A campanha Be Kind On BrELT

bekind1

Como em qualquer disputa, em uma discussão o que está em ação não é o desejo pela verdade, pela coerência, mas o desejo pelo poder. E o ser humano, que não é um ser especialmente nobre, revela seu lado mais sombrio: a vaidade e a hipocrisia triunfam. Desafiar uma convicção soa como desvalorizar a personalidade, e uma refutação é considerada declaração de inferioridade intelectual. Portanto, cada um se agarra desesperadamente às suas afirmações; mesmo aqueles que duvidam da legitimidade de sua causa fazem todos os esforços para, pelo menos, parecer vitoriosos. Assim, atacam muitas vezes de maneira intencional, e outras de forma completamente passional, com todos os tipos de truques e subterfúgios dialéticos. 

Karl Otto Erdmann (1858-1931), reconhecido estudioso da Filosofia e respeitado linguista alemão na virada do século passado.

O avanço da internet é, sem dúvidas, extremamente impactante na vida dos professores do século XXI. O compartilhamento de ideias, a troca de informações, ferramentas novas, aplicativos, sugestões e pedidos tem sido a base da interação na nossa comunidade. Porém, juntamente com as novidades e com os inúmeros benefícios da comunicação ao alcance dos dedos, temos testemunhado diversos ruídos na comunicação entre os membros.

É sempre importante levarmos em consideração que a linguagem escrita, principalmente no meio informal das redes sociais, perde detalhes preciosos, tais como a entonação, os gestos e muitas vezes as mensagens são mal interpretadas e isso pode gerar conflitos desnecessários.

Em contrapartida, também existem problemas que se originam de realidades distintas e, por isso, fazem com que o que é bom ou certo para um não seja tão bom ou certo para outro.

De qualquer forma, para nós da BrELT, respeito, compaixão e profissionalismo não podem faltar e é isso que faz da nossa comunidade o sucesso que ela é hoje.

Como acreditamos verdadeiramente no poder da gentileza e do crescimento em conjunto, resolvemos criar a hashtag #BeKindOnBrELT para encorajarmos nossos membros a serem sempre cordiais e solícitos e agirem com mais cautela, principalmente nas discordâncias.

Queremos, também, nos desculpar por quaisquer mal-entendidos e faltas de nossa parte, afinal, somos todos passíveis de erro e esperamos que os nossos sejam recebidos e apontados com carinho. Estamos dispostos a rever nossas atitudes em prol de uma comunidade mais leve e saudável para todos os nossos membros. Let’s be truly kind!

Algumas dicas para uma comunicação mais harmoniosa:

 

Não distorça
Atribuir ao interlocutor pontos de vista que ele não tem tem o nome de “falácia do espantalho”. Por ignorância ou por má-fé mesmo, a conversa passa a girar em torno da negação de argumentos que nem sequer existem. O que deveria estar sendo realmente discutido vai, infelizmente, para o espaço.

Não personalize
Esse é o conhecido argumentum ad hominem – expressão em latim para “argumento contra a pessoa”. É quando você ataca seu interlocutor não pelas falhas no discurso dele, mas por caráter ou traços pessoais. Foque no problema.

Procure saber
É muito comum um debatedor colocar em dúvida o que o outro diz simplesmente porque não sabe do que o opositor está falando. Donos da verdade terão dificuldade em admitir, mas a vasta cultura humana contempla assuntos complexos, que requerem algum conhecimento antes que se possa emitir – ou refutar – alguma opinião.

Evite ironia
Não apenas isso, mas também sarcasmo, exageros (para o mal e para o bem) e ameaças (sutis ou explícitas). Evite demonstrações de agressividade passiva. Sabemos: no vôlei de ideias, a tentação de cortar a bola levantada é inevitável. Mas, se o objetivo é realmente expor uma tese, ouvir uma antítese e chegar a uma síntese, carregar o discurso com piadas só vai poluir e polarizar o ambiente.

 

E mais importante ainda:

    • Mantenha suas emoções à margem;
    • Discuta sem criticar (sem ataques pessoais!);
    • Leia com atenção e tente expressar detalhadamente a outra postura;
    • Mostre respeito;
    • Reconheça que é compreensível que alguém possa pensar de forma diferente da sua;
    • Tente demonstrar que, embora os fatos sejam diferentes do que seu interlocutor imaginava, isso não significa necessariamente uma alteração da sua visão de mundo;
    • Revise seus comentários antes de postá-los, no nosso caso o assincronismo da comunicação nos oferece tempo para editar e rever nossas palavras;
    • Evite ser o tipo de membro que só participa quando o circo pega fogo ou que faz tudo para que isso aconteça;
    • Recomendamos cautela com o que é dito nas redes sociais, os comentários são de inteira responsabilidade de quem os fez e os mesmos podem ser utilizados judicialmente.

Como participar da campanha:

  • Faça como a colega Erica Painura que compartilhou uma frase sobre gentileza que foi transformada em cartaz e publicada em nossas redes sociais. Você pode postar a sua frase na comunidade, mandar uma mensagem privada, um direct pelo Instagram ou um e-mail: breltchat@gmail.com
  • Participe do “BrELT, Eu amo. Eu cuido” denunciando posts abusivos, agressivos ou que fujam aos nossos termos de uso. Marque a nossa página em um comentário ou utilize a ferramenta “denunciar” para fazer sua queixa de forma anônima.

WhatsApp Image 2018-01-26 at 11.44.33 PM

  • Compartilhe a sua história positiva sobre como a BrELT te ajudou no campo profissional (e pessoal, é claro) comentando nesse post.

Contribua sempre de maneira positiva, construtiva e amistosa. Pense que a nossa comunidade funciona como uma grande sala de professores. Será que você se comportaria da mesma maneira se fosse na sala de professores da sua escola?

Imagine que aquele com quem você discute online é um amigo querido. Como você o trataria? Seja gentil, tenha paciência, espalhe o bem.

#BeKindOnBrELT

26815190_381849208923393_5226974694279324569_n

Advertisements