho: Na verdade os pequenininhos têm os lesson plans com estas celebrações, mas os outros não e embora a filial esteja cheia de cartazes sobre o thanksgiving, eu nem pensei na data.
Roseli Serra: Adooooro essa atividade Raquel de Oliveira! Faço tb no wall wisher!
Raquel de Oliveira : se eles não se enganjarem na decoração, fica algo não vivo… #fato
Teresa Gomes de Carvalho: É posso fazer isso com o meu Junior D, mas é que estamos nos preparando para a formatura…
Roseli Serra: Que pena Teresa Gomes de Carvalho! Tem tanta coisa legal que se pode fazer com teense adultos,…
Roseli Serra: POis é. concordo Raquel de Oliveira. Só decorção, vira paisagem!
Teresa Gomes de Carvalho: Sim Roseli Serra, na semana que vem pensarei em algo pelo menos pra não passar em branco.
Raquel de Oliveira: é rapidinho… last 5 minutes 🙂
Raquel de Oliveira: Agora vou de verdade… este chat é uma cachaça muuuuuuuuuuuuito boa… Beijocas e bom passeio a nossas almas!!!
Roseli Serra: é aí onde entra um pessoa responsavel pelos eventos. Ter um calendário de evntos É FUNDAMENTAL! E tem de ser bem ammradinho com o calendário pedagógico!
Ramon Silveira: Eu faço um anual em conjunto. Wall wisher muito legal!
Roseli Serra: POsso te mandar umas idéias Teresa Gomes de Carvalho! Mas me cobre e não eu PUF! Me esqueço! :p
Roseli Serra: Ramon Silveira do céu! Somos decididamente almas gêmeas profissionais! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Teresa Gomes de Carvalho: Roseli Serra, adoraria e poderia compartilhar com os professores.
Roseli Serra: Show! Teresa, me cobre mesmo please!
Roseli Serra: Sabe um coisa legal tb Ramon e Teresa? O BookR!
Teresa Gomes de Carvalho: O que é o BookR?
Ramon Silveira: ahahahaha, sou muito chato com planejamento! Vejo que você também! Faço o mesmo com Natal e Ano novo. Natal é All I want for X-mas is…, passo até a música e cenas do filme Love actually.Ano novo são as resolutions!
Roseli Serra: Xo te mostrar um : Minuto só!
Roseli Serra: Tô dizendo seu Ramon Silveira .. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk BINGO!
Roseli Serra: Esse aqui eu fiz como modelo na WED – world environement dayhttp://www.pimpampum.net/bookr/index.php?id=30998
Roseli Serra: Super fácil de fazer!
Roseli Serra: Os ALunos criam os deles e apresentam na sala de aula no eb
Roseli Serra: Esse aqui foi de um aluna minha , muito boa, do IT2 http://www.pimpampum.net/bookr/index.php?id=42780
Roseli Serra: Vc pode fazer o BookR ´pra Thanksgiving, etc
Teresa Gomes de Carvalho: que legal!
Roseli Serra: e fácil e Hands on Teresa Gomes de Carvalho!
Teresa Gomes de Carvalho: Excelente idéia. Vou fazer com os meus alunos no ano que vem. Este ano temos mais duas aulas antes da última prova.
Roseli Serra: Esse ano já foi né? rsrsrs
Fernanda Goncalves Dos Santos: Amei Roseli Serra!!! ótima ideia!!!! 🙂
Teresa Gomes de Carvalho: Já foi. Agora é só mais uma semana de aulas para os cursos regulares e depois prova.
Roseli Serra Que jóia Fernanda Goncalves Dos Santos! USe e abuse! è muito legal!
Ramon Silveira Show!
Gladys Garcia: Sorry, dear, só cheguei da PUC agora. Pena qie perdi. Bj
Teresa Gomes de Carvalho Roseli Serra, obrigada pela idéia e o trabalho da sua aluna ficou excelente. Adorei. PReciso ir agora, tenho que encerrar o dia.amanhã acordo cedo e tem mais!
Roseli Serra: Flor, Teresa Gomes de Carvalhoagora a canseira ta batendo pesado! Vou tb!
Teresa Gomes de Carvalho: Boa noite Ramon Silveira, Gladys Garcia e Fernanda Goncalves Dos Santos
Roseli Serra Beijoca grande, garotas e Ramon Silveira! A gente se acha! God bless you all!
Teresa Gomes de Carvalho: É sempre bom trocar experiências!
Gladys Garcia: Boa noite, gente.
Ramon Silveira: Boa noite Gladys Garcia!
Gladys Garcia: Adorei a atividade do Thanksgiving, vou fazer! Bjs, obrigada!
Ramon Silveira:Beijos alma gêmea profissional!
Fernanda Goncalves Dos Santos Boa noite a todos!!!!!
Ramon Silveira: Boa noite!
Roseli Serra: Sweet dreams Ramon Silveira and girls ❤

Mensagem a mensagem: Como nasce o professor de inglês – 18/10

O chat desta semana foi diferente: poucos participantes ( vale lembrar que era a penúltima noite da novela Avenida Brasil), mas o que surgiu durante nossa conversa foi muito rico e valioso. Partilhando o chat com todos vocês e vamos ficar super felizes em receber suas idéias e sugestões nos comentários deste blog post.

———————————

Valeria Benevolo França Olá gente, vamos começar em 5 minutos.

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite Raquel e Valeria!

Bruno Andrade Boa noite Juan! Bem-vindo!

Nina Ridd Where do we click to take part in it?

Juan Alberto Lopez Uribe Vamos lá Bruno!

Valeria Benevolo França Hi Nina Ridd aqui mesmo.

Nina Ridd Thank you!

Valeria Benevolo França Boa noite Juan Alberto Lopez Uribe

Bruno Andrade Então gente, como nasce o professor de Ingles? Como vocês se tornaram um? Que caminhos percorreram?

Nina Ridd Acredito que muitos tenham passado pelo mesmo processo que eu passei, de pais/professores notarem uma preocupação estranha em relação às palavras e à comunicação, aprender uma palavra em outra língua e acertar a pronúncia com facilidade, pegar sotaque quando viaja… mesmo enquanto criança… podem ser indícios de um potencial… o que acham?

Juan Alberto Lopez Uribe Comecei do zero. Para mim a minha primeira formacao foi essencial. Aprendi tambem muito pelo exemplo de outros professores e principalmente dos donos da escola. Tive sorte em comecar em uma escola séria.

Valeria Benevolo França Bom ponto Nina, então gosto pela língua é um primeiro ponto e depois vem a parte do gosto por lecionar?

Bruno Andrade Verdade Nina… Mas acho que a vontade vem sempre de dentro de nos mesmos. Se vier de fora não é autentico e acaba sendo passageiro.

Valeria Benevolo França Juan, então o aprender como um “aprendiz” é um modelo interessante, você acha?

Nina Ridd O gosto por lecionar, no meu caso foi inspirado pelos meus professores, eu me sentia muito bem quando via a alegria deles ao perceber nosso progresso, isso fazia eu me sentir tentada a fazer o mesmo.

Bruno Andrade Sua primeira formação vc diz graduação, Juan? Pra vc alguém só pode ser considerado professor quando sai da faculdade?

Juan Alberto Lopez Uribe Eu adorava e ainda gosto muito do inglês. Bom ponto! Acho que é bem mais dificil uma pessoa comecar se nao gosta da lingua.

Juan Alberto Lopez Uribe Fornacao inicial de professores na escola de ingles em que trabalhava Bruno.

Bruno Andrade Tb concordo. Sempre gostei da língua mas jurava pra mim mesmo que não seria professor pq não queria passar por tudo que via minha mãe passar. Não deu muito certo. Little did i know que ela sempre amou o q faz

Bruno Andrade Entendi, Juan.

Juan Alberto Lopez Uribe No momento que alguem ensina essa pessoa é professor. Ainda mais dentro de uma escola.

Nina Ridd Concordo, Bruno Andrade, a facilidade e o interesse estão nas crianças, mas cabe a quem as observa desenvolver uma sensibilidade em relação a isso para que sejam trabalhados os potenciais. Acredito que o estímulo ao interesse faz diferença no processo.

Juan Alberto Lopez Uribe Nao gosto do termo treinamento, pois o vejo um tanto depreciativo e alienante para um professor com P maiusculo.

Valeria Benevolo França Bom, me parece que todos nós tivemos esta mesma experiencia de assistir um colega e depois dar aula…então me parece também que este acaba sendo um modelo interessante de desenvolvimento “learn as you teach” vocês diriam que é quase indispensável em nossa carreira?

Valeria Benevolo França Concordo com você Juan Alberto Lopez Uribe que devemos diferenciar entre treinamento e desenvolvimento. Então, o “million dollar question” – será que tem algumas coisas que não sâo de fato treináveis? Exemplo: como é que aprendemos a dar instruções de uma forma eficaz?

Nina Ridd Sim, Valéria, pelo menos na minha carreira foi assim.

Bruno Andrade Acho que podemos sempre evoluir, Valéria. E apesar que o “Learn as you Teach” existe e é valido, o treinamento é essencial.

Juan Alberto Lopez Uribe Acho que sim Valeria. Assistir e ser assistido faz parte do oficio. Acho que um novo professor pode se desenvolver na relacao mestre-aprendiz ao mesmo tempo que vivencia outras formas o seu aprender a ser professor.

Bruno Andrade O que acham?

Nina Ridd Eu me sentia estranha por não criar nenhuma atividade quando comecei a dar aulas. Depois vi num documentário que isso é uma constante, até em música.

Nina Ridd Não existe nada COMPLETAMENTE NOVO, tudo o que se cria vem influenciado pelas crianções anteriores. Acredito que em todas as profissões/cursos seja assim o processo de criação.

Juan Alberto Lopez Uribe Otima pergunta Valeria! Acho que sim pode haver um treinamento, uma formacao maos diretiva em relacao a certos procedimentos. O meu receio é o treinamento que traz um modelo unico e o professor simplesmente o segue, sem poder refletir, criar, e tomar decisoes de acordo com seu contexto.

Valeria Benevolo França O que me chama muita a atençaõ que este processo de “mestre” e “aprendiz” exige bastante tempo para maturação..é mais lento, tem que ter tempo para digerir tudo, não acham? Ainda tem tempo para isso no mundo corrido de hoje onde “time is money”? Estou sendo advogada do diabo aqui, gent.

Bruno Andrade Que interessante vc fazer essa analogia entre profissões, Nina. Será que tanto em música quanto em Teaching somente treinamento, pratica, repetição que se atinge a “perfeição” (falta uma palavra melhor pra definir isso)? Ou será que o “dom” entre no jogo?

Nina Ridd Vou ser bem sincera. (Ops!) É ruim às vezes você escutar sempre, em todas as observações que “there is always room for improvement”, mas só é ruim porque é uma verdade BEM GRANDE. Mas que dá desânimo, dá de vez em quando.

Juan Alberto Lopez Uribe Valéria, acho que o mestre-aprendiz acontece na formação contínua na relação com o coordenador. Na formação inicial um processo mais diretivo traz mais resultados. Mas sempre gosto de pensar com os novos educadores, colocá-los para refletir.

Nina Ridd Eu às vezes esqueço que nem meus professores que eu mais amava eram perfeitos. Porque pra mim, eles eram.

Juan Alberto Lopez Uribe Nina, acho que criam-se sim coisas novas em uma área ao transpormos experiências em outras áreas para ELT. Conheço uma pessoa que criou um método que se chama Psicodrama Linguístico, onde trouxe seu conhecimento do Psicodrama para a educação.

Valeria Benevolo França Iih Nina Ridd mas infelizmente, sempre teremos algo que possa ser melhorado. Primeiro que o olhar do observador, se for uma pessoa diferente cada vez, vai ver coisas de uma forma diferente…cada um sempre vai ter sua quedinha por certas práticas e maneiras de fazer as coisas, e depois porque de fato sempre podemos melhorar…num bom sentido. Eu sei que hoje se fosse dar aula qualquer colega seria capaz de identificar algo que eu poderia fazer melhor…more than natural.

Nina Ridd Sim, Juan, o que eu quis dizer, é que ela com certeza leu sobre drama, teatro, técnicas, sobre psicologia, e sobre linguística, se inspirou em muita gente e criou em cima do que existe. Entende agora o que eu quis dizer?

Juan Alberto Lopez Uribe Que bom que algo pode ser sempre melhorado. Somos imperfeitos e estamos sempre em processo de criação. Isto nos dá vida!

Juan Alberto Lopez Uribe Sim Nina, entendi!

Bruno Andrade Concordo, Valéria. Eh um processo tão subjetivo. Mas não podemos negar que eh uma das armas mais poderosas quando ambos observador e observado estão de abertos as sugestões

Juan Alberto Lopez Uribe Na minha experência na escola, tenho sempre tido modelos de formação PPP com módulos, prática com alunos não pagantes e depois supervisão intensa nas aulas iniciais. Vcs têm experiências diferentes?

Nina Ridd É natural mesmo, hoje, depois de 10 anos de sala de aula, eu sou mais tranquila, percebo o tal “room for improvement” em muito mais coisas do que a sala de aula… esse “room” tem vindo pra mim atualmente como um estímulo para não para de estudar.

Valeria Benevolo França Isso, se pensarmos em nossos professores que nos inspiraram para ser educadores, vou lembrar de momentos ruins também ans aulas deles, mas o que fica é que eles me ajudavam a crescer, e no fim isso é uma aspecto mais forte.

Bruno Andrade Nosso antigos professores tem grande influencia na nossa carreira. Tanto os bons quanto os ruins.

Juan Alberto Lopez Uribe Gostaria de desenvolver algo mais holistico em cima das indagaçoes do grupo, mais Dogma, mas fico com receio de não dar conta de todo o conteudo. Vcs já pensaram nesta possibilidade?

Nina Ridd Explica melhor o Dogma, Juan? Não entendi direito.

Bruno Andrade Dogme eh com a Valéria! Eu acho que é grande desafio. Muito pelo sistema educacional que nos encontramos.

Juan Alberto Lopez Uribe Dogma é uma linha de ensino em que se valoriza muito o momento real com o aluno e usa-se o que existe na sala. Busca-se uma relação mais autêntica e menos pasteurizada. Me ajude Valéria, por favor.

Valeria Benevolo França Juan Alberto Lopez Uribe eu tenho cada vez mais trabalhado com o desenvolvimento de professores com uma base dialógica…amanhã mesmo vou ter uma sessão com os mentores (trabalhamos com cascade teacher development) e iremos abordar error treatment and monitoring dentro de uma sessão dialógica usando Open Space…o diálogo irá trazer as opções e soluções para dificuldades e assim podemos refletir em questões de desenvolvimento profissional.

Nina Ridd Ah, Dogme Language Teaching? Saquei, achei que estávamos falando dos DOGMAS da linguística aplicada, agora peguei o fio da meada, obrigada!

Juan Alberto Lopez Uribe Me conta mais! Acredito tanto neste caminho, ele modela muito a relação que queremos ter com os alunos, os professores tem formação na forma e no conteúdo!

Valeria Benevolo França Agora, acho que uma abordagem “unplugged” com alunos vai depender de várias questões, inclusive as políticas institucionais, os desejos de cada professor, uma vontade de fazer algo fora da zona de comforto…tudo isso, e não é tudo mundo que está pronto para isso ou gostaria de tentar. Mas eu acho uma experiência super válida.

Nina Ridd Thornbury na veia me lembra muito a Paula Colaço, todo exemplo que leio me traz à memória as práticas dela de sala de aula.

Juan Alberto Lopez Uribe Open Space é uma ferramenta online?

Bruno Andrade Pois eh, Valéria. Ao meu ver o dificuldades maior de ensino mais dialogico, mais holistico, mais Dogme o sistema ainda tem que mudar. Concepções tem que ser mudadas. Atitudes tem que ser repensadas…

Valeria Benevolo França Open Space technology é um formato de encontro/reunião onde o encontro acontece de forma orgânica, baseada nas pessoas e o que eles trazem para o espaço:http://en.wikipedia.org/wiki/Open-space_technology

Juan Alberto Lopez Uribe Vocês têm tido experiências de flipping na formação inicial? Acho que isto já é uma tendência, de pedirmos para os professores lerem ou assitirem um video antes das sessões. A questão é que nem sempre todos se preparam.

Nina Ridd Na minha formação universitária sim.

Valeria Benevolo França O criador é Harrison Owen e dentro de ELT OS tem sido muito usado nas reuniões em IATEFL e outros encontros. É muito interessante: http://en.wikipedia.org/wiki/Open-space_technology

Valeria Benevolo França Sorry wrong link:http://www.bkconnection.com/ProdDetails.asp?ID=9781576757758

Valeria Benevolo França Eu não tenho experiência de flipped classrooms, Bruno Andrade ja tentou?

Nina Ridd Na Cultura, atualmente no nosso grupo de estudos, mediado pela nossa mentora Livia, temos de nos preparar para as sessões com leitura e tem dado certo. Mas já fiz outros cursos em que as pessoas não liam e/ou enrolavam.

Juan Alberto Lopez Uribe Penso em um sistema de formação em que o centro da formação seja a observação de muitos professores, muitas aulas supervisionadas, seguidos de reflexão e dialogo com o coordenador. Os modulos seriam dados quando o professor/coordenador sentem a necessidade. Estes poderiam ser até online.

Bruno Andrade Já tentei sim. Na faculdade com um grupo de amigos. Coisa experimental no curso aberto a comunidade. Foi bastante interessante

Valeria Benevolo França Pois é Nina Ridd faz toda a diferença quando o grupo é comprometido e se prepara, e então as discussões acontecem em outro nível.

Nina Ridd Inclusive o fato de que a criação do grupo foi feita graças à vontade dos professores foi o que nos manteve lendo sem reclamar de nada. hahaha!

Bruno Andrade Poxa Nina, de onde vc eh? Que maravilha!

Valeria Benevolo França Legal a proposta Juan Alberto Lopez Uribe.

Bruno Andrade Eu sempre tento envolver os profs da minha filial, mas nenhum se prontifica.

Bruno Andrade Que barreira há? (Hoje sabemos que foi a novela. Rs)

Nina Ridd De Brasília, da filial da Asa Sul, essa ideia é recente, mas garanto que temos experienciado muito do que o Juan ta mencionando aqui. O open-space já foi usado, o Flipping é necessário para alguns encontros… a Lívia ia saber explicar melhor.

Bruno Andrade Muito bacana! Estão de parabéns!

Juan Alberto Lopez Uribe Na universidade funciona. No meu mestrado tivemos discussões ótimas onde a professora usava as nossas indagaçoes, que mandavamos antes da aula por e-mail, para conduzir as discussões. Foi maravilhoso! Ela usava as nossas palavras no discurso dela e nos guiava com muita graciosidade. Eu me senti sempre muito envolvido e valorizado. Ai de alguém se nao lesse, boiava mesmo.

Nina Ridd Eu ainda sou leiga nessa terminologia. Sorry,

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado pelo link do Open Space Valéria! Amanhã vou estudá-lo.

Valeria Benevolo França Este é um bom ponto Juan que me fez pensar…falamos que as pessoas não acompanham etc, mas se o professor de fato insiste e instiga, não acabamos cedendo e seguindo o modelo e fazendo o trabalho? Talvez.

Nina Ridd No meu é assim que as aulas acontecem. Temos de entregar um paper sobre cada artigo lido antes da discussão começar. Quem não entrega nem entra na sala. hahahahaha! #radicalismonauni

Juan Alberto Lopez Uribe Penso que para termos um bom professor, a seleção é fundamental. O que vocês buscam em um professor durante a entrevista e durante a formação inicial?

Juan Alberto Lopez Uribe Não entendi claramente o seu ponto Valéria. Vc me explicaria melhor?

Nina Ridd Eu acredito que o processo de profissionalização dos iniciantes deve ter muita observação de aula. Simplesmente para desenvolver segurança e costume com o ambiente.

Valeria Benevolo França Bom, eu sempre busco um bom nível de língua, o brilho no olho, o conhecimento que aquele profissional poderia ter diante do tempo de experiência que tem (se for recem formado, ´o que um recem formado pode trazer e se tiver 10anos de experiência, espero ver este indício) e habilidade de refletir sobre a prática.

Bruno Andrade Vc fala o iniciante observar mais experientes ou um mentor observar o iniciante? Qual deve ser o peso entre as duas formas, Nina?

Valeria Benevolo França Acho que observar aula e ser observado é algo muito rico mesmo…sei também que é um momento tenso…mas acho que é uma maneira bem boa de tentar entender “the bigger picture”.

Nina Ridd Eu entrei na sala de aula quase que somente com a minha memória dos meus professores, eles viraram quase uns arquétipos religiosos na minha cabeça. Quando eu entrava em sala, me inspirava neles, porque não tive treinamento muito hands-on, não me sentia calma.

Juan Alberto Lopez Uribe Valorizo também a língua e o brilho no olho. Gosto de gente interessante, que gosta de gente. Muitas vezes estas pessoas não são as pessoas que fizeram letras ou pedagogia.

Bruno Andrade Pedagogia do Oprimido do Freire, Juan. Muito bom vc pensar assim

Nina Ridd Bruno, as duas coisas, se possível, mas acho que o iniciante deve entrar em sala mais vezes do que só nas próprias aulas, para observar muitas aulas.

Juan Alberto Lopez Uribe Paulo Freire está tão dentro de mim, que já nem mais percebo.

Valeria Benevolo França Verdade Juan Alberto Lopez Uribe, embora eu tenho visto cada vez mais candidatos de Letras também…mas eu mesma não sou formada em letras, vim de pedagogia e História…a nossa área agrega profissionais que vieram de outras áreas e se encantaram pelo ensino da língua inglesa…mas depois acho importante formalizar o conhecimento e adquirir algumas qualificações também.

Juan Alberto Lopez Uribe Gostei da tua pergunta sobre o peso do observar e ser observado Bruno. Acho que isto se constrói na confiança com o novo professor. Dar a ele/ela a possibilidade de conhecer/ser conhecido é o começo de uma ótima relação.

Nina Ridd As qualificações ajudam muito em muitos aspectos, pessoais e coletivos, mas tem algumas áreas intimamente relacionadas com a educação que me faz ver a utilidade de profissionais de áreas diferentes no dia-a-dia da escola, uma das melhores professoras que eu já vi dá aula na minha filial e é psicóloga de formação.

Juan Alberto Lopez Uribe Concordo plenamente Valéria. Os conceitos pedagógicos são fundamentais para uma atuação institucional alinhada. Todos têm que poder sentir, ver e falar a mesma língua compartilhada. E não me refiro ao pedagogês. Pelo contrário, quanto mais claro melhor.

Juan Alberto Lopez Uribe Essa troca é super bacana Nina! Na escola temos fono, psicologa, sociologo, pedagogas, historidores, etc. A troca é intensa e consegue-se harness collective intelligence.

Nina Ridd Ela sempre nos mostra um viés de interpretação de um aluno, de uma dificuldade, de um conflito que não conseguimos exergar sozinhos. Fico me perguntando, como teria sido minha vivência (e a de outros) sem essa abertura ângulo de visão. Uma escola com profissionais variados por um lado perde o foco acadêmico inicial, mas por outro talvez traga a multidisciplinaridade na sua forma mais bela e eficaz.

Valeria Benevolo França E eu acho que esta diversidade na nossa área é uma das coisas que torna a nossa interação e trabalho tão rica…e se pensarmos, nós acabamos tendo que lidar com uma variedade de tópicos absurdo em sala de aula…e isso é bem instigante.

Juan Alberto Lopez Uribe Vcs têm experiência tendo parte da formação online na formação inicial?

Bruno Andrade na Cultura a extensão do treinamento inicial eh feita online. Funciona muito bem, Juan.

Juan Alberto Lopez Uribe Caberia bem na parte de flipping a formação.

Nina Ridd Eu já fiz 2 cursos online na minha capacitação profissional, os dois utilizando a plataforma moodle, que para uma pessoa que não teve uma educação digital das melhores, foi relativamente simples de manusear.

Juan Alberto Lopez Uribe Bacana Nina. Estou estudando Moodle agora no meu curso.

Valeria Benevolo França Sim Juan Alberto Lopez Uribe nós buscamos o desenvolvimento presencial ao lado dele feito online…mas não acredito que ele feito somente online é a melhor opção…alias, eu tenho buscado uma abordagem “minimalista” – one to one quase, estou muito impactada coma dificuldade das pessoas acharem o tempo para se relacionarem face to face….e acho isso tão importante.

Juan Alberto Lopez Uribe Que bom Bruno. Acho que é um super recurso se bem utilizado.

Nina Ridd Exato, Bruno Andrade, eu lembrei do Induction e do Inset. A melhor parte pra mim foi experienciar uma intimidade de pensamento, de viés filosófico com alguns seres que moram longe e nunca nos vimos ao vivo, alguns se tornaram meus amigos online e continuamos discutindo…

Juan Alberto Lopez Uribe Blended é um excelente caminho. A presença olho no olho é muito forte. O poder estar realmente com o outro é uma experiência única.

Bruno Andrade Queridos, vamos chegando fim do chat… Muito bom trocar com vocês!  voltem sempre e espalhem o amor que vcs tem com a profissão!

Juan Alberto Lopez Uribe Interessante NIna este lado que você coloca. As vezes o online traz disto.

Juan Alberto Lopez Uribe Foi muito bacana, como sempre é, estar aqui com vocês.

Juan Alberto Lopez Uribe Que bom que podemos sempre compartilhar o que discutimos.

Valeria Benevolo França Hoje foi uma discussão intimista e bem gostosa, bom ter esta oportunidade de trocar idéias assim. Muito obrigada Nina RiddJuan Alberto Lopez Uribe e Bruno Andrade, foi ótimo mesmo.

Nina Ridd Obrigada. Deixou food for thought pra minha cabeça… obrigada mesmo. Boa noite pra vcs!

Juan Alberto Lopez Uribe Compartilhar com os membros que não puderam participar.

Valeria Benevolo França Vou subir tudo no nosso blog. Depois é só divulgar. Boa noite.

Bruno Andrade

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado a vocês, Valeria Benevolo FrançaNina Ridd, e Bruno Andrade! Boa noite!

Bruno Coriolano Vixi… Já vi que cheguei depois da festa já ter acabado….

Bruno Andrade  Bruno! As 22:00

Mensagem a Mensagem: Usos importantes e criativos de L1

Cadu Souza Olá. Boa noite, guys.

Valeria Benevolo França Boa noite a todos.

Roseli Serra Eu pessoalmente procuro so falar inglês com meus alunos.

Natália Guerreiro ops, boa noite! 😀

Roseli Serra OI Valeria Benevolo França, oi Cadu Souza! Boa noite! 🙂

Teresa Gomes de Carvalho boa noite!

Roseli Serra Estou aqui Bruno Andrade

Raquel de Oliveira Atualmente trabalho em Escola e Universidade. Na primeira o uso de L1 é permitido… é descresce ao longo do ano. No segundo ambiente, a aula é em Inglês full time, mas noto uma grande dificuldade de alguns alunos em acompanhar…

Danilo Pereira Oi, são totalmente contra. E eu a favor de usar uma palavra ou outra.

Cadu Souza A instituição onde trabalho não chega a ser “zero tolerance” com o uso de L1, mas só usamos como último recurso.

Bruno Andrade E o que vc acha disso? Qual a sua postura, Natália Guerreiro?

Cadu Souza Olá, Roseli Serra

Natália Guerreiro mas uma coisa interessante q um controlador de tráfego aéreo falou (no nosso caso, é ESP) é q o controlador tem q code-switch port/ing direto. às vezes ele tem de falar em inglês algo q o supervisor ou o colega lhe disse em português. ou seja, treinar isso do port pro ingles seria provavelmente útil na realidade de trabalho dele.

Raquel de Oliveira Denilso de Lima, o que vc acha deste tópico?

Roseli Serra humm you have a point Natália Guerreiro

Teresa Gomes de Carvalho não há radicalismo. temos uma tendência a não usar o português mas acho interessante usar o bom senso e buscar semelhanças entre as duas línguas.

Denilso de Lima Eu não trabalho com nenhuma instituição específica. Mas, a minha postura é a de que o uso da L1 é um recurso a mais para que os professores auxiliem seus alunos no processo de aprendizagem. Trata-se de um recurso a ser usado moderada e inteligentemente.

Cadu Souza Interessante a sua colocação Natália Guerreiro

Julio Menochelli Olá!

Valeria Benevolo França Danilo Pereira, você pode nos explicar sua razão por ser contra? é com todos os níveis e idades?

Valeria Benevolo França Olá Julio Menochelli

Roseli Serra Bem , como trabalho em language institute , acho que uso de L1 só em recurso extremo

Natália Guerreiro concordo, Teresa Gomes de Carvalho e Denilso de Lima. é um recurso, é rico, por q não usar? claro, devemos aproveitar o escasso tempo para q os alunos pratiquem a língua-alvo. mas às vezes usar a L1 economiza tempo!

Roseli Serra Julio Menochelli que bom tê-lo por aqui 🙂

Raquel de Oliveira Sim, L1 usada como ferramenta e não como veículo de comunicação… certo, Denilso de Lima?

Valeria Benevolo França Denilso de Lima quando você fala em recurso, poderia nos exemplificar?

Juan Alberto Lopez Uribe Eu acho que o uso do português pode ajudar o aluno a se expressar em momentos em que ele não tem ainda estas palavras/estruturas em seu repertório. Aí o professor pode dar ao aluno a linguagem que ele necessita no momento exato da comunicação, o que é super significativo.

Cadu Souza Eu costumava ser contra também, hoje entendo que é melhor fazer uso de L1 pra manter o ‘flow’ da aula do que usar um tempo que é precioso tentando explicar uma palavra ou expressão quando esse tempo pode ser usado com algo bem mais útil

Julio Menochelli O uso de L1 mudou muito nesses meus 20 anos de ELT. Foi, voltou, foi de novo. Há ainda muito preconceito sobre o uso.

Teresa Gomes de Carvalho Sim, o tempo é curto para tanta L2 Natalia Guerreiro.

Natália Guerreiro pensando em casos extremos, por ex. lembro de meu primeiro nível de inglês. eu tinha 10 anos. o prof perdeu uma aula inteira (isso me marcou!) explicando drugstore. e os alunos chutando em português. até q, no final dos seus 45 min, ele disse “farmácia” (pois ninguem tinha entendido a mímica) e eu saí da aula sem ter praticado uma palavra de inglês e só aprendi “farmácia”. se ele tivesse falado de cara, tínhamos praticado “farmácia” em uso.

Denilso de Lima Isso é verdade, Natália. Quando o professor percebe que algo não está sendo bem compreendido (um chunk específico, por exemplo), ao invés de mímicas, malabarismos, tentativas de explicação e tudo mais, o uso da L1 economiza tempo.

Juan Alberto Lopez Uribe Concordo Cadu Souza!

Bruno Andrade Também concordo que deve ser um recurso, quase uma técnica. E pra isso deve se saber quando e como. Denilso de Lima e Roseli Serra

Roseli Serra Isso Denilso de Lima! Há de haver bom senso. Isso seria um caso extremo … seria?

Julio Menochelli Algumas instituições ainda proíbem?

Roseli Serra Veja Julio Menochelli , podem até proibir, Mas tem como controlar 100% o que é feito em sala de aula?

Denilso de Lima Eu não diria extremo, Roseli. Há situações (momento em sala de aula) que o professor percebe que naquele momento o uso da L1 é a melhor saída.

Mariana Lins acho que o uso deve ser feito em casos extremos mas devemos contar como uma ferramente de ajuda de qualquer forma.

Roseli Serra Agora ha gente que extrapola o uso de L1 . è aí onde mora o problema não acham?

Valeria Benevolo França Sim Teresa Gomes de Carvalho o uso de L1 como fator de comparação de uso de língua é muito útil – um pouco de trabalho via “contrastive analysis”, não é?

Cadu Souza O que penso do uso do L1 em sala de aula é que isso deve ser tratado de forma institucional, do contrário cada professor usa do seu jeito e quem sai perdendo é o aluno. Se vamos usar como recurso, os profs tem que saber o que a instituição entende como recurso. Vou usar apenas como última alternativa?

Natália Guerreiro a Penny Ur falou isso numa palestra q ela fez no cambridge day deste ano, q traduzir a expressão às vezes economiza tempo e vc gasta o tempo pro aluno praticar aquele item em uso em vez de ficar num guessing game. eu achei q fez sentido, ecoou minhas experiências.

Julio Menochelli Eu lembro que na Berlitz tinha câmeras para controle!

Juan Alberto Lopez Uribe O português como recurso é importante para construir a relação com alunos iniciantes. L1 pode ajudar a diminuir a sensação de impotência que alunos adultos tem ao começar um curso. Para conversar sobre o aprender em estagios iniciais o português pode ser ótima ferramenta.

Danilo Pereira Valeria Benevolo França, eu sou a favor do uso moderado e responsável, a instituição que trabalho que é contra.

Raquel de Oliveira “Veja Julio Menochelli , podem até proibir, Mas tem como controlar 100% o que é feito em sala de aula?” > boa pergunta, Roseli Serra

Natália Guerreiro trabalhei num curso com microfones na sala ligados na sala da diretora.

Denilso de Lima Isso mesmo Cadu. Como bem disse o grande profissional Luke Prodomou, “we need to break the stranglehold of negative perceptions of the mother tongue in the classroom”. Logo, as instituições que proíbem o uso da mother tongue deveriam rever seus conceitos metodológicos.

Juan Alberto Lopez Uribe Que horror Natália Guerreiro! Onde está a confiança?

Roseli Serra Que horror, Julio Menochelli! è verdade Natália Guerreiro. Vi essa palestra da Penny Ur . e concordo que economiza tempo . eu mesma já fiz isso. Principalmente com very / real beginners

Julio Menochelli Sim! Éramos punidos severamente, às vezes demitidos!

Roseli Serra Vixe Natália Guerreiro e Julio Menochelli! Nunca imaginei que esse tipo de controle horroroso existisse ..

Bruno Andrade Sim, Julio Menochelli. No Brasas, onde trabalhei, o português é totalmente proibido. Acho que muito por seguirem a metodologia audiolingual.

Juan Alberto Lopez Uribe O alunos têm sempre algo a dizer, somente lhes faltam as palavras. (não lembro de quem é esta frase)

Valeria Benevolo França Eu acho interessante este conceito de controle do professor em sala de aula…a possibilidade reagir as necessidades dos alunos em sala de aula as vezes significa sim a necessidade de usar L1, de forma breve e eficaz.

Roseli Serra BINGO Juan Alberto Lopez Uribe

Cadu Souza Denilso, não só isso. Mesmo as que permitem o uso de L1 devem deixar claro para seus profs o que elas consideram aceitável, do contrário cada um vai decidir quando e como usar da sua própria maneira.

Danilo Pereira Por exemplo em uma palavra “econimzo” alguns minutos que tentaria explicar em português. Também penso que é um recurso melhor utilizado com begginers.

Julio Menochelli Super concordo com Denilson. Além do mais, Luke é um grande amigo! Rsrs!

Roseli Serra E a gente não pode jamais inibi-los de falr mas tb não podemos encorajá-los a se acostumarem com o uso de L1

Denilso de Lima Sim Cadu. Aí entra em cena a questão do treinamento, preparação dos professores e essas coisas que sabemos bem.

Raquel de Oliveira Alguém já se sentiu ‘peixe fora d’agua’ por conta desta proibição em algum ambiente de trabalho? Como lidar?

Juan Alberto Lopez Uribe O Mario Rinvolucri escreveu um livro sobre L1 em sala:http://www.deltapublishing.co.uk/titles/methodology/using-the-mother-tongue

Cadu Souza Exato, Denilso de Lima. E isso é super importante…

Julio Menochelli Contrastive analysis! Isso mesmo, Valéria.

Fabrício Cruz Concordo com o uso de L1 em algumas situações sim, especialmente para real beginners, só é preciso cuidado para que os alunos entendam que eles não devem depender da L1 para outras situações

Roseli Serra Perfeito Denilso de Lima! Treinamento e profissionalismo, além de atitutde profissional e ética contam nessas horas tb

Raquel de Oliveira ” O alunos têm sempre algo a dizer, somente lhes faltam as palavras. (não lembro de quem é esta frase)” > Juan Alberto Lopez Uribe, concordo contigo!

Julio Menochelli Eu mesmo uso tradução para remedial work de There is/are x have/has.

Cadu Souza Exato Fabrício, e por isso acredito que devemos usar apenas como último recurso.

Valeria Benevolo França Acredito Fabrício Cruz que este é um dos principais argumentos contra o uso de L1…que cause dependência. Vocês acham que isso pode acontecer?

Natália Guerreiro eu sempre fui partidária de usar realia, visual aids, mímica, paráfrase, o q for. mas vcs já repararam q o aluno vai e escreve a tradução no livro? com frequência uma tradução errada? isso mesmo nos mais interm/avançados, q é qd vc define conceitos mais abstratos em vez de mostrar algo.

Natália Guerreiro ou seja, quero dizer q o uso de L1 em sala de aula não está no nosso controle. os alunos usam. nos livros deles, nas mentes deles.

Cadu Souza Valeria, tenho mais medo que cause dependência no professor do que no aluno…

Fabrício Cruz Acredito que essa dependência pode acontecer sim, por isso não acho indicável o uso de L1 com frequência.

Julio Menochelli Uso tb para his/her x seu/sua. Quem nunca ouviu: She went to the cinema with your husband?

Mariana Lins concordo Fabrício Cruz, uma vez utilizado em excesso os alunos podem se habituar e essa não é a melhor maneira para o aprendizado de uma nova língua

Roseli Serra eu tb Cadu Souza

Roseli Serra Isso Fabrício Cruz

Julio Menochelli Não sei se causa dependência.

Teresa Gomes de Carvalho Eu acho que isso acontece mas o uso constante do vocab faz com que fique automático e o aluno perde a dependencia da tradução Natalia

Denilso de Lima O que acho curioso nisso tudo é quando ocorre a seguinte situação:

O professor está explicando algo – by the way, por exemplo. Aí ele faz de tudo para os alunos entenderam. Quando um entende, ele olha para o professor e diz algo como “aaaaaa… é por falar nisso, né teacher?”. O professor então abre o sorriso, confirma com um “Excellent! That’s it!” e prossegue a aula.

Pergunta, os alunos podem? Mas, o professor não? Por quê? Não seria logo melhor que o professor escrevesse o chunk (ou palavra) no quadro, falasse sua equivalência na L1, e então desse exemplos na língua alvo. Isso evitaria que os alunos sugerissem coisas absurdas às vezes!

Julio Menochelli Na Wizard usam tanto e vejo alunos falando inglês…

Roseli Serra Inclusive com crianças. Acho que nós professores, algumas vezes , subestimamos nosso alunos e entramos no uso de L1 mais como zona de confirto pra nós que pra eles. è esse o meu maior receio

Mariana Lins Julio Menochelli acho que acaba se tornando um hábito que depois é dificil de ser eliminado

Natália Guerreiro exato, Denilso de Lima!

Valeria Benevolo França Um ótimo ponto Denilso de Lima. O que os outros acham disso? Concordam?

Julio Menochelli Sei não, Roseli. Não vejo isso em escolas com método como Wizard, que falei.

Roseli Serra Isso Denilso de Lima Nesse caso eu concordo

Denilso de Lima É por isso que os professores devem ter treinamento nessa questão, Roseli.

Juan Alberto Lopez Uribe Também tenho receio disto, Roseli Serra. Um patronizing da capacidade das crianças com o uso desnecessário de L1.

Raquel de Oliveira Concordo Denilso de Lima… usar a L1 como uma ferramenta para ativar o vocabulário, e ambientar o uso e viabilizar a comunicação em L2.

Valeria Benevolo França Agora, se pensarmos em nossas infâncias…quando apreendemos a andar de bicicleta, usamos aquelas rodinhas para ajudar no equilibrio até o dia em que isso não era mais necessário. Será que o uso do L1, de forma consciente e bem embasada, não tem o mesmo efeito?

Julio Menochelli Concordo!

Roseli Serra Sou a maior defensora publica , total e irrestrita de que professor precisa de treinamento e certificação Denilso de Lima!

Teresa Gomes de Carvalho eu acho que tudo pode ser experimentado mas os alunos realmente entendem mais q a gente pensa em l2

Fabrício Cruz Acho que mesmo que os alunos sugiram coisas absurdas para a tradução da palavra, ainda é uma boa idéia esperar eles conseguirem entender o significado d apalavra, pois assim estão pensando na mesma.

Cadu Souza O que penso sobre o que o Denilson disse não é que os alunos tenham mais direito de usar L1 que os professores, mas ao esgotarmos nossa tentativa de explicar em inglês aos alunos estamos expondo eles a língua e, aos poucos, aumentando a capacidade de compreensão deles. Se formos direto para o L1, como no caso do by the way, o aluno nunca irá se habituar a decodificar a mensagem – mesmo que o resultado final seja em português, isso significa que ele decodificou

Raquel de Oliveira só não podemos ter alunos tecla SAP em sala de aula… né?

Juan Alberto Lopez Uribe Gostei da analogia Valeria Benevolo França. As rodinhas possibilitam que a criança ganhe confiança e que goste do andar de bicicleta. Começar sem as rodinhas faria que menos pessoas andassem de bicicleta.

Natália Guerreiro segundo a pesquisa q a penny ur apresentou (mas o livro dela tá aqui na lista pra ler, infelizmente), o tempo gasto em tentar adivinhar o q a palavra quer dizer (seja pelo contexto, seja pelo eliciting do prof) nao se reverte em aquisição, na revisão de literatura q ela fez. claro q todo estudo na área de SLA ainda é incipiente.

Julio Menochelli Afinal, não é curso de tradução, né?

Roseli Serra O problema é o tempo que pode se levar pra tirar as rodinhas …

Mariana Lins concordo Raquel de Oliveira acho que a gente tem muitas outras opcções a serem usadas primeiro

Raquel de Oliveira A big question para mim é: como balancear o uso de L1 sem deixar o aluno numa eterna zona de conforto que o impeça de arriscar em L2?

Teresa Gomes de Carvalho eu estava hoje introduzindo a expressao “mind you” e veja bem é uma expressao dificil para alguns alunos entenderem exatamente e aí eu pergunto para eles como eles dirian em portugues a partir de vários exemplos.

Juan Alberto Lopez Uribe E se a gente estivesse aprendendo chinês? Gostaríamos de que o português fosse em alguns momentos usado. Para mim seria uma necessidade. Pode ser muito estressante estar em um ambiente tão ambíguo, principalmente no começo.

Bruno Andrade Concordo plenamente com o Denilso. A tradução êh um processo natural. Ser fluente êh tambem traduzir. Só que se faz tão rápido que êh quase imperceptível. Além disso, uma tradução objetiva e clara poupa tempo e esforço. Mas vejo que muitos professores quando comentam de tradução, tem em mente única e exclusivamente o uso de vocábulos e chunks. O mesmo não se aplica a gramática? Que já traduziu uma forma gramatical e se sentiu melhor?

Elivan Souza Eu creio que existe esta resistência porque acham que usando o pt em sala o aluno nunca vai pensar em inglës. Quem garante que os que falantes fluentes da língua não passam pela tradução tão rápida que mal percebem que estão inconscientemente usando L1 o tempo todo!?

Valeria Benevolo França Perfeito Juan Alberto Lopez Uribe ajuda criar um “non-threatening environment” de estudo.

Cadu Souza Por outro lado Juan se estivesse aprendendo qualquer língua em seu país de origem, dificilmente poderia fazer uso de sua L1.

Juan Alberto Lopez Uribe Isso é bacana Teresa Gomes de Carvalho, o comparar como as diferenças línguas expressariam algo.

Natália Guerreiro exatamente, juan. claro q nao defendo q as aulas sejam todas em L1, como umas aulas de alemao q fiz num curso mto famoso, q eram todas em portugues e a profa olhava feio pra brazuca aqui q insistia em dar guten morgen (aquela cara de “quem ela pensa q eh de falar alemao no basico 1”). kkkkkkkk mas se vc economiza tempo de fala seu pra q os alunos pratiquem aquilo na L2, p q nao?

Roseli Serra Vixe! com certeza Juan Alberto Lopez Uribe! Mas e quanto “as crianças que mudam pra países onde a L1 é ingles e eles nunca tem Port ? Eles não aprendem tão mais rápido? e isso tb não aconetce com adolescentes e com quem faz intercâmbio, ?

Teresa Gomes de Carvalho Concordo, Juan, o nosso pensamento esta estruturado em portugues, a nossa visão de mundo é em portugues e portanto é dele que a gente parte.

Elivan Souza Mas pensaria na L! Cadu Souza. Pode ter certeza.

Raquel de Oliveira Sim sim Valeria Benevolo França e San Juan, Puerto Rico: a fala implica em se sentir seguro para realizá-la

Juan Alberto Lopez Uribe Verdade Cadu Souza. Mas se temos o recurso será que não vale a pena usá-lo?

Denilso de Lima Quando falo sobre isso em minhas palestras e workshops, tem gente que falta me bater. Para mim, as pessoas estão ainda muito presas ao Direct Method. Os pais do Communicative Approach (CLT) pregavam o uso moderado da L1 nas aulas. Infelizmente, a lenda de que professor nativo é melhor que não nativo acabou fazendo com que essa parte da Communicative Approach fosse deixada de lado e esquecida. Por meio de treinamentos, certificações, conversas e atualização pedagógica (abordagem e método de ensino) todo mundo só tem a ganhar: alunos, professores, escolas, etc. Só para registrar aqui o linguista britânico David Graddol disse que “O melhor professor é aquele que fala a língua materna de quem está aprendendo o idioma. Também é preciso ser altamente capacitado e ter um ótimo domínio do idioma, claro.” Ou seja, para mim trata-se de um caso do tipo “o pior cego é aquele que não quer ver”. Ou seja, as escolas, professores e demais pessoas envolvidas no processo percebem que é algo vantajoso desde que usado com cautela e inteligência; mas, eles têm medo de fazer isso e instaurar o caos ou a dependência. É aí que entra o trabalho de teachers trainers, coordenadores…

Julio Menochelli Quando dei aula na Inglaterra, tive senti muita falta do uso de L1 em varias situações. Uma vez, num grupo de orientais, perdi meia hora para explicar o que era transport!!

Raquel de Oliveira Na educação infantil, tenho notado algo interessante. As crianças de 2-5 anos misturam L1 e L2 na sua fala cotidiana… eles são expostos a 4 horas semanais de Inglês.

Natália Guerreiro não sei se são assim tão encorajadores os estudos em contexto de aprendizado no país nativo… não tem aquele caso clássico do W… esqueci o nome dele, q era super fluente e acurácia nenhuma?

Bruno Andrade Clap clap clap, Denilso.

Raquel de Oliveira Como nosso pensamento é estruturado? Em L1? Nosso enfoque aqui está em monolingual classes, mas quando a realidade não é esta como Julio Menochelli bem colocou aqui?

Cadu Souza Sim, Juan. Concordo que devemos usá-los. Elivan Souza, pensar na L1 aconteceria, sim, mas vc dificilmente teria um prof com a sua L1 pra te ajudar

Juan Alberto Lopez Uribe Concordo Denilso de Lima, o fato do professor transitar nos dois mundos línguísticos pode ajudar muito o aluno.

Teresa Gomes de Carvalho eu uso portugues para os alunos traduzirem uma parte de uma musica do portugues para o ingles e comparar com a letra original em ingles da musica. é muito interessante ve-los contrastar o que eles sabem com o real english e eles verem que eles tb conseguem alcançar. otima oportunidade para sentido figurado vs sentido literal e expressões.

Elivan Souza E o dicionário, Cadu Souza? Eu usei MUITO quando estudei em Londres e dormi MUITO nas aulas quando náo entendia nada. rs

Natália Guerreiro mas a realidade do pais nativo eh tao encorajadora assim?

Raquel de Oliveira Sem falar no apelo comercial… No curso x, na escola z vc NÃO falará Português… #playingthedevil

Roseli Serra Foi o que falei. Quando fz intercambio ainda adolescente e depois fui estudar na inglaterra com multilingual classes, não tinha nada de L1 p me salvar

Bruno Andrade Verdade, Raquel.

Roseli Serra ahh é vero Raquel de Oliveira! aff 😦

Denilso de Lima Lembrei aqui uma coisa! No Direct Method a regra era “jamais traduza: demonstre”. Depois no Audio Lingual Method a regra foi reforçada: “o uso da língua materna do aprendiz é proibido”. Depois, Finocchiaro e Brumfit, dois pais da Communicative Approach escreveram “o uso prudente da língua materna é aceito quando necessário”. Isso eles escreveram em 1983. Eu não entendo que parte do PRUDENTE as pessoas não entenderam ou não entendem!

Elivan Souza Roseli Serra mas com certeza vocë perdeu um tempo precioso.

Roseli Serra rsss é verdade Denilso de Lima

Raquel de Oliveira Denilso de Lima, a parte comercial do aluno achar que não está falando a língua que ‘comprou’…?

Natália Guerreiro foi o q falei assim q abrimos a discussão: tem uma interpretação mto direct method no ‘communicative’ praticado até hj.

Julio Menochelli Boa, Denilson!

Roseli Serra Não , Elivan Souza. Ao contrário, foi quando mais aprendi

Juan Alberto Lopez Uribe Muitas vezes os alunos têm o mesmo livro em Português e Inglês e eu faço a seguinte atividade. O aluno lê em português traduzindo para o inglês e depois eu leio como seria o original em inglês. Ai inverto eu fazendo a trdução e os alunos leem o original. Eu mesmo não consigo trazer a riqueza do original. Os alunos gostam bastante.

Teresa Gomes de Carvalho Roseli, uma vez entrei p substituir uma professora em uma turma de crianças de 10 anos e fiz uma brincadeira dizendo q havia esquecido todo o meu portugues e eles se comunicaram e se ajudavam qdo um deles nao conseguiam. foi muito bom ve-los tentando e conseguindo!

Juan Alberto Lopez Uribe No Community Language Learning (do Charles Curran) L1 era usada. Lembram disto?

Bruno Andrade Muito bom, Juan! Os exercícios de tradução e versão são ótimos exercícios pra mente e pro aprendizado.

Cadu Souza Elivan Souza, concordo com Roseli Serra. Essa ‘perda de tempo’ inicial significa ganhos enormes futuros

Roseli Serra BINGO Teresa Gomes de Carvalho! Volto ao meu ponto: A zona de conforto do prof, o fato de subestimarmos os nossos alunos “as bezes e tb ao que Denilso de Lima falou: qual a parte da prudencia que o professor nao entende né?

Cadu Souza Quando trabalhei em Macaé uma das professoras da escola era Russa e o Português dela era péssimo MESMO. Ela dava aulas para criancinhas sem falar um ‘piu’ em português

Teresa Gomes de Carvalho pra certas coisas L1 é um caminho mais prático e a gente ganha tempo.

Raquel de Oliveira Gente, o povo critica o audiolingual e ama o PPP. Mas não seria o segundo filho do primeiro? Acredito que estudar como estruturamos nosso pensamento é crucial… nós educadores precisamos nos focar, nos apropriar nesta bases antes de nos moldarmos a metodologias específicas das instituições onde trabalhamos

Elivan Souza Cadu Souza o oposto também é verdadeiro. rs

Denilso de Lima Raquel, uma vez em uma mesa-redonda esse assunto entrou na discussão. Afinal, na Lexical Approach defendemos o uso da L1. Na hora eu respondi que o comércio (escolas, editoras, faculdades, etc.) enfiaram na cabeça do povo a ideia de que a aula tinha de ser sempre em L2 para quem os falantes nativos que se aventuram ao redor do mundo possam ganhar uns trocados em cada país no qual passam para continuar a viagem. Quem aí já viu estrangeiro que vem ao Brasil e para ganhar uma graninha procura dar aulas de inglês. O cara não tem método, conhecimento pedagócico, didática, nada disso e dá aulas para seguir em frente. Esse comércio realmente está na cabeça das pessoas até hoje.

Valeria Benevolo França As vezes também é interessante pegar aquelas revistas de avião e comparar os textos em ingles e portugues…hoje mesmo estavamos falando sobre isso com Guilherme Pacheco e Fernando Guarany , que deu uma exemplo bom disso.

Roseli Serra Excelente colocação Raquel de Oliveira!

Raquel de Oliveira Repetindo: A big question para mim é: como balancear o uso de L1 sem deixar o aluno numa eterna zona de conforto que o impeça de arriscar em L2?

Roseli Serra Elivan Souza, permita-me discordar de vc. Nunca tive perdas de tempo no meu rpcesso de aprendizagem., Ao contrário, mais pressão,mais ganho!

Jossely Oliveira Outra coisa que precisamos pensar é no pouco tempo que os alunos se expõem a língua aqui no Brasil… é injusto gastar tanto tempo tentando explicar uma expressão… diz o equivalente em português, pede pros alunos dizerem em que situações aquela expressão é usada e segue em frente (em L2, lógico! srsrs) Os momentos em que se faz necessário o L1 são tão curtos, alguns segundos de um todo de 1h15 – duas vezes por semana (no meu caso)

Denilso de Lima Ano passado, em algum momento escrevi sobre esse assunto. Vejam o link abaixo para mais detalhes:

http://www.denilsodelima.com/portugues-na-aula-de-ingles/

Juan Alberto Lopez Uribe Acho que existem vantagens e desvantagens e é pela conversa institucional sobre o tema que se chega nas melhores práticas. O assunto tem que ser conversado. No dizer que pode ou não pode sem aprofundar pode se perder as vantagens de um dos dois lados.

Cadu Souza Raquel de Oliveira, acho que a melhor maneira de balancearmos é sentindo a necessidade do aluno/turma naquele determinado momento

Natália Guerreiro Mas, Raquel de Oliveira, acho q ninguém sugere impedir o aluno de arriscar em L2. Por ex, se eu traduzo um termo para economizar tempo e depois ponho atividades de conversação em q aquele termo vai ser usado, pelo contrario, estou usando a L1 para impedi-los de usar mta L1 e encoraja-los a usar a L2.

Teresa Gomes de Carvalho Valéria, eu sempre comparo o ingles e o portugues.

Roseli Serra Juan Alberto Lopez Uribe, obrigada pelo link que vc enviou lá em cima

Fabrício Cruz Bem apontado Natália Teixeira

Bruno Andrade Tb acho legal. As vezes peco a eles pra fazer em grupos diferentes trabalho de tradução e versão do mesmo texto. Eles então comparam. Sempre rola muita reflexão .

Cadu Souza Então deixa eu fazer uma pergunta também, vocês acham que o uso de L1 só serve para níveis iniciantes? Existe alguma situação em que podemos usar L1 com intermediários e avançados?

Giselle Santos Boa noite, sempre chego atrasada mas como boa lurker rs estava lendo todas as ótimas contribuições

Elivan Souza O problema surge quando você vai dar uma aula sobre o Present Perfect por exemplo e os alunos mal sabem o que é um tempo composto em pt. Nesta hora, é preciso dar um mini curso de pt. E não precisa nem ir muito longe. Tem alunos adultos graduados de empresa que não sabem o que é um verbo, adjetivo, etc. Como vc vai dar aula para uma pessoa desta sem antes dar uns toques em pt aqui e alí. Como sou autônomo eu chego até mesmo a dar um mini curso no decorrer da aula.

Cadu Souza Boa noite, Giselle Santos

Raquel de Oliveira Há espaço para a Interlingua em sala? Como lidar?

Natália Guerreiro sim, cadu! acho q o povo deu exemplos aih bem avançados: revista da companhia aérea, livro…

Juan Alberto Lopez Uribe Bruno e Valéria, muito interessantes as atividades sugeridas com L1!

Natália Guerreiro mas só há interlíngua em sala, não?

Denilso de Lima Cadu, eu acredito que há situações nas quais os alunos intermediários e avançados também se beneficiam com o uso da LM.

Teresa Gomes de Carvalho eu ja dei aula em um curso onde portugues era terminantemente proibido nas dependencias e os alunos se viravam. L1 nem pensar. dava certo tb

Valeria Benevolo França Eu acho Cadu Souza que o que vai ser elegido pode ser diferente. Em vezes de palvras curtas podemos ver chunks of language em níveis mais alto.

Raquel de Oliveira Natália Guerreiro: A transferência, a interferência e a interlíngua 🙂

Roseli Serra Claro Teresa Gomes de Carvalho

Roseli Serra Perfeito Valeria Benevolo França!

Juan Alberto Lopez Uribe Teresa, mas será que aprenderiam melhor se pudesse L1? Eles sempre se viram.

Julio Menochelli Teresa, os alunos aprendem nos mais variados ambientes!

Natália Guerreiro desculpa, Raquel de Oliveira, ainda não entendi. tudo q meus alunos produzem, a meu ver, é interlíngua.

Giselle Santos Cadu Souza, acho que L1 para advanced levels é como uma DR tem horas que é preciso esclarecer as dúvidas (*DR= Discutir Relação) mas o foco não deve ser em L1 mas sim no que ficou pouco entendido. ClarifyXtranslate

Natália Guerreiro e tudo q eu produzo, pra ser sincera, eh teacherese, não é inglês.

Cadu Souza Boa, Giselle Santos

Julio Menochelli Pessoas são diferentes, e aprendem diferentemente!

Raquel de Oliveira Natália Guerreiro, excelente ponto levantado!

Roseli Serra Gente, e as questões dos learning styles e strategies do aluno? Naõ teriam a ver se ele se beneficiará mais ou menos com o uso de L1?

Teresa Gomes de Carvalho sim, eu mesma aprendi ingles em ambientes diferentes e aprendi. meu pai aprendeu com o metodo listen and repeat e falava um ingles impecavel.

Denilso de Lima Um exemplo para intermediários e avançados seria ao falar mostrar diferenças em sentenças como “I’ve been living there for ten years” e “I lived there for ten years”. Nesse caso, comparar as duas sentenças com a língua materna (português) ajuda os alunos a assimilarem melhor quando usar a preposição FOR com o Present Perfect Continuous e o Past Simple. Também vejo situações com alguns chunks (formulaic language).

Raquel de Oliveira Boa, Julio Menochelli… Mas como atender estas necessidades se há que se haver um método que padronize as aulas de dadas instituições?

Julio Menochelli O que não se pode é fechar os olhos e blindar do uso de coisas aqui e ali porque disseram-nos que era ‘pecado’.

Cadu Souza Boa, Denilso de Lima

Roseli Serra Isso Giselle Santos! como no caso de Idioms pra upper intemediate level. once in while até que a L1 pode e deve acontcer como ferramenta de ajuda.

Roseli Serra Bingo Julio Menochelli!

Juan Alberto Lopez Uribe Ai depende Raquel de Oliveira, dá abertura da instituiçao. É mais fácil para escolas pequenas, uma vez que o uso adequado pode ser subjetivo.

Juan Alberto Lopez Uribe Todo dogma é alienante.

Roseli Serra Vc tá falando de métodos assim.,. fechados do tipo Wizard, etc, Raquel de Oliveira?

Julio Menochelli Acho um medo bobo esse de não pode isso, não pode aquilo. Como se ensinar fosse seguir preceitos e somente preceitos. Parece religião, oxente!

Natália Guerreiro outro exemplo de usar L1 pra gramática é facilitar o transfer positivo, ou seja, aquele q vai ajudar. sabe aquele estágio q eles omitem o cópula? “i student”? (tá, nunca vi com esse exemplo, mas omissão de BE já vi a rodo.) daí vc aponta com a finger technique e tal, mas se vc traduz, delicadamente aponta q ele está dizendo “eu aluno”, tvz nao queime a etapa e acelere essa omissao de copula? ou seja, a l1 dele pode ajuda-lo a chegar mais rapido na l2.

Teresa Gomes de Carvalho hoje mesmo me virei do avesso para demonstrar ‘ in spite of’ meu aluno virou e disse ‘ah, é apesar de. ai eu falei, ok, agora vamos comparar como usamos em port e ingles as estruturas…

Giselle Santos é interessante essa coisa de idiioms até prq e levarmos para o lado de L1 não chegamos a um acordo muitas vezes… me pergunto o prq não levar uma discussão em Ingles sobre as diferenças …enfim…vejo de uma forma muito calar a diferença entre usei L1 prq estou com preguiça de explicar para usei L1 prq nesse momento o meu aluno vai fazer uma conexão memorável!

Julio Menochelli Os melhores professores que eu já vi na minha carreira eram aqueles que realmente ouviam seus alunos.

Juan Alberto Lopez Uribe Isso mesmo Julio Menochelli. Professor é ser pensante, reflexivo, que percebe sua sala e tem autonomia para fazer decisões pedagógicas. Tirar isso do professor não dá!

Raquel de Oliveira Instituições treinam profs e as aulas ‘precisam’ ser homogêneas, @roseli

Roseli Serra Pq veja na verdade, não usamos um método só nem um aprroach só, correto? Temos a base no communicative approach , por exemplo mas vai e vem usamos outras coisas de ” antigamente’ que se tornaram tabus muitas vezes

Elivan Souza Teresa Gomes de Carvalho aí está algo que eu traduziria na bucha.

Julio Menochelli E ouvir, às vezes significa, professor traduz que não entendi bolhufas!!!

Valeria Benevolo França Acho que talvez gostem deste blog post sobre o assunto: http://eltnotebook.blogspot.com.br/2006/11/using-l1-in-efl-classroom.html

Roseli Serra Ainda mais que certas coisas que foram outrora banidas, como o uso de L1 agora nãp são mais “pecado”

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado pelo link do blog Valeria!

Bruno Andrade Alguém com alguma outra atividade criativa pro uso da tradução em sala?

Denilso de Lima O problema Julio é que as escolas (instituições) fazem as pessoas pensar que é assim. Para piorar os professores que essas escolas marqueteiras contratam são geralmente pessoas sem conhecimento sobre ensino/aprendizado de línguas. Aí os caras perpetuam a ideia de que é proibido o uso da L1. Ou seja, o marketing destas escolas mais a contratação de “professores” de fachada é o que atrapalha a mudança e o pensamento crítico para assuntos como este que estão discutindo aqui. #prontofalei rsrsrsrs

Valeria Benevolo França E embore não seja exatamente nosso assunto, vale ver esta pequena entrevista do Guy Cook sobre Translation: http://www.youtube.com/watch?v=7CHMfboM06g

Raquel de Oliveira “interlanguage: In the process of acquiring a second language, a language learner may acquire forms of language that are in between their first language and their target language. This can happen when, for example, they incorrectly apply rules of their native language to the target language, or they have not completely learned the full extent or limitations of a rule’s use and so misapply it systematically.

Interlanguage may seem completely logical and correct in the mind of a language learner. It may also be a part of a natural learning process where rules get more refined as more input is received. However, if learners fail to receive corrective feedback, these interlanguage forms may fossilize.” > para mim é o que temos em sala de aula, meu povo!

Natália Guerreiro eu gostei mto da atividade do scott thornbury q postei aqui outro dia, Bruno Andrade, mas o link agora nao está funcionando. =( ele gravou uma egipcia descrevendo a cidade dela em arabe e pediu pra os alunos irem explicando pra ele, q nao falava arabe, o q ela disse.

Juan Alberto Lopez Uribe Um aluno meu adorava futebol e ele lia sobre o time dele e depois me recontava. Ou ele lia e me contava sendo um dos personagens. Aparecia cada expressão como lanterninha, fominha, etc era divertido e ele adorava. Era bem desafiador para mim também.

Roseli Serra Ótimo link Valeria Benevolo França!

Elivan Souza Tempo sempre foi dinheiro e hoje a coisa está muito pior. O aluno quer a tradução ali agora. Anos 80 ficou para trás.

Cadu Souza O que percebo é um consenso no uso de L1 apenas quando se está apresentando language, é isso mesmo?

Juan Alberto Lopez Uribe A gente ia ler jornais esportivos para aprender termos.

Roseli Serra eu tentei Natália Guerreiro

Denilso de Lima Bruno, acabei de pensar em uma atividade aqui. Algo do tipo telefone sem fio. O professor cochicha uma sentença (ou um chunk específico) para um aluno. Esse aluno deve passar para o próximo aluno em inglês. O segundo aluno passa para o terceiro e assim em diante. Quando o último aluno receber a mensagem, ele deverá passar para o professor. O professor então confirma o que houve no meio do caminho!

Julio Menochelli Não Cadu.

Julio Menochelli Em to das as situações, desde que com um propósito!

Fabrício Cruz Muito bom o papo, mas vou ter q ir agora. Foi um prazer falar com todos vcs! Até a proxima!

Cadu Souza Ok

Roseli Serra Não Cadu Souza! Presenting language em L1 , eu não diria…

Raquel de Oliveira e até agora estamos falando de realidade de Institutos… e em escolas? Há MUITOS professores que não conseguem se comunicar em L2 #fato

Roseli Serra Concordo com Julio Menochelli. Vai depender da necessidade do uso de L1, do nível dos alnos, do contexto, não acham?

Cadu Souza Ok, Julio Menochelli. Mas fica a dúvida, se os alunos já sabem o equivalente do L1 em inglês, pra que fazer uso de L1 novamente? Roseli Serra, quando falei em presenting, estava me referindo a solucionar dúvidas nesse momento, não apresentar toda a língua em L1

Julio Menochelli Vishe, Raquel. Lá o objetivo muitas vezes é outro.

Valeria Benevolo França De fato estamos quase ao fim e então podemos tentar resumir alguns pontos principais de nossa discussão. Quem cmeça?

Natália Guerreiro acho q se a aula é de inglês pra leitura, realmente nao precisa de mta L2 em sala.

Julio Menochelli Analise de gênero, etc etc…

Elivan Souza Cadu Souza continuamos começando a aula com L2. Se cair no atoleiro, usa L1 sem culpa.

Teresa Gomes de Carvalho eu tinha uma aluna q trazia um michaellis e traduzia tuuudo, ai dei umas dicas de learners dictionaries mais basicos e la gostou. era pura inseguranca,

Roseli Serra Ah Cadu Souza , desculpe o mal entendido!

Bruno Andrade Me FB congelou, galera. Chegam as notificações mas a mensagens não aparecem. O de vcs esta bem?

Juan Alberto Lopez Uribe L1 pode ajudar para traduzir algo que é difícil e demorado de explicar na L2.

Raquel de Oliveirahttp://www.inventario.ufba.br/05/pdf/sromanelli.pdf

Roseli Serra Td certo por aqui Bruno Andrade; Sai e entra de noco que resolve

Cadu Souza Queridos, também estou partindo. Meus olhos estão fechando. Beijos em todos e até o próximo. Como sempre, adorei estar aqui…

Natália Guerreiro acho q nao só no atoleiro, elivan. o povo aí deu exemplos interessantes em q se dá uma task pro aluno. a task já envolve o paralelo entre port e ing. ainda nao tentei. vou pensar como.

Julio Menochelli Pode-se usar L1 sim, desde que com um objetivo.

Juan Alberto Lopez Uribe L1 pode ajudar na confiança de beginners.

Roseli Serra eita bjks Fabrício Cruz a gente se fala amore!

Raquel de Oliveirahttp://www.revistas.ufg.br/index.php/sig/article/view/3743 – L1: MADRINHA OU MADRASTA? – O PAPEL DA L1 NA AQUISIÇÃO DA L2*
HELOÍSA AUGUSTA BRITO DE MELLO

Roseli Serra Cncorodo com os 2 : Julio Menochelli e Juan Alberto Lopez Uribe

Natália Guerreiro o meu está bem, Bruno Andrade

Roseli Serra mAs L1 em dose homeopáticas1 rsrsrss

Juan Alberto Lopez Uribe L1 pode ser bom para conversar sobre o aprender e para dar e receber feedback.

Denilso de Lima Aí o problema é mais complicado, Raquel. Para esse público temos de cobrar dos governantes uma política pública de ensino de língua inglesa. Com isso, mexeria-se também na formação de professores em cursos de Letras. Aliás, curso de Letras, em minha opinião, deixaria de existir. Passaríamos a ter um curso de TESOL nas faculdades. Os candidatos seriam avaliados linguisticamente (nível FCE) para cima. Mas, essa política pública teria de fazer com que os alunos terminassem o ensino médio com nível FCE. Aí sim a coisa seria bem diferente! Mas, como bons brasileiros, nós sabemos bem como nossos governantes estão preocupados com isso, não é mesmo?

Raquel de Oliveirahttp://www.inventario.ufba.br/05/pdf/sromanelli.pdf – Traduzir ou não traduzir em sala de aula? Eis a questão

Valeria Benevolo França Bom, como bem sabem temos nosso blog onde irei postar as nossas mensagens. Ficariamos imensamente grato se alguem se oferecesse para resumir alguns pontos de nossa discussão?

Juan Alberto Lopez Uribe L1 pode ser interessante nos exerciccios de tradução.

Juan Alberto Lopez Uribe Nossa, será que fundimos o FB? Travou aqui!

Raquel de Oliveira Denilso de Lima é uma seara árdua, viu? Mas eu ainda acredito 🙂

Natália Guerreiro http://itdi.pro/blog/2012/10/01/breaking-rules-scott/ aqui o link do scott com o exercício no egito!

Roseli Serra You bet Raquel de Oliveira!

Roseli Serra Muito legal esse link do Scott

Denilso de Lima Eu também, Raquel. Posso não ver isso acontecendo, mas creio que estamos todos aqui preparando o terreno para que no futuro nossos herdeiros continuem a luta e façam essa mudança acontecer! rsrsrs

Juan Alberto Lopez Uribe Boa Natália Guerreiro! Rules are made to be broken!

Valeria Benevolo França Estamos chegando ao fim. Foi uma discussão maravilhosa hoje, com velhos amigos e novos também. Agradeço aos moderadores Raquel de Oliveira e Bruno Andrade pela co-moderação. Tenham todos uma ótima fim de noite e muito obrigadapor estarem aqui. Se gostaram da conversa reflexiva, convidem outros colegas para fazerem parte de nosso grupo. Um abraço a todos.

Roseli Serra ahahhaa Juan Alberto Lopez Uribe

Elivan Souza Natália Guerreiro e quem dá aula de busines tem de traduzir mesmo aquelas terminologias e expressões cavernosas porque senáo vai passar a aula inteira e o aluno com cara de paisagem.

Juan Alberto Lopez Uribe A questão é que aceitar usar L1 implica em perda de poder para o professor, existe uma posição ideológica ligada ao uso de L1. Mas aí já é outra conversa…

Denilso de Lima Pela primeira vez consegui participar full time. Hmmmmm… Sinal de que estou conseguindo voltar ao normal! rsrsrsrsrsrs Valeu pessoal! Boa a noite a todos! 🙂

Roseli Serra e bota conversa nisso né meu amigo Juan Alberto Lopez Uribe? ôooooooooooo

Giselle Santos muito legal! Mesmo atrasada é ótimo saber que posso catch up mais tarde =) Boa Noite!

Julio Menochelli Boa noite, queridos! Adorei a companhia!

Roseli Serra Show de bola Denilso de Lima!

Roseli Serra bjks Giselle Santos e Julio Menochelli ♥

Elivan Souza Juan Alberto Lopez Uribe como assim? Acho que só se o aluno náo tiver confiança no professor.

Bruno Andrade Obrigado a todos por sugerir, votar e participar do BRELTCHAT! Obrigado em especial Valeria Benevolo França e Raquel de Oliveira – boa noite a todos!

Raquel de Oliveira Valeria Benevolo França e Bruno Andrade: a cada dia que passa acredito mais que unidos conseguimos mais 🙂 A cada amigo de profissão aqui presente hj: a big THANK YOU!!

Jossely Oliveira Ótima discussão! Boa noite!

Valeria Benevolo França Boa noite, sleep tight you all (and don’t let the bed bugs bite”!

Juan Alberto Lopez Uribe É sempre muito bom estar com vocês aqui no Breltchat. Parabéns a todos pela ótima discussão!

Raquel de Oliveira Denilso de Lima, meu amigo… mt bom tê-lo aqui hj 🙂 Julio Menochelli tb estreou… #feliz feliz

Raquel de Oliveira PessoALL do RIO: Quem vai amanhã no evento do BrazTesol Rio Chapter??? Nos vemos lá!!!

Roseli Serra Uma boa noite pra vcs, Valeria Benevolo França,Bruno AndradeRaquel de Oliveira e a todos vcs, meu povo!

Roseli Serra Da-lhe Julinho Julio Menochelli! Muito bom! uhuuuuuuuuu

Juan Alberto Lopez Uribe Elivan Souza, o professor pode se comunicar somente na L2 como uma forma de ter um discurso dominante sobre o aluno, isto foi a que me referi.

Juan Alberto Lopez Uribe Bem-vindo Julio Menochelli!

Roseli Serra Pense numa figuraça fera que é Julio Menochelli 🙂 Bom tê-lo aqui, !

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite a todos!

Teresa Gomes de Carvalho boa noite pra todos, in spite of having to use my limited cell phone keyboard, foi muito bom participar.

Roseli Serra Boa noite Juan Alberto Lopez Uribe. A gente se fala!

Mensagem a Mensagem: “Teaching Naked”: o que é, quais são os princípios e técnicas – 20/09

A nossa proposta para este chat era de tentar identificar as diferenças ou semelhanças entre “Teaching Naked” e “Unplugged Teaching”, mas ao longo da discussão ficou claro que estávamos ainda tentando compreender o que exatamente era “Teaching Naked” (alias, invertemos o nome na chamada, oops), conforme proposto pelo professor universitário José Bowen. Portanto, nem chegamos ao tema de “Unplugged Teaching” e por isso achei por bem remover do título esta segunda terminologia deste blog post.

A nossa discussão foi bem dialógica, interativa e gerou muitas perguntas.

Vale a pena verificar o blog do José Bowen: http://teachingnaked.com/

Nós ainda vamos tentar, via o blog, explorar este tema em mais detalhes.

Mas por enquanto, vejam o que aconteceu durante nossa conversa.

———————————-

Valeria Benevolo França Boa noite.

Bruno Andrade Quem esta online?

Juan Alberto Lopez Uribe Boa noite a todos!

Ramon Silveira Opa! Boa noite!

Bruno Andrade Boa Noite, Val! 🙂

Roseli Serra Eu e Juan :b

Roseli Serra OI Valéria! oi Brun , oi Juan!

Ana Amaral Boa noite a todos 🙂

Roseli Serra Aqui Valeria Benevolo França?

Bruno Andrade Olá, queridos! Boa noite Juan, Ramon, Ana e Roseli! 🙂

Roseli Serra Boa nite de novo, Bruno Andrade

Cadu Souza Boi noite, pessoal.

Roseli Serra noite

Cadu Souza Bom, eu não sei muito, apenas que a ideia é não usar tecnologia em sala de aula. O intuito é aumentar a interação professorxaluno.

Marcelo Elias Boa noite a todos. Naked x unplugged? Me pegou. Vim p aprender.

Cadu Souza Pelo que li o uso da tecnologia deve ser anterior a sala de aula, visando que o aluno chegue munido de ferramentas para aumentar a interação com os demais alunos e prof.

Juan Alberto Lopez Uribe Pelo que eu entendi a idéia do Naked teaching é utilizar a tecnologia em casa para a parte informativa antes da aula e focar na discussão entre os alunos no tempo em que estiverem juntos na sala.

Bruno Andrade Vc acha que tecnologia afasta professores e alunos, Cadu?

Roseli Serra Sim , é por aí…mas há controvérsias , não?

Valeria Benevolo França Todos conseguiram ver o video que o Juan partilhou?

Ramon Silveira Então o termo naked viria da idéia de não usar nada em sala?

Roseli Serra INfelizmente não vi todo..

Cadu Souza Bruno, eu não acho não, mas entendo que às vezes o uso da tecnologia faz a aula um pouco ‘board centred’

Cadu Souza Isso Ramon Silveira

Valeria Benevolo França Acredito que sim Ramon Silveira

Ramon Silveira Concordo com o Cadu Souza e complemento que depois do Interactive board isso aumentou, não acham?

Cadu Souza O que eu gosto da ideia do Naked Teaching é que se formos capazes de trabalhar sem usar a tecnologia, poderemos nos tornar mais conscientes do uso dela.

Roseli Serra Eu creio que as novas tecnologias podem aumentar e muito o engajamento de nossos alunos fora da sala de aula e, assim, prepará-los para as discussões reais , o que acham?

Cadu Souza Eu preciso, como professor, saber reconhecer as alternativas para a minha prática de ensino

Juan Alberto Lopez Uribe Um ponto que me parece é que naked teaching tem que ser uma decisão institucional, pois é uma mudança grande e uma vez que os alunos se envolvem é incoerente ficar mudando de modelo.

Valeria Benevolo França O ponto principal de Nked Teaching não é um ataque a tecnologia masum ataque ao uso chato de power point em palestras universitárias…um pouco a idíea de death by power point.

Cadu Souza e às vezes o não uso de tecnologia é uma dessas alternativas

Bruno Andrade Pois eh, por isso que e luto sempre para que haja um aproach mais humanistico quanto a tecnologia. Muitos professores focam na ferramenta ao invés de focar no que a ferramenta pode fazer para melhor o aprendizado, Cadu Souza

Roseli Serra Isso, Cadu Souza . Pra mima atenção não pode ser na tecnologia e sim no aluno. Learner centred e não e-board centred, ou algo por aí . è tudo uma questão de equilíbrio

Ana Amaral Interessate. No entanto, como fazer com que os alunos comrem a ideia? Alguns dos meus se recusam a usar a internet (a única coisa que eles tem de diversão) para aprendizado autônomo.

Juan Alberto Lopez Uribe Mas acho que nao temos death by powerpoint nas nossas salas, isso é mais para faculdades… Mas vale a pena pensar no tempo investido na apresentação e na discussão de temas.

Ana Amaral *comprem

Ramon Silveira Pensando então nos alunos, como acham que eles iriam reagir ? Seria notável para eles ?

Juan Alberto Lopez Uribe Isto é verdade Bruno Andrade. Usar uma tecnologia da moda sem ter focos claros é perigoso.

Cadu Souza Ana, quando a aula é bem montada os alunos irão se divertir e engajar mesmo sem uso de tecnologias.

Roseli Serra Sim, Juan Alberto Lopez Uribe. Eu sinto que muitas vezes os alunos ficam coma ‘ retina cansada” de tanta imagem.

Roseli Serra Isso aí Juan, o foco da aula é o que e quem?

Bruno Andrade Olá Marcelo Elias, estamos todos aqui para aprender! Tb não domino muito o assunto, mas sempre temos o que acrescentar 🙂 bem-vindo!

Roseli Serra Sim. Já assisti aulas excelentes e muito recentemente , sem uso de tecnologia.

Roseli Serra Não domino tb não Bruno

Marcelo Elias Ana, vc está falando do uso da tec fora de sala de ayla?

Cadu Souza Acho interessante a ideia do não uso da tecnologia pois exige uma maior preparação por parte dos professores e o que tenho visto são professores com aulas ‘tiradas’ da internet sem nenhum questionamento, sem nem mesmo pensarem muito em suas turmas.

Juan Alberto Lopez Uribe A aula deve ser learning-centered e a tecnologia pode ser usada para apresentar o tema e a mediação principal é feita pelo professor na sala.

Ana Amaral Cadu, outro dia acabou a luz na minha filial e um dos meus alunos perguntou: E agora, teacher, como vc vai dar aula sem e-board? No fim deu tudo certo e eles aprenderam e se divertiram sem tecologia nenhuma. Até oje me lembro disso.

Valeria Benevolo França Um outro ponto levantado era a de desenvolver uma autonomia maior entre os alunos unversitários, menos “spoon-feeding” e fazer os alunos relfetirem sobre o conteúdo (que ele passa nates da aula via podcasts). O que acham disso?

Roseli Serra Isso aí! Foi o que falei anteriormente, O foco é o aluno! Atecnologia é ferramenta para chegar ao aluno de modo eficiente é o meio e não o fim principal.

Cadu Souza Isso mesmo Juan. Acho que o ideal é o equilíbrio, mas não posso negar que fiquei instigado com a ideia de aulas sem tecnologia nenhuma. Me senti desafiado enquanto professor

Juan Alberto Lopez Uribe é dificil tambem garantir que os alunos todos tenham acessado determinado conteudo. Se um não acessar , cria-se um abismo na sala. Ai temos que recapitular.

Ana Amaral *hoje

Roseli Serra Good point Juan Alberto Lopez Uribe

Juan Alberto Lopez Uribe A proposta da conversa continuar depois da aula também é muito interessante, respondendo várias dúvidas, em vez de ficar limitado pelo tempo que sobra.

Valeria Benevolo França Pois é Juan Alberto Lopez Uribe, mas o que o professor em questão faz é solcitiar que eles ouçam o podcast e faz um mini teste antes da aula, um questionário, assim o alçuno acaba fazendo a tarefa. Devemos lembrar que isso tudo está sendo feito na universidade.

Cadu Souza Valeria, eu não sei se essa autonomia se aplica ao ensino de línguas, mas com certeza pedir que os alunos vejam um vídeo sobre algo que vai ser discutido em sala com certeza pode ser bem produtivo

Ramon Silveira É possível aplicar a todos os níveis ?

Roseli Serra Nossa,Valeria Benevolo França! eu não sabia que estava sendo feiito assim..

Juan Alberto Lopez Uribe Os alunos as vezes não conseguem vir nas aulas mesmo, imagine acessar antes da aula. Talvez isto seja mais fácil em um contexto acadêmico norte- americano onde o aluno tem poucas horas de aula e todo o resto do tempo dedicado para estudar.

Valeria Benevolo França Bom, mas vale lembrar que ele é professor de artes (acho que é história da arte) então um contexto diferente do nosso…mas idéias pedagógicas boas sempre nos são úteis. Como adaptá-las?

Roseli Serra Cadu Souza , eu acredito que tudo depende de como essa porposta é feita ao aluno; grupo assim como contam bastante o perfil da turma e do professor.

Marcelo Elias Já aconteceu isso comigo, ana. Acho q o uso de qq tecnologia (quadro negro, fotocopia, retroprojetor…) sempre causou dwsconforto. Como os avanços estão cada vez mais rápidos, os desconfortos são mais frequentes. Acho q discussoes sobre teaching naked or unplugged sao consequencia desse desconforto

Bruno Andrade Vale lembrar que Teaching Unplugged não prega o não-uso de tecnologia. Pode haver trabalho com tecnologia: çelulares, câmeras, ipads. O que o approach acredita eh num uso mais light de materiais pre-fabricados. O que set The tone eh o que surge durante as aulas

Juan Alberto Lopez Uribe Este é o cenário ideal Valeria Benevolo França. Acho que se o material for bem interessante, dermos tempo, e não muito longo pode-se conseguir bons resultados.

Roseli Serra Isso Juan Alberto Lopez Uribe. Meu faz faculdade no Canadá e niniguém la´sobrevive sem tecnologia, è impossível ter sucesso num curso sem dominar a tecnologia imposta pela faculdade

Roseli Serra Exato Bruno Andrade

Cadu Souza Eu tenho uma turma de alunos avançados e o que eu fiz foi pedir que eles assistissem os vídeos sugeridos no lesson plan (eram 2) antes. Alguns viram, outros não, mas a aula teve debate e os alunos tiveram tempo de formar uma opini~~ao melhor sobre o assunto

Valeria Benevolo França Pois é, mas vamos pensar em algo paralelo. Qaundo assistimos um bom filme em casa ou no fim de semana, na semana seguinte comentamos com alguem que viu, não é? Isso não leva a uma conversa bem dinâmica e boa? Este não é o mesmo princípio de Teaching Naked? Não é engajar o aluno numa discussão sobre algo interessante?

Cadu Souza também percebi que quem não viu ficou meio sem graça e, num segundo momento, com certeza assistirá se for proposto novamenete

Roseli Serra AhJuan Alberto Lopez Uribe e eu passo por isso no mestrado lOng distance que não é MA online mas temmo de usar e muito a plataforma da universidade que é o moodle

Roseli Serra Sim Valeria Benevolo França!

Roseli Serra e de repente isso se torna numa super aula!

Ramon Silveira Lembro desta tarefa em meu ginásio!

Juan Alberto Lopez Uribe Valeria Benevolo França, você traz um ponto interessante que é a escolha em se engajar na atividade. Talvez melhor ainda seria se o professor oferecesse várias alternativas e o aluno escolhe uma. A discussão ficaria mais rica ainda com um jigsaw!

Roseli Serra Lembro de uma session onde o Paul Selingson dizia: comoce sua aula com speaking e nao tenha medo. Ponha seus alunos pra falarem sobre algo que eles gostam !

Marcelo Elias Sem duvida, Valeria. Acho q o desafio é tornar qq atividade proposta p fora de sala como uma atividade q tenha um fim pedagogico, mas sem cara de dever dw casa

Cadu Souza Mas pra mim o mais interessante desse approach não é nem apenas a chance dos alunos verem/lerem/ouvirem algo antes, mas a oportunidade que nós temos dessa maneira de pensar a nossa aula de diferentes maneiras, pensar fora da caixa…

Valeria Benevolo França Muito interessante Juan Alberto Lopez Uribe e se não fosse o professor escolhendo e fosse o aluno, dentro de uma tematica geral….isso poderia funcionar?

Bruno Andrade Claro! Muito dos princípios de Naked Teaching e Teaching Unplugged são permeados pelo aproveitamento de teachable moments que ocorrem em sala. Esses momentos podem levar a uma ótima discussão, um projeto ou uma redação. Mas eh preciso tomar cuidado para que a conversa não bagunça

Roseli Serra Isso Marcelo Elias! Se tiber o nome de ” dver de casa…’ sei nao… rsss

Ana Amaral Também acho Marcelo Elias. Quando eles acham que é obrigação, a coisa desanda.

Roseli Serra Creio que sim Valeria Benevolo França! Já observei aulas onde isso aconteceu e ja ensinei groups assim tb

Roseli Serra Perfeito, Bruno Andrade1

Juan Alberto Lopez Uribe Quando o aluno escolhe ele não se sente tão pressionado. Acho que funciona sim Valeria Benevolo França. Melhor ainda se ele puder apresentar algo criando com tecnologia, pois entra na esfera de auto-realização.

Roseli Serra BINGO, Juan Alberto Lopez Uribe!

Ramon Silveira Pensando neste contexto, qualquer coisa que eles se relacione pode ser usado! É necessário ser algo tecnológico ? Eu não poderia pedir para eles discutirem a comida que eles irão comer no próximo Domingo na aula da próxima semana, por exemplo ? (exemplo bizarro)

Juan Alberto Lopez Uribe Mas ai a tecnologia seria usada na sala, acho que não seria naked teaching.

Bruno Andrade Gosto da reflexão sobre autorealização, Juan!

Raquel de Oliveira Cheguei… lendo os posts 🙂

Roseli Serra hummmm é vero , Juan Alberto Lopez Uribe

Roseli Serra Chegou Raquel! Boa noite linda1 🙂

Cadu Souza Olá, Raquel de Oliveira

Elivan Souza Boa noite, pessoal! Eu só queria acrescentar que em tempos de Facebook e FarmVillle, como iremos convenver nossos alunos a preparar atividades sem toda esta distração?

Juan Alberto Lopez Uribe Ramon, acho que o foco é que se você fosse apresentar o tema comidas, a parte expositiva seria feita antes da aula.

Bruno Andrade Como assim, Elivan?

Valeria Benevolo França Um outro ponto levantado no video e artigo foi de que em geral os professores gostaram da idéia,mas foi mais dificíil com os alunos…alguns super resistentes…eles tiveram um período de adaptação.

Elivan Souza Quis dizer, com toda esta distração.

Ramon Silveira É vero! Mas a dúvida é, antes da aula, eles precisam usar algo tecnológico como um vídeo ou podemos usar outra ferramenta não tecnológica ?

Juan Alberto Lopez Uribe Seria um PPP, com o primeiro P(presentation) em casa e na sala teríamos Practice e conseguindo tempo para chegar no último P (Production ).

Cadu Souza Elivan, muitas vezes nos surpreendemos com o quanto nossos alunos são capazes de curtir uma aula sem youtube ou coisa do tipo. Essa aula mesmo que mencionei antes, que os alunos viram o vídeo em casa antes da aula, durante a aula per se nada foi usado além do quadro para fazer um vocabulary page…

Roseli Serra Acho que toda mudança, pequena, garnde ardical ou não, demanda adaptação e tem seus contraints, O que acham?

Cadu Souza Ramon, antes da aula é ok. Na verdade é mais que ok, é super bem vindo

Juan Alberto Lopez Uribe Exige muito mais do aluno, pois espera-se dele uma postura muito mais ativa e responsável.

Roseli Serra Simsim

Ramon Silveira Tiraram minha dúvida! Obrigado! Sou muito leigo no assunto galera!

Cadu Souza Juan Alberto Lopez Uribe e não é amazing podermos aumentar o tempo de practice e production?

Ana Amaral Meu sonho!!!

Bruno Andrade Concordo Roseli! Não gosto muito de radicalismos. Não daria uma aula totalmente sem tecnologia assim como não daria uma aula totalmente tecnologia para um grupo presencial….

Roseli Serra Mas a gente não trabalha pra levar ao aluno ter sebso de progresso e ser independente?Sendo assim o Juan Alberto Lopez Uribe has a point1

Cadu Souza Ah, Bruno Andrade, será que não vale a pena nem mesmo pelo fator experimentar?

Juan Alberto Lopez Uribe Eu tive aulas aqui na faculdade desta forma. Tinhamos que ler artigos, preparar discussion points que enviavamos a professora até 3 dias antes da aula e ela usava os nossas reflexoes como ponto de partida. Eu ficava super envolvido e as discussoes eram riquissimas. Ai de alguém se não chegasse pronto.

Roseli Serra Apostura do aluno fica mais ativa e responsável

Juan Alberto Lopez Uribe Acho maravilhoso Cadu Souza termos mais production.

Raquel de Oliveira Certa vez, tivemos um grupo do Twibes com alunos B1. Eles postavam sobre assuntos relacionados aà aula que haviam assistido em sala, e tb colocavam opiniões pessoais e fatos da vida deles. Percebemos que isto otimizou o speaking deles em sala uma vez que estavam mais familiarizados tanto com o conteúdo, as noções de língua (praticavam nos posts) e uns com os outros. Isto seria naked teaching aplicado ao ELT, Cadu SouzaValeria Benevolo FrançaJuan Alberto Lopez Uribe?

Ana Amaral É assim na EAD. O aluno se envolve, produz, aprende e pogride mais que os presenciais, que recebem tudo mastigadinho.

Valeria Benevolo França Vale verificar o blog do José Bowen e ele fornece alguns PDFs e achei este interessante de como criar uma aula usando o conceito: http://teachingnaked.com/wp-content/uploads/2012/07/TN-Workshop-HANDOUT-D-Designing-Naked-Courses.pdf

http://teachingnaked.com/wp-content/uploads/2012/07/TN-Workshop-HANDOUT-D-Designing-Naked-Courses.pd

Ramon Silveira Juan Alberto Lopez Uribe, sendo assim, não seria ótimo a apresentação e a prática da língua ser feita previamente e na aula só produção ?

Roseli Serra Isso mesmo Juan Alberto Lopez Uribe isso acontece com meu filho aí no CA e comigo tbno Ma . A postura da minha orientadora é essa e dos professores tb

Juan Alberto Lopez Uribe Acho que pode-se começar aos poucos, avaliar, ir conversando com o grupo sobre o aprender. Imagino que pode-se criar uma sinergia muito interessante e produtiva. Mas aí o professor seguinte tem que continuar.

Valeria Benevolo França E muito mais no blog dele:http://teachingnaked.com/#

Cadu Souza Na verdade não Raquel de Oliveira pois eles assistiram em sala. No Naked Teaching o contato tecnológico, se houver, deve ser antes da aula.

Ana Amaral Obrigada, Valeria Benevolo França. Lerei com cuidado 🙂

Raquel de Oliveira Era antes da aula, Cadu Souza… Na aula tínhamos o livro…

Elivan Souza Bruno, eu quis dizer que tantas säo as distraçöes que torna quase impossivel o aluno cumprir as atividades propostas. Por outro lado, eu creio que o segredo é, dependendo da turna, usar de sabedoria e focar em tarefas curtas.

Cadu Souza Ah, Raquel de Oliveira, entendi. Nessa caso, com certeza!

Raquel de Oliveira Então já usei Naked Teaching e nem sabia… Bom ter este ‘noticing’ agora… AHA moment… Cadu Souza risos

Valeria Benevolo França Elivan Souza, além de tarefas cusrtas, tarefas que possam a ser realmente motivacionais para os alunos e lhes oferecem uma oportunidade de questionar e participar mais ativamente.

Juan Alberto Lopez Uribe Cadu Souza e Raquel de Oliveira acho que seria naked teaching pois ele aumenta a possibilidade de interação pela tecnologia fora da aula. No video ele coloca que a discussào pode continuar.

Roseli Serra Posso discordar Elivan Souza? Vej ao que disse aRaquel de Oliveira, além do que acho que hoje em dia os nossos alunos de um omdo geral estão muito mais acostumados com essa prospota de tecnologia nas escolas regulares ,faculadades e cursos de linguas

Cadu Souza Isso mesmo Elivan Souza. Na verdade, devemos usar dessa sabedoria para escolhermos qualquer approach, qualquer técnica, qualquer atividade com nossos grupos; se virarmos fã de um único approach e completamente ignorarmos o resto corremos o risco de nos tornarmos chatos, ultrapassados e coisas do tipo

Ramon Silveira As distrações também atrapalham o homework. Acho que seriam atividades que eles gostariam muito mais por fazerem parte do cotidiano deles!

Elivan Souza Gente, desculpem os errors. Estou no meio da rua. Hoje eu prometi que não iria perder.

Roseli Serra então eu volto ao ponto de que depende do professor, perfil da turma e da proposta e acordo feitos entre prof e alunos

Ana Amaral Vou tentar. Eu trabalho bastante com videos. Outro dia estavamos discutindo body language e no final da aula eu mostrei um snippet de um documentário sobre o assunto. Valeu pra discusão e tudo, mas agora entendo que eu poderia ter pedido que eles assistissem em casa e levar a discussão pra sala, sem perdermos tempo precioso de production.

Raquel de Oliveira No Naked Teaching o script seria gerado em conjunto alunos-professor?

Roseli Serra Sossega , Elivan Souza!

Valeria Benevolo França Muito bom voce estar aqui hoje Elivan Souza! 🙂

Juan Alberto Lopez Uribe Naked teaching exige mais do professor no sentido que este tem que preparar o que acontece antes, durante e após a aula. Mas não precisa ser toda a aula. As tarefas podem também ser decididas junto com os alunos.

Bruno Andrade Elivan Souza , acho que a questão de distração entra em um outro foco. Mas acho que tarefas curtas são uma opção que funcione,mas as atividades tem que ser baseadas em alguma coisa que possa ser facilmente relacionado a vida pessoal dos alunos. Algo que os faca querer participar pois aquilo será interessante para eles como indivíduos.

Valeria Benevolo França O que eu acho que o Naked Teaching deseja é fomentar a interação, o olho no olho, a discussão….e não ficar somente com um lecturer” dando aula e as pessoas “recebendo” conteúdo…é para gerar questionamentos.

Raquel de Oliveira No Naked Teaching o script seria gerado em conjunto alunos-professor? Juan Alberto Lopez Uribe

Roseli Serra Gente, vamos combinar que aluno se distrai antes e depois da tecnologia né?

Juan Alberto Lopez Uribe Perfeiro Valéria!

Roseli Serra concordo com Valeria Benevolo França

Juan Alberto Lopez Uribe Não sei Raquel. Pensei alto sobre como faria se estivesse naked.

Raquel de Oliveira Uma aula viva… como são as interações fora da sala-de-aula, né? O discurso da sala muitas vezes é ‘gelado’… humanizar é preciso…

Bruno Andrade Concordo Valéria. Acho que o tempo vem passando e os professores vem perdendo esse senso de estarem abertos para discutir com os alunos de uma forma mais ampla e aberta.

Juan Alberto Lopez Uribe Pensei aqui no professor mandando um video para os alunos pelo facebook…

Cadu Souza Isso mesmo, Valeria. E claro que para isso não precisamos abrir mão da tecnologia em sala de aula, mas sabermos aproveitar o uso da tecnologia mesmo antes para aumentar essa interação é algo que vem em nosso favor. A gente sempre fala do quanto tecnológicos os alunos são e que muitas vezes eles tem mais acesso a tecnologia em casa do que na escola. Temos que aproveitar a oportunidade

Ana Amaral Como fica, então, o script que temos que seguir? Teacher’s guide, por exemplo?

Bruno Andrade Humanizar eh preciso, Raquel. Concordo. Seja o método que for, a tecnologia que usarmos. Humanizar eh preciso!

Ana Amaral Eu faço isso de vez em quando, Juan Alberto Lopez Uribe. Além de gostarem, eles se envolvem bastante nas discussões.

Cadu Souza Então, Ana Amaral. Eu dei um exemplo de como customisei o teacher’s guide, sem saber que estava fazendo naked Teaching, pedidndo que os vídeos sugeridos no guide fossem vistos em casa

Raquel de Oliveira Juan Alberto Lopez Uribe, já fizemos isto e funciona muuuuuuuuito… Até para ativar algum assunto que seria explorado em sala de aula… E percebemos que a produção aumentava, pois a pessoa dominava não só a língua, como tinha mais assunto…

Roseli Serra Veja Ana Amaral, a gente segue totalmente teacher’s guide? OU a gente adapta e fica com o core?

Juan Alberto Lopez Uribe Acho que o script Ana Amaral vai na linha do Dogma. Articular e costurar o que vier, deixando que os alunos usem a língua para se expressar.

Roseli Serra Isso meninos, Juan e CAdu

Elivan Souza Roseli, a technology distrai muito mais. Vamos tomar nós mesmos como exemplos? Quantas vezes sentamos con o proposito de pesquisar algo, aì somos tentados a olhar o Facebook e nos perfemos lendo outras coisas? Quao mais fácil seria para nossos alunos?

Roseli Serra Show, Raquel!

Valeria Benevolo França Boa pergunta Ana Amaral e eu acho que isso volta a um ponto que eu acho que o Juan fez, se isso serve para todos os grupos. Bom, eu acho que sim se pensarmos nas tarefas e atividades de forma mais ampla…como uma oportunidade de colocar tido que foi apreendido (ou não) em uso num contexto mais parecido com a vida real. O que acham disso?

Ana Amaral Eu adapto muita coisa, Roseli Serra, mas nem sempre existe uma brecha pra engajar os alunos na pre-class.

Bruno Andrade Juan, esses vídeos seriam pre-aula?

Ana Paula Cypriano , o Naked Teaching se assemelharia com task-based learning

Juan Alberto Lopez Uribe Que bacana Raquel!! Importante é achar o canal que converse com o público com o qual estamos.

Raquel de Oliveira Se os alunos compram a idéia, eles mesmos geram conteúdo via midias digitais e se organizam um ajudando o outro…

Roseli Serra eu sei Raquel, é frustrante. O que quis dizer é que a gnet nao usa o T guide como camisa de força

Giselle Santos Gente, boa noite…cheguei tarde mas como devem imaginar e quem me conhece sabe que acredito em um uso relevante da tecnologia para criar oportunidades de aprendizado e engajamento, acho que vivemos um momento de jargões com unplugged, naked, flipped, 1 to 1, blended e por aí vai…mas é fundamental que não esqueçamos que estamos aqui e em sala de aula por um motivo simples

Cadu Souza Acho que sim, Valeria Benevolo França. Se pensarmos que às vezes sentamos com nossos amigos e conversamos sobre certos assuntos, a exposição prévia a um determinado tópico geraria uma conversa mais fluida, menos guiada, como em uma conversa entre amigos. É isso?

Raquel de Oliveira TG é como uma mapa, cada um tem uma leitura diferente, mas se chega ao mesmo lugar.. naked or dressed… tee hee

Ana Amaral Um exemplo, por favor, Valeria Benevolo França. Este contexto de vida real é tão irreal nas nossas salas de vez em quando.

Juan Alberto Lopez Uribe Essa é a idéia Bruno. Mas tem que ser em cima do planejamento. Se o foco for x, este x tem que estar no video. O desafio é que ele deve ser atual e interessante. Não precisa ser video, pode ser texto, musica, prezi, etc.

Valeria Benevolo França Olá Ana Paula Cypriano. Eu acho que não se assemelha não. Em TBL tem uma estrutura e o foco é “meaning negotiation” e depois um novo olhar ao produto gerado e dalí é extraido um foco em língua. Naked Teaching me parece ser muito mais dialógico e baseado em idéias que são “learner emergent”.

Ramon Silveira Trabalho com um material que não tem videos mas já tenho minha biblioteca no pen drive de videos para cada lição, cada tópico abordado!

Roseli Serra Concordo Raquel de Oliveira

Cadu Souza Diz ae, Giselle.

Raquel de Oliveira como vc construiu esta bibioteca, Ramon Silveira? os alunos colaboraram?

Roseli Serra Olá Giselle Santos!

Bruno Andrade Task-based, Ana Paula? Em que sentido?

Ramon Silveira A idéia é, a sala de aula não deveria ser usada mas como um espaço de discussão ? Pois receber conteúdo, hoje, existem várias outras maneiras! Uma pesquisa sobre um personagem histórico no wikipedia por exemplo para ser discutido em sala!

Roseli Serra Isso dá um trabalho né Ramon Silveira?

Raquel de Oliveira TG é como uma mapa, cada um tem uma leitura diferente, mas se chega ao mesmo lugar.. naked or dressed… Ana Amaral

Roseli Serra Mas é muito bacana

Cadu Souza Ramon Silveira, e se sua biblioteca no pen drive falhar? Como disse antes, o que curto nesse approach é a ideia de sermos ‘ninjas’ e sabermos fazer limonada com apenas um limão….

Ramon Silveira ahahahahaha da sim Roseli Serra!

Juan Alberto Lopez Uribe Cadu Souza, a diferença é que o tema da conversa é determinado pelo professor/ conteudo do livro antes de que o alunos queiram conversar sobre ela. Aqui ele faz com que os alunos se informem de forma envolvente.

Ana Amaral Youtube, topdocumentaryfilms…

Ramon Silveira Claro Cadu Souza! O que quis dizer é que, podemos selecionar isso e pedir aos alunos para assistirem previamente sem depender do TG!

Roseli Serra ahahaha eu tb meio q tenho umas coisas assim Ramon Silveira. e Cadu Souza existem zilhões de maneiras de fazer backup

Giselle Santos Acho que a idéia é muito o que a Valeria Benevolo França mencionou, é não transformar a sala em lecturing hall e reading point ou cyber café, é ter interação, ouvir, falar, negociar, buscar a language que falta, construir o aprendizado a medida que surge a necessidade,

Cadu Souza Ah, entendi Ramon Silveira. Com certeza

Valeria Benevolo França Rsrsrs isso Ana Amaral, mas vamos pensar em um exemplo. Uma tarefa que envolva um “quiz” ou um “problem solving” que envolva escolhas, eliminações de opções, onde surge a necessidade de argumentos e contra-argumentos….fazemos isso em vários momentos de nossa vida. Neste aspecto, podemos dizer que pode parecer com TBL (Task Based Learning), mas a diferença é que o que me parece ser o que interessa o cara de Naked Teaching é somente a discusão em si, enquanto em TBL vamos nos interessar pelo resultado da produção da discussão para trabalar a linguagem.

Roseli Serra Muito bom Giselle Santos!

Raquel de Oliveira Acredito que com a experiência, o professor acaba tendo mais recursividade, e um olhar mais sensível para perceber as contribuições dos alunos em sala e expandi-las de acordo com o foco da aula… simplicidade e eficácia, sabe?

Bruno Andrade Bom mesmo, Giselle!

Cadu Souza Sim, Roseli Serra. Back up, sim, mas outro dia ganhei uma competição de lesson planning que visava preparar uma aula para quando faltasse luz. E aí, nem com back up, né?

Roseli Serra concordo mesmo Raquel de Oliveira!

Ramon Silveira Raquel de Oliveira, adorei o recursividade!

Bruno Andrade Competição de lesson planning! Que máximo!!!! Onde isso, Cadu?

Roseli Serra ahhhh isso! Cadu Souza entendi!

Juan Alberto Lopez Uribe O conhecer, reconhecer, apoiar, escutar, rir, curtir o estar juntos são as posturas que o naked teaching abre caminho. Estas trazem um componente afetivo motivacional muito forte.

Roseli Serra As gerações mais novas não sei se sabem dar a aula plano B

Ramon Silveira ahahahaha muito bom Cadu Souza! Mas nesse caso, o naked seria possível pois quem assistiria o video antes seriam os alunos.

Roseli Serra ou seja, sem tecnologia

Cadu Souza Já ganhei duas Bruno Andrade – kkkk. Eu estou sempre procurando essas coisas na internet. Depois com calma passo os dados

Cadu Souza Ganhei $60 em voucher da Amazon

Ana Paula Cypriano Bem estava pensando, Bruno Andrade, no task-based você pede para o aluno fazer uma atividade que gerará discussão, descoberta, etc e depois trabalharia os aspectos léxico-gramaticais por exemplo.

Roseli Serra vc tem razão Cadu Souza

Roseli Serra que legal! Parabéns Cadu Souza

Ana Amaral Que bacana, Cadu Souza!! A competição deve ter sido muito desafiadora, não?

Raquel de Oliveira As gerações mais novas são produto de que tipo de ‘treinamento’ ou ‘capacitação’? Há espaço para Naked Teaching nesta fase ?

Bruno Andrade Por isso que acho que não tem muito a ver com Naked Teaching. NT tem mais a ver com o modo como a aula eh conduzida, a relacao prof x aluno, e não o produto dela, Ana Paula.

Giselle Santos Se fizermos uma analogia levando em conta a palavra naked (eu estou cansada rs então não levem nada pro lado pessoal rs) …até quando estamos pelados somos diferentes, cada uma acha sua maneira de personalizar sua nudez…acho que o momento naked teaching tem muito a ver com personalização para resultar em interação

Cadu Souza A competição foi bem legal, sim, mas pensando bem agora vejo que porque sou produto das aulas sem tecnologia e dou aulas usando tecnologia, consigo ter esse olhar. Será que os profs mais novos, que já se formaram tendo tecnologia em suas aulas, conseguem pensar/ montar uma aula sem uso do comp?

Roseli Serra Carambam Raquel de Oliveira! è vero viu? Capacitação e treinamento … tudo sentado em tecnologia..

Bruno Andrade Ótimo chat, pessoal! Muito produtivo! Chegando ao final queremos saber: Quem se habilita a escrever um resumo dessa rica conversa?

Valeria Benevolo França Gente, falamos muito sobre um assunto que é tão novo para todos nós, mas instigou muita reflexão e diálogo e interação….usamos uma mídia tecnológica para a discussão, mas como o Bowen advoga, apenas utilizamos um video antes para a nossa discussão. Foi tudo very naked”, não foi?

Cadu Souza Adorei, Giselle Santos. Acho que isso tem muito a ver tb

Ramon Silveira Ratifico, depois do E-board acho que isso piorou!

Raquel de Oliveira Giselle Santos, e enquanto naked ficamos expostos… será que todos se sentem confortáveis assim?

Juan Alberto Lopez Uribe Acho que ainda existe uma inércia do aluno que vem para aprender na sala. O professor ainda mantém o poder de ensinar. Na hora em que se chega para debater, para construir algo novo com o aluno, fica-se fora da zona de conforto tanto do professor como do aluno. Pela teoria dos jogos, esta posição não é sustentável.

Cadu Souza Isso mesmo, Valeria Benevolo França. Nossa discussão aqui foi um bom exemplo disso.

Giselle Santos Super naked =)

Henrick Oprea Boa noite, pessoal! Cheguei bem tarde, mas vamos que vamos. De qualquer forma, vou ler os posts todos em breve. Pelo pouco que li, há novamente o consenso sobre o uso consciente de uma abordagem para que ela seja eficaz. Já o que foi falado aí em cima sobre o naked teaching lembra muito flipped

Juan Alberto Lopez Uribe Foi naked sim Valéria! Isso que nem tinhamos planejado ser assim.

Raquel de Oliveira Nas aulas da pós, construimos o slide em sala… Um aluno redige, outro revisa, e no final compartilhamos… funciona 🙂

Giselle Santos pois é Henrick Oprea, tb vi algumas semelhanças mas achoq ue o flipped é mais coreografado não?

Roseli Serra Foi muito legal Valeria Benevolo França!

Elivan Souza Agradeço a todos pela paciência. Gostaria apenas de frisar que a minha preocupação era como resolver o problema de distração dos nossos alunos frente ao computador tendo em vista tanta coisa que faz com que até um santo saia da linha. Gostaria apenas de ouvir como lidar com isto.

Juan Alberto Lopez Uribe Vou pesquisar sobre o flipped. São tantas tendências novas.

Roseli Serra eu não sei o que é flipped ! ahahahahaha

Raquel de Oliveira E viva a Dialogia 🙂

Henrick Oprea Acho que aí vai depender do professor, Giselle Santos. Ou não? 🙂

Cadu Souza Nem eu, Roseli Serra. kkkkkkkkkkkkk

Roseli Serra Vou te imitarJuan Alberto Lopez Uribe e pesquisar! :b

Ana Paula Cypriano Talvez, Juan por esta ainda ser uma cultura educacional arraigada. Precisamos , professores e alunos, estar abertos para trocarmos de papéis em sala de aula a todo momento, sem receio.

Valeria Benevolo França Bom, mais uma vez acredito que só temos que agradecer a todos os participantes por estarem aqui. Temos o nosso blog onde postamos as mensagens das discussões e quando temos alguem que faça um resumo do chat fica melhor ainda.https://breltchat.wordpress.com/2012/09/21/mensagem-a-mensagem-a-formacao-de-professor-de-linguas-como-se-manter-atualizado-0609/

Roseli Serra Sempre muito bom tá por aqui Valeria Benevolo França! A gente troca e aprende muito!

Ana Amaral Gente, a discussão foi ótima. Aprendi um monte, entendi outro monte e vou implementar outro monte. Já estou cheia de ideias!!! Infelizmente tenho que ir agora, mas agradeço a todos pelo compartilhamento de experiências e pelo acolhimento. Desejo a todos uma excelente noite e até a próxima.

Juan Alberto Lopez Uribe Sim, Ana Paula Cypriano! Este é o desafio, aceitar a vulnerabilidade e viver papéis de forma diferente. Pode ser muito libertador para todos, para isso a base é a confiança.

Cadu Souza Pessoal, preciso ir. Amanhã tenho reunião láááááááá em Botafogo. Beijos e já estou ansioso pelo próximo.

Giselle Santos Henrick Oprea, acho que em parte é sim mas o flipped apesar de pregar o momento de interação em sala como um dois mais importantes, até hoje de tudo que eu vi sempre tem um viés um pouco guiado, mas vc tem razão …o professor experiente vai saber sair de cena quando necessário

Roseli Serra Oi Elivan, acho que you have a point sobre a distração com tecnologia mas acho tb que as pessoas estão se educando mais, ficando mais disciplinadas

Giselle Santos Cadu Souza, faz uma visita lá no 4 andar…bjks

Roseli Serra Boa noite Cadu

Raquel de Oliveira Feliz como nosso chat 🙂 E que nossa interação seja crescente… Co-construindo. Obrigada, Valeria Benevolo FrançaHenrick Oprea e Bruno Andrade pela co-moderação, e a tdos os presentes. É bom perceber que o aluno não é visto como um cliente, e sim como um ser humano rico em experiências… Best vibes e boa noite, pessoALL 🙂

Juan Alberto Lopez Uribe Cadu Souza, depois quero ver o lesson plan ganhador! Ai se curiosidade matasse…

Cadu Souza Faço, sim Giselle SantosValeria e Bruno, posso fazer o resumo do chat, mas só vou ter tempo no fim de semana. Ah, e como nunca fiz isso, talvez precise de apoio. Se estiver ok pra vocês, ok pra mim.

Roseli Serra kkkkkkkkkkkk eu tb Cadu Souza solta aê! hehehehe

Juan Alberto Lopez Uribe Obrigado a todos! Foi ótimo como sempre. Boa noite gente!

Cadu Souza Juan Alberto Lopez Uribe, eu mando pra todos depois – kkkk

Valeria Benevolo França Boa noite a todos, obrigada aos co-moderadores Bruno AndradeRaquel de Oliveira e Henrick Oprea que consegui chegar no final (ele teve que substitutir um professor, gente).

Roseli Serra Quand digo que esse Juan Alberto Lopez Uribe num para quieto kkkkkkk é mais elétrico que eu e Raquel de Oliveira

Bruno Andrade Se alguém quiser fazer o resumo, favor falar com a gente!

Raquel de Oliveira risos

Roseli Serra Obrigada pessoal, Valeria Benevolo FrançaBruno Andrade, e todo mundo, vocês são ótimos!

Juan Alberto Lopez Uribe Ai, ai, ai!

Roseli Serra ui ui ui Juan Alberto Lopez Uribe!

Ana Paula Cypriano Tchau gente. Boa noite e super obrigada.

Elivan Souza Será que não poderíamos prolongar este tópico?

Ramon Silveira Obrigado mesmo gente! Minha primeira vez e foi muito enriquecedor!

Roseli Serra Valeu Ana Paula Cypriano!

Valeria Benevolo França Boa noite Ana, bom te ver aqui. 🙂

Juan Alberto Lopez Uribe Bem-vindo Ramon Silveira!

Roseli Serra Volte sempre Ramon Silveira

Juan Alberto Lopez Uribe Até o próximo!

Valeria Benevolo França Elivan Souza, podemos sim. Vamos tentar entrevistar o Boewn e por isso se alguem ainda tiver alguma dúvida ou pergunta, pode lnçar aqui e vamos ver se ele nos responde.

Roseli Serra Juan seu Printerest ta cada dia mais legal! ParabénsJuan Alberto Lopez Uribe

Juan Alberto Lopez Uribe Excelente idéia Valéria! Que bacana!

Roseli Serra Show , Valeria Benevolo França!

Raquel de Oliveira super 🙂

Ramon Silveira Muito obrigado Gente! De verdade!

Elivan Souza Valeria, ótima ideia. Hoje foi o ponta pé inicial e não creio que ficou claro para todos.

Roseli Serra Elivan Souza, creio que vc não perde mais nenhum!

Elivan Souza Roseli, eu corri o risco de ser atropelado. Minha última aula hoje termina às 22h por isto que nunca cheguei a tempo.

Roseli Serra ai meu Deus! Menino isso é que é amor à causa heimElivan Souza? Vixe!

Elivan Souza Boa noite a todos. Agora tomar banho, comer e ler tudo.

Jossely Oliveira Boa noite 😦 É incacreditável! Cheguei no fim 😦

Jossely Oliveira sorry

Roseli SerraGente, beijocas mil pra vcs, Boa noite e sweet dreams

Roseli Serra See you all around! ♥

Ramon Silveira Boa noite a todos!

Raquel de Oliveira Gente… achei um video aqui que tangencia o que debatemos: http://www.youtube.com/watch?v=I2NmmIcf-nk

Construção do Conhecimento

Raquel de Oliveira Fala sobre Educação Dialógica….

Roseli Serra Que bacana Raquel de Oliveira! Vou ver se assiato amanhã! Beijocas Boa noite meu povo!

Mensagem a Mensagem: A formação de professor de línguas: como se manter atualizado? 06/09

Bruno Andrade Prontos para começar? Em meio a falta de tempo e dinheiro, como voces se mantém atualizados?

Valeria Benevolo França Olá e boa noite. Hora de começarmos a refletir juntos sobre como podemos nos manter atualizados.

Bruno Andrade O nosso chat já é uma forma de se manter atualizados

Claudia Martins Boa noite, gente.

Bruno Andrade a troca é sempre intetressante quando diversos pontos de vista se encontram

Claudia Martins Com certeza Bruno Andrade.

Bruno Andrade olá Claudia Martins!

Valeria Benevolo França Boa noite Claudia.

Claudia Martins Mas, também acredito que participarmos de conferências, seminários, treinamentos é de fundamental importância. Temos sempre algo para aprender.

Bruno Andrade uma coisa que toma pouco tempo e que traz uma visao mais ampla de ELT é ler um artigo por dia. sempre interessante, o que acham?

Claudia Martins Boa Noite Valéria.

Valeria Benevolo França Bom, por enquanto somos nós 3. Uma das coisas que eu faço para memanter atualizada é sempre procurar a ler blogs da nossa área.

Bruno Andrade Verdade, Claudia Martins… mas nem todos tem a grana pra isso, infelizmente…

Claudia Martins Acho que um artigo por dia nem sempre consigo, mas um por semana com certeza.

Valeria Benevolo França Boa sugestão Bruno Andrade, um artigo por dia acaba não impondo tanto em nosso tempo.

Valeria Benevolo França Sim Claudia, na verdade vai sempre depender de nossa carga horária e tem aqueles momentos típicos de orreção e relatórios…sempre exige muito do professor.

Claudia Martins Por isso acho que quanto mais compartilharmos tudo com nossos colegas, essa coisa de guardar conhecimento não é bacana.

Claudia Martins Amigos, será que seremos só nós três?

Bruno Andrade Esse site tem artigos otimos e uns bem curtos:http://hltmag.co.uk/index.htm

Humanising Language Teaching (HLT) Free Online EFL Magazine for Teachers of English

Teresa Gomes de Carvalho Boa noite.

Claudia Martins Ah, bem bacana. Gosto de receber artigos por email.

Valeria Benevolo França No site do British Council tem um recurso para nós professores que nos ajuda muito em termos de pensarmos o nosso próprio desenvolvimento profissional.http://www.teachingenglish.org.uk/continuing-professional-development

Continuing professional development | TeachingEnglish | British Council | BBC

Claudia Martins Oi Teresa Gomes de Carvalho

Bruno Andrade Acho que por enquanto sim, Claudia Martins – o pessoal deve estar tomando cerveja ou engarrafados pra ida a praia

Valeria Benevolo França Boa noite Teresa Gomes de Carvalho

Teresa Gomes de Carvalho acho que qdo falo de atualização tb falo de lingua, o ingles que esta sendo falado por aí.

Claudia Martins e eu deixei de ir pra farra pq tô curtindo muito nosso chat!!!

Claudia Martins ah com certeza, precisamos sempre nos atualizar.

Valeria Benevolo França Também Teresa, isso sem dúvida também é importante para nós.

Claudia Martins e o incrível é quanto aprendemos com nossos alunos.

Valeria Benevolo França Pensando no ponto da Claudia Martins, é possível dentro do nosso grupo no Face termos artigos, e isso me faz pensar em termos um “article of the week” onde um de nós escolhe um artigo que nos marcou , explica a razão e partilhamos o link.

Claudia Martins excelente idéia!!!!

Teresa Gomes de Carvalho estou usando meu celular minha filha e mais 3amigas sequestraram o computador e i laptop.

Teresa Gomes de Carvalho boa ideia valeria!

Bruno Andrade Verdade, Teresa Gomes de Carvalho! Muita gente deixa de se atualizar na propria lingua… Eu me sinto um eterno aluno. Sou “casado” com um cenógrafo e tudo que ele ve ele pensa na forma, no material e no como atingir aquele objeto. Eu professor presto atencao em tudo que ouço e leio. to sempre muito curioso com o modo de falar, as escolhas linguisticas e as nuances da fala.. isso eh uma forma de se manter atento a lingua e aprender sempre

Claudia Martins Ah, por falar em atualização eu e mais 11 profs. da CI Salvador começamos o ICELT próxima sexta!!!

Bruno Andrade otima ideia, Valeria Benevolo França! Article of The Week

Bruno Andrade e vcs, como se mantem atualizadas com a lingua?

Teresa Gomes de Carvalho a gente esta sempre antenado bruno

Valeria Benevolo França Isso, temos formas de nos atualizar de forma mais autonoma e individual, mas sempre tem a opção do curso e certificação que traz outra experiência.

Claudia Martins Temos os nativos que nos ajudam bastante, os sitcoms que vem recheados de expressões.

Teresa Gomes de Carvalho sim valeria todas as formas de atualizacao valem a pena mas é preciso tempo e trabalho intelectual demanda tempo. precisamos ser seletivos e tb dar um intervalo pra reflexao senao vira info em cima de informação

Claudia Martins Agora confesso a vcs que curto muito quando nossos alunos trazem a novidade, poxa é bacana perceber como eles também estão antenados para a língua.

Bruno Andrade verdade, Claudia Martins.. eu sempre copio as expressoes que ouço nos sitcoms. a minha ultima foi: to cut someone some slack que vi no sitcom THE big bang theory

Teresa Gomes de Carvalho sim claudia mas nada como ter feedback de um native speaker e interacao direta alem da tv por assinatura e viagens se possível

Valeria Benevolo França Concordo Teresa Gomes de Carvalho. A reflexão acaba sendo as vezes tão importante…é onde juntamos os nossos pacotinhos e formamos um novo pacote, que faz sentido para nós.

Cadu Souza Boa noite, pessoal. Só agora consegui chegar.

Teresa Gomes de Carvalho agora temos acesso a tanta informacao q precisamos respirar um pouco

Valeria Benevolo França Poís é Bruno Andrade, mais uma idéia para o nosso espaço aqui, estas expressões que ouvimos, são tão importantes.

Valeria Benevolo França Olá Cadu. Welcome.

Claudia Martins Eu também registro Bruno pq é um volume de expressões e palavras. É uma loucura.

Bruno Andrade ola Cadu Souza!

Teresa Gomes de Carvalho Tem uma pagina no facebook chamada grammar girl q eu gosto muito e ja indiquei com varias discussoes sobre gramatica e vocab interessantes e as vezes nem eles chegam a uma conclusão

Valeria Benevolo França Pensando sobre a questão de artigos, segue mais um link interessante de artigos bons (mais antigos, mas algumas dos escritores são importantes no mundo de ELT): http://www.tttjournal.co.uk/index.php?page=back_articles

Claudia Martins Agora, tenho percebido que cada vez mais temos tido a procura de professores da rede pública e privada vindo atrás do curso para estarem atualizados com seus alunos.

Cadu Souza Estou lendo o que já foi postado, mas posso adiantar que busco me atualizar como professor lendo artigos e participando de conferências, fazendo cursos – existem uns ótimos nowww.coursera.org – e buscando trocar com meus amigos.

Cadu Souza Enquanto eterno aluno, me atualizo vendo séries, ouvindo música e conversando com meus amigos – nativos ou não.

Teresa Gomes de Carvalho o blog do scott thornbury é muito bom

Valeria Benevolo França Este Coursera é muito bom mesmo.

Claudia Martins E percebo que as Universidades Federais tem melhorado muito o currículo no tocante a língua inglesa, hj percebo que os alunos estão sinceramente preocupados em concluir o curso falando inglês.

Cadu Souza Sim, Valéria. É ótimo. Estou fazendo um curso no momento sobre “Model Thinking” que está abrindo bastante meus olhos…

Teresa Gomes de Carvalho o scoopit esta repleto de bons artigos

Claudia Martins Agora temos várias opções on line.

Teresa Gomes de Carvalho infelizmente no momento nao tenho como fazer uma pós a noite mas eu adoraria se pudesse. e muito bom se reciclar aprender e trocar experiências

Claudia Martins Acho que é preciso ler, refletir para podermos concordar,discordar dos vários tópicos, idéias que nos são apresentados dia a dia.

Teresa Gomes de Carvalho Cadu como é esse curso?

Bruno Andrade O coursera é otimo! Um nivel incrivel de EAD. To gostando muito de um curso que estou fazendo pela universidade da Pensilvânia

Cadu Souza Uma outra coisa que tenho percebido é que não precisamos gastar muito para nos atualizarmos. Vira e mexe, através de contatos ou buscando na internet, aparecem oportunidades de cursos gratuitos, bolsas de estudo e coisas do tipo. Esse ano mesmo fiz um curso de Critical thinking pelo Dpto de Linguística da Universidade de Oregon que ganhei a bolsa pelo RELO Brazil – http://exchanges.state.gov/englishteaching/reg-el-officers.html

Valeria Benevolo França Mas Teresa Gomes de Carvalho você pode procurar cursos online.

Raquel de Oliveira Cheguei no chat… 🙂 Lendo e jantando… já já começo a ser mais ativa no chat

Cadu Souza ‎Teresa Gomes de Carvalho, melhor que te explicar é te convidar a acessar o site. Existem diversos cursos em diversas áreas. Vai lá. Esse curso que estou fazendo iniciou essa semana e ainda dá tempo de ‘join’

Bruno Andrade Muito bem, Claudia Martins! Pensamento critico é vital na hora de se manter atualizado. Avaliar as possibilidades e ter insumo pra discutir é part and parcel do processo

Claudia Martins Nem me fala Teresa Gomes de Carvalho, mas eu e Cris aqui em Salvador fizemos o curso on line da Pearson com David Nunan e foi muito bacana.

Claudia Martins Temos o ITDI que tb é fantástico e o super acessível.

Cadu Souza Sim, o iTDi é muito bom!

Teresa Gomes de Carvalho eu tenho itdi mas ainda nao fiz curso. por La

Valeria Benevolo França Como Teresa Gomes de Carvalhomencionou o blog do Thornbury mas eu sei que está apenas no celular, estou postando o link do blog dele para os outros: http://scottthornbury.wordpress.com/

Bruno Andrade vcs já compraram alguma lesso do www.itdi.pro ?

Claudia Martins O blog é maravilhoso.

Bruno Andrade o projeto é muito interessante e tem supervisao do Scott Thornbury

Teresa Gomes de Carvalho o modulo 1 do delta é um tratamebto de choque de reciclagem:)

Claudia Martins ainda não, estou me organizando pra comprar um esse mês. Mas, acho que a CI está pensando em comprar pra os teachers daqui. Quando mostrei o site pra Jackie ela amou.

Cadu Souza Agora, também tenho uma pequena reclamação. Há tempos venho tentando montar um grupo de estudo e sempre recebo respostas negativas. Minha amiga que é médica, já formada há anos, tem um grupo de estudo a cada quinze dias. Acho o máximo e adoraria fezr o mesmo, mas a verdade é que escuto tanta desculpa das pessoas que convido que até fico desmotivado.

Raquel de Oliveira Todo o material que nossa PLN compartilha sempre é válido. Conversar via skype com amigos nativos nos faz perder aquele ranso de Inglês ‘de sala-de-aula’, sabe? E gostei muito da idéia de termos artigos aqui como um “article corner”, Valeria Benevolo França. Há a opção de fazermos upload no grupo de files 🙂

Claudia Martins Eu sei como é isso Cadu Souza

Bruno Andrade É verdade, Cadu Souza – acho que os professores mais voltados pra academia fazem grupos de estudos constantes…

Raquel de Oliveira ‎Teresa Gomes de Carvalho, o M1 do DELTA foi um divisor de águas na minha vida profissional. Hj, por exemplo, fui dar feedback de atividades pedagógicas assistidas e o fiz através de perguntas, pq será, hein? Risos

Valeria Benevolo França ‎Cadu Souza posso compreender seu ponto, mas acho que nunca devemos desistir. A questão é encontrar pessoas que são like-minded…e então o grupo vai funcionar sim.

Cadu Souza Por exemplo, a Teresa Gomes de Carvalho mencionou o DELTA. Pensei em fazer o online DELTA, mas seria ótimo ter um grupo estudando juntoss…

Teresa Gomes de Carvalho e mesmo, e uma avalanche Raquel

Raquel de Oliveira ‎Cadu Souza, se sistematizarmos, pq não vermos o nosso chat como um grupo de estudos tb?

Cadu Souza Vou continuar tentanto, Valeria. Quem sabe agora não consigo?

Claudia Martins Nós temos que lembrar uma coisa: fazemos parte de uma instituição que em muito investe na nossa formação profissional, no nosso desenvolvimento

Bruno Andrade Verdade, Raquel de Oliveira – é uma forma que temos de nos encontrar e trocar ideias

Cadu Souza É verdade Raquel de Oliveira, não tinha pensado por esse lado.

Raquel de Oliveira Aprendo muuuuuuuuuuuito qd observo e quando sou observada. E pensar no PORQUÊ de determinada ação em cada estágio da nossa prática faz a nossa cabeça ferver, mas ao mesmo tempo nos convida a buscar respostas, sair do lugar comum.

Bruno Andrade Conte comigo, Cadu Souza! ja somos 2

Claudia Martins Eu acho que o nosso chat é de certa forma um grupo de estudos.

Claudia Martins Tenho aprendido muito com vcs!!!

Teresa Gomes de Carvalho a nossa realidade no brasil em EFL eh um tanto diferente da realidade de muitos autores portanto nos precisamos de referencias no brasil Tb

Raquel de Oliveira ‎Bruno Andrade e Cadu Souza > somos 3… chega mais gente, vamos montar um grupo de estudos online!!!

Cadu Souza É isso. Um grupo de estudos online seria amazing. Cada um escolhe um tema ou um artigo e discutimos. Bem similar ao que fazemos aqui, mas com uma leitura de pano de fundo.

Teresa Gomes de Carvalho claro, tb vejo o chat desta forma nosso grupo. Estamos de fato sub-utilizando as funcionalidades do Facebok.

Claudia Martins Fico feliz por ter essa oportunidade de conversar com pessoas tão bacanas, com experiência n área e que não estão aqui apenas para um bate papo,já reparou como refletimos após nosso chats?

Teresa Gomes de Carvalho eu tambem fico Claudia

Valeria Benevolo França O que fica claro é que o chat pode rolar mesmo com poucas pessoas…quality, not quantity.

Claudia Martins Podemos vir para os nossos chats munidos de material referente ao tópico da semana.

Claudia Martins termos um debatedor, um moderador

Raquel de Oliveira feliz feliz aqui com o rumo que nossa prosa está tomando :):):)

Cadu Souza Eu curto essa ideia!

Raquel de Oliveira ‎Claudia Martins e Valeria Benevolo França e cada um contribuir com o que tem de melhor…

Claudia Martins sério, se chegarmos aqui com artigos lidos sobre o tópico escolhido da semana nossa conversa será mais focada e acredito que devemos sair daqui com algo para refletir e deixarmos um canal aberto para escrevermos sobre nossas reflexões, o que acham?

Valeria Benevolo França Sem dúvida, a questão é que quando terminamos a votação, em geral já está bem perto do dia do chat. Então fica difícil ter o tempo de leitura…mas é claro que podemos repensar isso tudo.

Teresa Gomes de Carvalho BTW so anunciando aqui q vou fazer uma apresentaçao no teachers meeting intl ( mais ou menos o nome) chamada Im all ears…am I? nao sei a hora ainda apenas me inscrevi e depois mando os detalhes das apresentacoes online

Claudia Martins kd vcs?

Cadu Souza Acho a ideia de ler artigos para esse debate aqui muito boa, mas esse chat não deveria depender disso pois quem não tiver tempo de ler pode se ressentir e não participar. Acho que a ideia de termos textos seria para um segundo chat.

Cadu Souza O que acham?

Claudia Martins pois é….

Roseli Serra Gente, I’m sorry I’m so late! Minha filha chegou de Montreal hoje .. perdi a hora! What a shame!

Valeria Benevolo França Ou Cadu a idéia de termos dois espaços dentro do grupo, um onde acontece este chat e na parte de files os artigos..vou investigar e juntos podemos pensar em outras idéias.

Roseli Serra Boa noite a todos

Roseli Serra Nossa a conversa ta danada de boa …rss To tentando me achar aqui.. RSS

Claudia Martins bem pensado Valeria Benevolo França conte comigo para o que precisar, dentro do possível ajudarei.

Teresa Gomes de Carvalho que tal alguem se propor a ler um artigo e anunciar uma semana antes e convidar as pessoas para um debate ou ‘aula’?

Valeria Benevolo França Bom, como já estamos chegando ao fim, que tal cada um de nós partilhar uma meta de auto desenvolvimento nos próximos 4 meses?

Bruno Andrade Cadu, concordo que o chat nao deve depender de uma leitura previa. Tem gente que so chega pro chat mesmo e aproveita essa horinha do melhor modo possivel. Mas a ideia de escolheremos um artigo da semana é bem viável

Teresa Gomes de Carvalho é eu cheguei em cima da hora

Roseli Serra Muito bem , então o tópico é professional develpoment da gente é isso? e o que fazemos para tal?

Claudia Martins isso Roseli Serra

Roseli Serra ‎Bruno Andrade, me perdoe o atraso! eu tava com minah filha vaiajando ela chegou hje de férias famílai reunida, blablabla..

Bruno Andrade Meta pra os proximos 4 meses: continuar lendo muito (artigos, livros e blogs) e fazer meu CELTA!

Roseli Serra Obrigada Claudia Martins.

Claudia Martins Espero poder contar com a ajuda de vcs durante o meu ICELT!!!

Cadu Souza Apenas uma última ideia, às vezes subestimamos as pessoas perto da gente. Promovermos troca entre os colegas de onde trabalhamos também é uma grande forma de crescimento. Fazermos umas sessions do tipo ‘it works in practice’ onde cada um pode mostrar o que vem fazendo é uma boa ideia – e todos aprendem!!!

Raquel de Oliveira Minha meta: aprender mais sobre ensino para educação infantil e ensino fundamental em escolas

Valeria Benevolo França A minha meta é voltar a estudar e me aprofundar na fonologia, IPA chart e tudo mais.

Cadu Souza Bruno, você vai adorar fazer o CELTA!

Claudia Martins De nada Roseli Serra! Que bom que sua filha chegou bem!!!

Cadu Souza Minha meta é trocar muito com meus colegas professores – pros próximos 4 meses acho que só consigo isso

Claudia Martins Tenho investido muito nessa area Raquel de Oliveira.

Roseli Serra OK! eu ja fiz DELTA e to fazendo MA. Suoervisionei CELTAs, Adoro! MAs é impressionante que, quanto mais a gnet estuda e apresenta trablahos , mais tem asensação de que agnet não sabe muito e tem muito caminho a percorrer…

Teresa Gomes de Carvalho minha meta édesemvolver a minha mentoria e processos e praticas pra desenvolvimento de outros profissionais

Carminha Pimentel Com que frequência seriam esses chats?

Claudia Martins Nossa Roseli Serra eu tenho a mesma sensação;

Valeria Benevolo França Olá Carminha Pimentel, acontecem de 15 em 15 dias e os tópicos são eleitos pelos participantes.

Roseli Serra Adoro repassar conhecimentos, treinar professores , dar aulas , whatever. Nasci pra isso.. rsss

Raquel de Oliveira ‎Claudia Martins, vem para a minha ZDP … hahahahahaha

Valeria Benevolo França Bom, estamos todos com maravilhosos planos de desenvolvimento profissional e isso é fundamental, já que assim sempre acabamos entusiasmando colegas.

Claudia Martins Bem, temos apenas 3 minutos

Roseli Serra Esses chats são maravilhoso se o grupo é sensacional! Tenhoconhecido muito gent bacana e pegado excelentes idéias aqui!

Carminha Pimentel Desculpe, eu me referi ao grupo de estudos! Sorry!

Roseli Serra ‎:( que pena…

Roseli Serra Me convida tb Raquel de Oliveira! LOL 🙂

Claudia Martins Queridos preciso me despedir. Um feriado maravilhoso pra vcs!!! Bom descanso amigos!!!

Valeria Benevolo França Vou subir logo mais nosso chat para o blog e posto o link. Vou um enorme prazer trocar idéias com vocês hoje. Bom poder partilhar com vocês.

Roseli Serra Então, como ficamos? Quaias os planos para o próximo chat? Algum homework?

Valeria Benevolo França Olá Carminha Pimentel estamos pensando adicionar este elemento aqui no nosso grupo do BRELTchat mas vamos dar uma pensada de omo fazer isso e depois vamos comunicar a boa nova.

Cadu Souza Pessoal. Boa noite e bom feriado. Vamos alimentar essa ideia do grupo de estudos. Contem comigo. Será um prazer!!!

Raquel de Oliveira vem todo mundo :):):):) Roseli Serra

Carminha Pimentel Obrigada Valeria Benevolo França

Cadu Souza Me despeço feliz que minha singela ideia tenha resultado numa conversa tão boa – e com a chance de se tornar real. Beijos

Teresa Gomes de Carvalho boa noite pra todos! gostei da ideia do gripo de estudos

Valeria Benevolo França Super boa noite a todos, obrigada pela presença e bom feriado. Don’t work too hard!

Roseli Serra Bom , por hora a minha meta principal é conseguir ler e escrever tudo que o mestrado demanda, além de trablahrm, claro!

Roseli Serra Boa noite Valeria Benevolo França e todos os meus colegas e amiigos daqui. MAis uma vez, desculpem o atraso :-

Teresa Gomes de Carvalho boa noite pra todos voces e bom feriado:)

Raquel de Oliveira Boa noite, pessoal!! Que possamos ser sempre curiosos e instigar a curiosidade ao nosso redor. Deixo um video que gosto muito a vcs:
http://www.youtube.com/watch?v=_OsYdePR1IU

Roseli Serra Teresa, me aatualiza sobre a idéia do grupo de estudos

Bruno Andrade Queridos, muito obrigado pela otima conversa!!! Um super abraço e otimo feriado. Obrigado especial a minhas colegas de luta Valeria Benevolo França e Raquel de Oliveira – tenham todos um otimo feriado!

Roseli Serra Bom feriado, Bruno Andrade! Da próxima vez chegarei no iniciozinho. Promise!

Teresa Gomes de Carvalho roseli a ideia e manter um grupo que debate um artigo ou um texto, um autor especifico, etc com um foco especifico

Roseli Serra Rubem Alves é sempre muito bom né Raquel de Oliveira?

Roseli Serra Ahh tá! Então, será escolhido um texto ou artigo para o próximo chat?

Roseli Serra É isso teresa?

Teresa Gomes de Carvalho na verdade eh um grupo distinto Roseli

Roseli Serra Humm vc pode me explicar melhor, Teresa? ESse grupo é virtual ou face to face?

Teresa Gomes de Carvalho no proprio breltchat. e por enquanto uma ideia. ainda nao tem dia

Roseli Serra OK A gente vai ficar sabendo pelo Bruno Andrade mValeria Benevolo França ou Raquel de Oliveira, certo Teresa?

Teresa Gomes de Carvalho certo roseli, vamos sim mas de qq forma a gente ja pode começar a pensar em algum artigo:)

Roseli Serra OK Teresa. Muito obrigada pelas informações. Uma beijoca pra todos, um abaraço pernambucano quentinho e um bom feriado. Night night! 🙂

Teresa Gomes de Carvalho boa noite Roseli!