Hoje às 19:45h tem BrELT Chat!

  • Como vocês estão lidando com a transição para ensino online?
  • Você acha que está trabalhando mais? Você tem se mantido produtivo ou está difícil?
  • Como você tem lidado com a ansiedade e impossibilidade de sair, ir para o trabalho e encontrar seus alunos?
  • Que ferramentas você descobriu que estão te auxiliando nesse momento?
  • Quando isso passar você será o mesmo professor que antes? O que mudará? O que permanecerá igual?

Vamos bater aquele papo gostoso dia 9 de abril às 19:45h? Nosso encontro está marcado no grupo do Facebook! Chame os amigues!

Clique aqui para participar.

Mil beijos! #NinguémSoltaaMãodeNinguém

Hoje tem BrELT Chat às 19:45h

Hoje às 19:45h iremos debater sobre como a vida do professor de inglês tem mudado com a quarentena. Vejam só!

Como vocês estão lidando com a transição para o ensino online?

Você acha que está trabalhando mais?

Você tem se mantido produtivo ou está difícil?

Como você tem lidado com a ansiedade e a impossibilidade de sair, ir para o trabalho e encontrar seus alunos?

Que ferramentas você descobriu que estão te auxiliando nesse momento?

Quando a pandemia passar você será o mesmo professor de antes? O que mudará? O que permanecerá igual?

Venha participar do BrELT Chat. Nos encontraremos hoje às 19:45h no grupo do Facebook. Clique aqui!

BrELT Chat 19/11/15 sobre aperfeiçoamento linguístico do(a) prof(a)

Esta semana tem BrELT Chat e ele vem com um assunto tão importante quanto desconfortável: o nosso próprio inglês. É tanta a responsabilidade do professor, que às vezes a nossa própria proficiência acaba varrida para debaixo do tapete (pelo menos até o Higor Cavalcante vir com o seu webinar sacudir o tapete e pendurar no quintal para toda a vizinhança ver).

Mas mesmo quando a gente quer melhorar nossa proficiência, não é assim das coisas mais fáceis de se fazer. Com a palavra, Daniela Busch, que sugeriu o tema mais votado pela comunidade: “Acho que com o passar do tempo, se damos aula para Young Learners e de A1 até B2, precisamos achar formas de praticar e estudar. Como fazer isso? Cursos? Estudar sozinho?”

E aí, como você responde às perguntas de nossa colega? Venha compartilhar suas dicas e aprender com os colegas no mesmo BrELT Canal (post fixado em www.facebook.com/groups/brelt) e na mesma BrELT hora (22h desta quinta-feira).

breltchat191115cinza

Próximo BrELT Chat, 27/08/15: focando na carreira

breltchat270815

Talvez não fosse hábito do professor de inglês, mas hoje em dia diz-se que é conveniente a qualquer profissional pensar estrategicamente em sua carreira. Por isso, nesta quinta-feira às 22h, o BrELT Chat vai discutir algumas escolhas que devem ser feitas pelo professor. A principal pergunta a orientar o debate é a seguinte: devemos afunilar os contextos em que damos aula (ex.: só escolas públicas, escolas particulares, escolas bilíngues ou institutos de idiomas)? Ou é melhor, como no discurso que já virou meme, “deixar a meta aberta” e ampliar os contextos de trabalho? Quais as implicações dessa escolha?

Não há dúvidas, porém, que muitas outras perguntas vão surgir na interação dos participantes. E é mais certo ainda que, da troca, como sempre, vamos aprender muito com a experiência um do outro.

Sendo assim, às 22h desta quinta-feira, não deixe de procurar o post afixado na comunidade para dar sua contribuição e aprender com a nossa network.

Screenshot_2015-08-25-17-58-11 b

Follow-up do BrELT chat de 06/08/15: post de Ricardo Barros

This guest post is by Ricardo Barros, who wrote this wonderful post about our latest BrELTchat. This is part of an initiative on our blog to hear the teachers’ voices from our group on Facebook.

*****************************

breltchat060815

Last week I took part in my first BrELT Chat, the topic of which was conversation lessons. At the very end of the chat participants were asked to contribute a final thought and I said ‘aula de conversação também tem correção’ which translates to ‘there should be correction in conversation lessons’.

In a lot of ways, I think the same techniques can be used for error correction in both a conversation lesson and a ‘regular’ lesson. You can see some examples in my previous post on the same topic. What may change, however, is what I choose to correct, rather than how I correct it.

Take the screenshot below as an example. It shows the boardwork used with a group of adult students (from B2 to C1). They were taking a semester long conversation course based around the topic of travelling.

ricardobrelt

There is still a clear focus on pronunciation, as this may often lead to misunderstandings in speaking. On the left side there are two common examples of mistakes Brazilian students make (culture, country, coffee). What can be done first is point out the mistake and ask students for the correct pronunciation. Drilling can also help, especially when you can contrast the pronunciation of two words, such as coffee and cough. After that you could provide students with a sentence stem in order to give them an opportunity to pronounce the word correctly in context. For example:

  • I’m interested in ___ culture.
  • A country I’d like to visit is ___.

This should help make the sounds more memorable for students and also give you an opportunity to correct students on the spot if they keep making the same mistake.

A similar idea is to ask a question using the word you want students to practice:

  • Do you suffer from anxiety issues when you travel by plane?

In this case, before getting students to discuss the questions in pairs, remind them to try to use the word ‘anxiety’ in their answers.

Besides pronunciation, there is also a focus on collocations, particularly ones that may suffer from L1 interference. In Portuguese the words ‘information’ and ‘advice’ can be used in the plural. Once again, delayed feedback (reminding students that these words are uncountable and that they can be used with ‘a piece of’ or ‘some’) followed by the chance to use the words again has proved effective in my lessons. I don’t mean to say the mistakes will disappear, but the next time a student makes the same mistake, he or she is more likely to remember the correction.

Here are some more examples of questions that can be used to work with the words from this lesson:

  • What piece of advice would you give someone who is travelling abroad for the first time?
  • Have you ever missed a flight? What happened?

You can either just ask the question (e.g. can you tell your partner if you have ever missed a flight?) or write it on the board. If you have a strong group you can probably get by with just asking the questions, but more often than not I choose to write them on the board. If you are correcting collocations, you could also get students to copy the questions, so they have a written record of the language.

Thanks for reading.

ricardobrelt

I have over 10 years’ experience in the English Language Teaching field, working in Rio de Janeiro, São Paulo and Jundiaí. I hold the DELTA and a BA in History from the Campinas State University (Unicamp). I am currently a CELTA Tutor in Training and blog at https://ricardobarroselt.wordpress.com/